ABA CLÁSSICO

MÉTODO ABA 

 

Embora seja conhecido como método, na verdade, trata-se de uma ciência, como explicamos no link abaixo:

 

 

 

 

 

Apesar de o Matheus ter apenas pouco mais de 2 anos assim que começamos o tratamento de forma intensiva e com orientação da Mayra Gaiato, na época não conhecíamos formas mais naturalísticas, como o Denver, por exemplo. No entanto, procurávamos fazê-lo, na medida do possível, divertido para o Matheus. Mas era ele quem tinha que seguir nossa liderança. O Método ABA é uma espécie de treinamento de condutas, uma terapia comportamental, que pode ser feito em casa ou por terapeutas e funciona com a determinação de um DESAFIO e seu cumprimento através de AJUDA total, leve ou sem ajuda, seguido de um REFORÇO. Deve ser realizado durante pelo menos 1 (uma) hora diária, além das demais terapias indicadas pelos profissionais.

REFORÇADOR - O USO DE RECOMPENSAS

Mayra Gaiato explica sobre a importância do reforçador.

O QUE SÃO REFORÇADORES - PARTE 1

Nesta série de 3 episódios, nossa mestre Mayra Gaiato explica o que são reforçadores.

O QUE SÃO REFORÇADORES - PARTE 2

Nesta série de 3 episódios, nossa mestre Mayra Gaiato explica o que são reforçadores.

QUANDO NÃO USAR REFORÇADORES - PARTE 3

Nesta série de 3 episódios, nossa mestre Mayra Gaiato explica o que são reforçadores.

Please reload

O REFORÇO

 

O reforço pode ser a entrega de um brinquedo, a apresentação de um vídeo que a criança goste, ou até eventualmente uma comida de sua preferência, se for na hora da refeição ou lanchinho. 

 

Passados cerca de 10 segundos do reforço (10 segundos assistindo um vídeo, por exemplo), inicia-se novamente o mesmo processo repetidamente: DESAFIO + AJUDA = REFORÇO, seguindo todos os passos de estímulos abaixo detalhados (itens grifados).

 

O reforço deve ser dado imediatamente após o cumprimento do comando (no máximo em 3 segundos), para que a criança entenda que está sendo recompensada por ter cumprido a tarefa. Ainda que tenha cumprido o comando com ajuda total, deve receber o reforço escolhido, além de palmas, parabéns, etc., de forma que esses momentos sejam realizados de forma mais prazerosa possível para a criança. 

 

Se o reforço for um vídeo, por exemplo, deve-se deixar o mesmo "engatilhado" para ser apresentado imediatamente e pode ter a duração de cerca de 10 segundos, daí você pausa e dá um outro comando novamente, e assim por diante. Se for um lanchinho ou um brinquedo, deixar ao seu lado para ser recompensado imediatamente.

 

É muito importante que durante a aplicação desta prática, a criança fique sentada o tempo todo, saindo apenas para atender seus comandos, se for o caso, estimulando-se assim o aumento de sua concentração e compreensão da necessidade de ficar sentando na sala de aula e no restaurante, por exemplo. Caso levante, traga-a de volta. Se fizer birra, ignore completamente, deixe se acalmar e recomece. 

 

No início a criança naturalmente apresentará maior resistência. É importante ter fé e nunca ceder ou desistir. É preciso ter consciência de que estamos persistindo pelo seu bem e seguir o lema: "Ordem dada, ordem cumprida". Com perseverança, você verá os resultados!

 

Para entender melhor como funciona, assista nossos vídeos abaixo (mais vídeos no Youtube => Autislólogos Autismo). Ressaltamos que esses vídeos foram realizados após algum tempo de tratamento e que no início ele necessitava de muito mais ajuda. 

AJUDA

Como explica no IG @danibotelhoaba:

 

"Aprendizagem sem erros também é uma parte importante de qualquer programa ABA. ⠀

Ajudas/Dicas de resposta é uma ajuda adicional fornecida ao aluno para garantir que cada tentativa de aprendizado seja bem sucedida. ⠀

QUEREMOS O SUCESSO DOS NOSSOS ALUNOS!!!⠀

Por exemplo, ao ensinar um aluno a nomear objetos, pode-se segurar o objeto e dizer: "O que é isso?" ⠀

Em vez de simplesmente adotar uma abordagem de tentativa e erro e potencialmente permitir que o aluno cometa erros frustrantes, o aluno recebe uma resposta que o ajuda a responder corretamente nas primeiras tentativas. ⠀

