ANTES DE COMEÇAR

 

Antes de acessar os links do ROTEIRO, seguem algumas considerações iniciais:

Além de 1h30 TODOS OS DIAS de Método ABA Clássico com tentativas discretas, mas divertido (ainda não conhecíamos o DENVER), o Matheus ainda fazia Terapia Comportamental (ABA), Terapia Ocupacional, Fonoaudióloga, Natação e Musicoterapia, sendo que cada atividade destas era realizada apenas uma vez por semana. 

Íamos a São Paulo, na Mayra Gaiato, a cada 1 mês e meio no início e depois os encontros eram cada vez mais espaçados. Mas a Mayra traçava objetivos e deixava que assistíssemos ao final da consulta para saber como fazer e reproduzir o que havia sido na terapia depois em casa. Quando chegava em minha cidade, eu comprava os materiais, montava o roteiro e, no início, era eu mesma quem aplicava o ABA em casa.

Depois contratei um estudante de psicologia que eu mesma treinei para colocar em prática as terapias em  casa.

Tratamento Matheus

Salientamos que, para que haja sucesso no tratamento, são necessárias no mínimo 10h (dez horas) por semana de terapia ABA, além de estímulos durante todo o dia. ​​

Mínimo 10h Semanais

Caso você não tenha acesso a profissionais para aplicar as terapias, uma sugestão é treinar e contratar um estudante de psicologia ou de fonoaudiologia interessado em autismo, pois assim ele será mais capacitado para exercer sua profissão e seu filho será beneficiado com as terapias, enfim, todos ganham com isso.  Uma dica é o curso de AT da Mayra Gaiato. Para saber mais, acesse www.mayragaiato.com.br. 

Sem Acesso ao Tratamento
Unknown.jpeg

ANTES DE  COMECAR. SUGESTÃO 1: Leia RESUMO do livro Compreender e Agir em Família, da Sally Rogers, que ensina a colocar em prática o Modelo Denver de Intervenção Precoce, que é uma forma mais naturalista de aplicar o ABA, recomendado para crianças menores. ABA é uma ciência  que analisa o comportamento e é o tratamento que apresenta os melhores resultados para o tratamento do autismo. Mais abaixo vamos falar mais sobre o tema.

Leitura Obrigatória 

COMPREENDER E AGIR EM FAMÍLIA

Captura_de_Tela_2020-06-18_às_16.29.41.

ANTES DE  COMECAR. SUGESTÃO 2: Leia o nosso livro Propósito Azul 

Esse livro dá várias dicas para os pais estimularem em casa, numa linguagem bem leve e informal e ensina o passo-a-passo das 8 etapas do comportamento verbal criado pela nossa mestre Mayra Gaiato. Link para compra abaixo. Salientamos que 100% da renda revertida para a causa do autismo e que o objetivo de escrevê-lo foi precisamente ajudar as famílias a saberem como estimular os filhos em casa:

Leitura Obrigatória 

PROPÓSITO AZUL

Captura_de_Tela_2020-06-18_às_16.55.28.

Antes de começar, é importante ressaltar que, quando recebemos o diagnóstico de Autismo, geralmente a maior preocupação é com a fala da criança e ficamos ansiosos para trabalhar apenas esse quesito. Mas acontece que no Autismo está tudo interligado, razão pela qual é importante estimular todas as áreas para que a fala funcional aconteça, inclusive as questões sensoriais, que são muitas vezes menosprezadas, conforme explicamos melhor no vídeo abaixo:

Atenção

ESTIMULAR TODAS AS ÁREAS EM DÉFICT

Captura_de_Tela_2020-06-18_às_17.09.34.

Antes de começar a estimular seu filho, é imprescindível entender