Por exemplo, inicialmente o instrutor pode dizer: “O que é isso?” E logo em seguida dizer o nome do objeto, dando a resposta.⠀

Esse processo de instrução é chamado de aprendizado do maior para o menor ou sem erros. ⠀

De acordo com Touchette & Howard, 1984 a aprendizagem sem erros é eficaz no ensino de novas habilidades para os alunos, principalmente porque o aluno tem menos frustração.⠀

Depois que um aluno demonstra domínio de uma habilidade, vamos ajustando as instruções e ajudas/dicas de acordo. ⠀

O instrutor passa para uma estratégia de estímulo do menor para o maior e fornece uma ajuda/dica apenas se o aluno não se engajar na resposta correta. ⠀

Essa abordagem ajuda a garantir que os alunos não se tornem dependentes das ajudas/dicas, mas aprendam a usar novas habilidades de forma independente". ⠀

Please reload

Para crianças entre 2 e 4 anos, é indicado iniciar o tratamento de acordo com o MODELO DENVER DE INTERVENÇÃO PRECOCE, que também é baseado no Método ABA, mas de uma forma naturalista, buscando a liderança da criança, conforme  link abaixo:

Na época, não conhecíamos o modelo Denver, mas o praticávamos na rotina de forma instintiva. Após os 4 anos, como as crianças devem começar a fica mais sentadas na sala de aula, etc., já é recomendável fazer uma transição. Tudo que aprendemos sobre o método ABA nos foi ensinado pela nossa mestre, Dra. Mayra Bonifacio Gaiato, que criou um programa passo-a-passo, de acordo com a evolução do Matheus.

NO INÍCIO

 

Nas primeiras vezes que executou o método ABA, o Matheus apresentava bastante resistência e precisava ser buscado de volta repetidas vezes. Quando finalmente ficava sentado, precisava de ajuda total para executar os comandos (mesmo com ajuda total recebe reforço). No início, o ideal é aplicar em dupla, conforme vídeo abaixo. Mas com o tempo há um desenvolvimento natural, como aconteceu no caso do Matheus, que acabou entendendo a necessidade de ficar sentado, aumentar a concentração e cumprir as solicitações, como vemos nos demais vídeos.

"ABA

 

O tratamento baseia-se no desenvolvimento de comportamentos funcionais e redução dos comportamentos inadequados. Para isso, utilizamos técnicas e métodos baseados em princípios comportamentais. 

 

Estudos mostram que quando usamos nosso cérebro com novos estímulos e exercícios, ele se "reprograma", criando novos caminhos entre os neurônios. Quanto mais aprendemos, mais caminhos neurais nós formamos. Esse é o princípio do tratamento - estimular a criança com técnicas de modificação do comportamento para que o cérebro se reorganize para novos aprendizados, novas memorizações e novas adaptações, tornando essas mudanças definitivas. Quanto menor a idade, mais maleável está o cerébro e mais fácil de promover mudanças estruturais. Por isso, quanto antes o diagnóstico for feito, melhor para o tratamento. Isso é possível graças ao conceito de neuroplasticidade. 

 

A terapia mais indicada para crianças com transtorno do desenvolvimento é a Terapia Comportamental. Utiliza o método ABA, que significa Análise Aplicada do Comportamento (Applied Behavior Analysis) é utilizada em diversos países e embasada por pesquisas científicas que comprovam sua efetividade.    A metodologia consiste em modificar comportamentos inadequados, substituindo por outros mais funcionais. O foco da mudança no repertório comportamental baseia-se principalmente em comportamento social, comportamento verbal e extinção de birra. Uma variedade de procedimentos comportamentais são usados para fortalecer habilidades existentes e modelar aquelas ainda não desenvolvidas.  Durante a terapia comportamental, o profissional incentiva o aprendizado da criança através de um apoio físico (quando este profissional faz a atividade junto com a criança, segurando em sua mão), depois há um apoio leve (um direcionamento para o que deve ser feito), apoio verbal (quando se diz o que  é para fazer), apoio gestual (o profissional aponta, mostrando o que deve ser realizado) e por fim, a criança realiza a atividade de forma independente. Esse processo deve ser feito de forma gradual, respeitando o limite e o ritmo da criança, para que o aprendizado seja fixado.

 

Além do ABA, outros métodos utilizados são efetivos para o tratamento comportamental de crianças com autismo. O TEACCH (Treatment and Education of Autistic and Related Communication Handcapped Children) é um dos métodos que podem ser associados à terapia. Contempla o que conhecemos como “quadro de rotinas”. O PECS (Picture Exchange Communication System – Sistema de Comunicação por Troca de Figuras) é um método que utiliza figuras para facilitar a comunicação e compreensão ao estabelecer uma associação entre a atividade/símbolo. O procedimento com o PECS não tem como objetivo substituir a fala, pois quando a criança entrega a figura para uma pessoa, esta deve dizer o que é e estimular a criança a repetir, o que pode, futuramente, fazer com que a criança fale o que quer, sem precisar do auxílio da figura. Tenta-se, assim, ampliar o repertório verbal".

 

 

Mayra Bonifácio Gayato, terapeuta Matheus

Autora do livro Mundo Singular

ROTEIRO SEMANAL

 

Para organizar a terapia, segue um RESUMO DOS DESAFIOS E ROTEIRO, que pode ser aplicado de acordo com o grau de evolução da criança. Os DESAFIOS (Olhar, Comando, etc., conforme planilhas abaixo) estão melhor explicados nos demais itens do site, conforme indicado em cada planilha abaixo (p. ex. CHAMADO / OLHAR - Veja mais em INTERAÇÃO).

 

Durante a terapia, pede-se que cumpra um DESAFIO e com a AJUDA necessária, dá-se um REFORÇO assim que cumprido (ainda que tenha sido com ajuda total).

 

O REFORÇO é dado a cada desafio cumprido, e pode ser a apresentação de um desenho do tablet que ele goste, deixar brincar com um carrinho, etc. Este REFORÇO deve ser dado imediatamente, e por um período de cerca de 10 segundos. Após, repete-se o processo seguidamente, até completar no mínimo 1h de terapia por dia. 

 

Para visualizar melhor, abra as planilhas em computador.

Please reload

Segue outro exemplo de aplicação de técnicas de ABA em casa para treinamento de habilidades de INTERAÇÃO, COMANDOS, LINGUAGEM VERBAL e NÃO-VERBAL. 

 

PS. Perceba que quando ela pede para ele VERBALIZAR, dá o MODELO da PALAVRA antes e PUXA seu QUEIXO para que ele entenda que ela espera o movimento da boca, ou seja, que ele fale! Use  como REFORÇO algo que seu filho goste de brincar!

E ainda outros exemplos, o primeiro do Bento com a Mamãe Catherine, do IG @apontandoparaofuturo.autism, o segundo de Pedro com a mamãe Jéssica IG @jetamanini (supervisão www.abaforadamesinha.com.br), e o último de João Rafael com a mamãe Bruna do IG brunapovoa:

Please reload

De acordo com o GUIA PARA OS PAIS do site Autismos Speaks:

"ABA" significa Análise de Comportamento Aplicada. ABA é um conjunto de princípios que formam a base para muitos tratamentos comportamentais. ABA é baseado na ciência de aprendizagem e comportamento. Esta ciência inclui “leis” gerais sobre como o comportamento funciona e como a aprendizagem acontece. A terapia ABA aplica essas leis ao comportamento tratamentos de uma forma que ajuda a aumentar os comportamentos úteis ou desejados. ABA também aplica essas leis para ajudar a reduzir comportamentos que possam interferir na aprendizagem ou comportamentos que podem ser prejudiciais. A terapia ABA é usada para aumentar a linguagem e habilidades de comunicação. Também é usado para melhorar a atenção, foco, habilidades sociais, memória, e acadêmicos. O ABA pode ser usado para ajudar a diminuir comportamentos problemáticos. A ABA é considerada um tratamento “prático” baseado em evidências pelo cirurgião dos EUA. Geral e pela Associação Americana de Psicologia. “Baseado em evidências” significa que A ABA passou em testes científicos de sua utilidade, qualidade e eficácia. A terapia ABA inclui muitas técnicas diferentes. Todas essas técnicas focam antecedentes (o que acontece antes que um comportamento ocorra) e nas conseqüências acontece depois do comportamento). Uma técnica é “reforço positivo”. Quando um comportamento é seguido por algo que é valorizado (uma recompensa), que o comportamento é mais provavelmente será repetido. ABA usa reforço positivo de uma forma que pode ser medida a fim de ajudar a provocar uma mudança de comportamento significativa.

A ABA beneficiará meu filho? O seu filho esta…

* tendo dificuldade em aprender?

* tendo problemas para adquirir novos Habilidades?

*tendo dificuldade em se comunicar?

* experimentando comportamentos problemáticos * que atrapalham o funcionamento?

Se o seu filho tiver algum desses ou outros sobre comportamentos, uma abordagem baseada em ABA abordagem à intervenção comportamental pode seja útil.

=> Os comportamentos problemáticos podem incluir temperamento birras, agressão ou auto-lesão.

O que parece ABA? A ABA é uma abordagem tão ampla que é difícil definir como será um programa típico. o quantidade de terapia e nível de envolvimento dos pais varia, muitas vezes de acordo com as necessidades específicas do criança. Os programas de treinamento de habilidades da ABA (como treinamento em testes discretos, ensino incidental) podem exigir horas por dia. Enquanto os programas de treinamento de habilidades são geralmente implementados por terapeutas professores, os pais são frequentemente ensinados habilidades críticas para ajudar seus filhos a transferir o que aprenderam em terapia para a vida cotidiana. Os programas de treinamento de habilidades ABA para crianças pequenas são muitas vezes baseados em casa e requerem materiais e uma área dedicada para trabalhar. A terapia de modificação comportamental ABA pode incluir de 1 a 2 horas treinamento dos pais por semana com os pais usando estratégias que aprendem entre as visitas. Um terapeuta ABA Também pode consultar os professores para ajudar a apoiar comportamentos positivos na sala de aula.

Alguns tipos de terapias baseadas nos princípios ABA são ensaios discretos aprendizagem, ensino incidental (ou treinamento em ambiente natural), comportamento verbal, treinamento de resposta e paradigma da linguagem natural (veja a próxima página para detalhes). Todas estas terapias baseadas em ABA:  São estruturados  Coletar dados para habilidades ou comportamentos alvo  Fornecer estratégias positivas para mudar respostas e comportamentos A ABA foca em estratégias de reforço positivo. Pode ajudar crianças que estão tendo dificuldade em aprender ou adquirir novas habilidades. Também pode abordar comportamentos problemáticos que interferem com o funcionamento através de processo chamado “avaliação comportamental funcional”. Os princípios e métodos de análise do comportamento foram aplicados efetivamente, em muitas circunstâncias, desenvolver uma ampla gama de habilidades alunos com e sem deficiência.

A Aprendizagem por Ensaios Discreta (Treinamento) é baseada no entendimento de que a prática ajuda a criança a dominar uma habilidade. Isto é uma terapia estruturada que utiliza um método de ensino um-a-um e envolve o aprendizado intensivo de comportamentos específicos. Esse aprendizado intensivo de um comportamento específico é chamado de “exercício”. Os exercícios ajudam a aprender, porque envolvem repetição. o A criança conclui uma tarefa muitas vezes da mesma maneira (geralmente 5 ou mais). Esta repetição é especialmente importante para crianças que podem precisar de muita prática para dominar uma habilidade. Repetição também ajuda a fortalecer a longo prazo memória. Comportamentos específicos (contato visual, atenção focada e aprendizado da expressão facial) são divididos em formulários mais simples e, em seguida, sistematicamente solicitados ou guiados. As crianças recebem reforço positivo (por exemplo: high-fives, elogios verbais e tokens que podem ser trocados por brinquedos) por produzir esses comportamentos. Por exemplo, um Um terapeuta e uma criança estão sentados em uma mesa e o terapeuta pede à criança que preste atenção a ela dizendo “olhe para A criança olha para o terapeuta e o terapeuta recompensa a criança com um high-five.

Ensino Incidental (ou Treinamento em Ambiente Natural) é baseado no entendimento de que é importante dar significado real às habilidades que uma criança está aprendendo. Inclui um enfoque em habilidades de ensino em ambientes onde seu filho irá usá-los naturalmente. Usar o ambiente natural diário de uma criança em terapia pode ajudar a aumentar transferência de habilidades para situações cotidianas e ajuda na generalização. No Ensino Incidental, o professor ou terapeuta utiliza oportunidades naturais para ajudar a criança a aprender a língua. A atividade ou situação é escolhida por a criança, o cuidador ou o professor segue a liderança ou o interesse da criança. Essas estratégias de ensino foram desenvolvidas para facilitar a generalização e maximizar o reforço. Uma vez que ocorrem situações naturais nas quais uma criança expressa Quando os interesses são identificados, o instrutor usa instruções graduadas para incentivar as respostas da criança. Para Por exemplo, uma criança está brincando nos balanços e precisa que o terapeuta o empurre para que ele possa balançar mais alto. o o terapeuta espera que a criança peça um empurrão. Somente depois que a criança pergunta, o terapeuta empurra o balanço. o o terapeuta espera que a criança pergunte cada vez antes de empurrar a criança novamente.

O Comportamento Verbal é similar ao treinamento em testes discretos, pois é uma terapia estruturada e intensiva, um a um. Isso difere de treinamento de avaliação discreta na medida em que é projetado para motivar uma criança a aprender a língua através do desenvolvimento de uma conexão entre uma palavra e seu significado. Para algumas crianças, ensinar uma palavra ou rótulo precisa incluir um foco deliberado ensinando-lhes como usar suas palavras funcionalmente (por exemplo, o que é isso? Um copo. Para que você usa um copo? Beber. Do que você bebe? Um copo.)

Pivotal Response Training é uma intervenção naturalista, vagamente estruturada, que se baseia na ocorrência natural oportunidades de ensino e conseqüências. O foco do PRT é aumentar a motivação adicionando componentes como turn-taking, tentativas de reforço, escolha de crianças e tarefas de manutenção intercaladas (pré-aprendidas). Leva o foco de áreas de déficits e redireciona a atenção para certas áreas cruciais que são vistas como chave para uma ampla gama de funcionamento em crianças. Foram identificadas quatro áreas cruciais: (a) motivação, (b) auto-iniciação infantil, (c) auto- gestão, e (d) capacidade de resposta a várias sugestões. Acredita-se que quando essas áreas são promovidas, elas produzir melhorias em muitos dos comportamentos não direcionados. O "Early Start Denver Model" é um dos primeiros comportamentos modelo de intervenção apropriado para crianças a partir dos 18 meses de idade. Este modelo tem uma forte ênfase em Treinamento de resposta pivotal.

O paradigma da linguagem natural (PNL) baseia-se no entendimento de que a aprendizagem pode ser ajudada por arranjo do ambiente, a fim de aumentar as oportunidades de usar a linguagem. PNL enfatiza a criança iniciativa. Usa reforços naturais que são conseqüências relacionadas diretamente ao comportamento, e encoraja habilidade generalização. Por exemplo, uma criança a quem é permitido sair depois de ser solicitada a dizer "adeus" tem um probabilidade de usar e generalizar essa palavra quando comparada com uma criança que recebe um item tangível para repetir esta palavra. A PNL transfere instruções da sala de terapia para o ambiente cotidiano da criança, com o interesse de a criança servindo como ponto de partida para intervenções.

OS MÉTODOS ABA APOIAM PESSOAS COM AUTISMO EM UMA VARIEDADE DE MANEIRAS:

* Ensine habilidades para substituir comportamentos problemáticos. Então seu filho pode aprender o que "fazer", não apenas o que "parar de fazer". 

* Aumente o comportamento positivo e reduza o comportamento interferente. Para exemplo, procedimentos de reforço aumentam o comportamento na tarefa ou interações sociais e reduzir comportamentos como autolesão ou estereotipia. 

* Manter comportamentos. Por exemplo: Ensinar autocontrole e autocontrole procedimentos para manter e generalizar as questões sociais Habilidades 

* Mude as respostas para o comportamento do seu filho. Essas respostas poderia involuntariamente ser um comportamento problemático recompensador. 

* Aumente as habilidades acadêmicas, sociais e de autoajuda de seu filho. 

* Melhorar a capacidade de se concentrar nas tarefas, cumprir as tarefas e aumentar motivação para executar. 

* Procure melhorar as habilidades cognitivas. Ajuda seu filho a ser mais disponível para aprendizagem. 

* Generalizar ou transferir o comportamento de uma situação ou resposta a outra (por exemplo, ao concluir tarefas em a sala de recursos para um bom desempenho no mainstream Sala de aula)

O que parece ABA? A ABA é uma abordagem tão ampla que é difícil definir como será um programa típico. o quantidade de terapia e nível de envolvimento dos pais varia, muitas vezes de acordo com as necessidades específicas do criança. Os programas de treinamento de habilidades da ABA (como treinamento em testes discretos, ensino incidental) podem exigir horas por dia. Enquanto os programas de treinamento de habilidades são geralmente implementados por terapeutas professores, os pais são frequentemente ensinados habilidades críticas para ajudar seus filhos a transferir o que aprenderam em terapia para a vida cotidiana. Os programas de treinamento de habilidades ABA para crianças pequenas são muitas vezes baseados em casa e requerem materiais e uma área dedicada para trabalhar. A terapia de modificação comportamental ABA pode incluir de 1 a 2 horas treinamento dos pais por semana com os pais usando estratégias que aprendem entre as visitas. Um terapeuta ABA Também pode consultar os professores para ajudar a apoiar comportamentos positivos na sala de aula.

COMPONENTES DE UM PROGRAMA ABA FORTE • Supervisão - O programa deve ser projetado e monitorado por um Analista de Comportamento Certificado (BCBA) ou alguém com credenciais semelhantes. Supervisores devem tenho uma vasta experiência em trabalhar com crianças com autismo. • Treinamento - Todos os participantes devem ser totalmente treinados, com supervisores que fornecem suporte, monitoramento e treinamento para a duração do programa. • Programação - O programa deve ser criado após uma avaliação detalhada foi conduzida e adaptada aos déficits e habilidades específicas da criança. Família e preferências do aluno deve ser dada consideração em determinar os objetivos do tratamento. Tarefas de generalização devem ser incorporado ao programa para garantir o desempenho das habilidades em vários ambientes. • Programação funcional - Metas selecionadas devem ser benéfico e funcional para o indivíduo e aumentar ou melhorar sua qualidade de vida. Uma mistura de terapias analíticas comportamentais devem ser usadas para que o a criança tem a oportunidade de aprender de maneiras diferentes. • Coleta de dados - Dados sobre aquisição de habilidades e redução de comportamento deve ser registrada e analisada regularmente. Esses dados devem ser revisados ​​pelo supervisor e usado para medir o progresso do indivíduo e fornecer informações para o planejamento do programa. • Treinamento da família - os membros da família devem ser treinados para ensinar e reforçar habilidades. Eles deveriam ser envolvidos no processo de planejamento e revisão. • Reuniões de equipe que envolvem os terapeutas, supervisores e familiares envolvidos são necessários para manter a consistência, identificar questões pertinentes e discutir o progresso.

QUEM FORNECE SERVIÇOS ABA? Os fornecedores da ABA podem variar em treinamento, experiência e certificação: • Certificações na ABA: os terapeutas podem ser certificados através do Diretor de Certificação Analista de Comportamento. Se eles forem certificados e tiverem pelo menos um mestrado, então eles terão as letras BCBA após a sua nome. BCBA-D significa que eles têm um doutorado. Outros terapeutas podem tenha credenciais do BCABA. Isso significa educação na ABA no nível de bacharelado. • Experiência na ABA: alguns terapeutas da ABA podem ter anos de experiência fornecendo ABA, mas pode não ser formalmente "certificado". Não certificado Os terapeutas da ABA podem ter treinado e supervisionados por um terapeuta certificada pela ABA. Enquanto terapeutas não certificados podem fornecer Instrução de habilidades ABA, eles devem ser supervisionados por alguém com credenciais ou experiência similar. ONDE ESTÁ A TERAPIA ABA FORNECIDA? A ABA pode ser fornecida na escola, em casa ou na comunidade, dependendo das necessidades da criança e os serviços que estão disponíveis em uma área específica. Alguns programas escolares usam estratégias ABA dentro do Sala de aula. Eles também podem ser usados ​​como parte do plano de educação individual de uma criança (“IEP”). Além do que, além do mais, Terapeutas comunitários podem fornecer ABA em casa para crianças diagnosticadas com autismo. A maioria das grandes e médias cidades terá terapeutas certificados pela ABA. As cidades menores e as áreas rurais podem não. É por isso que perguntar sobre a experiência do provedor é importante. COMO OBTER SERVIÇOS ABA? • Verifique com seu capítulo local do Autism Speaks ou visite a guia Serviços da Família no Autism Speaks website: www.autismspeaks.org. Procure por serviços ABA oferecidos em seu estado. • Verifique seu capítulo local da Autism Society of the America. Vá para o site deles www.autismsociety.org para encontrar recursos de estado por estado. • Encontre Analistas de Comportamento Certificados da Diretoria em www.bacb.com. • Converse com a equipe de educação do seu filho sobre fornecedores locais. • Converse com as famílias que vivem com autismo no grupo de apoio local

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com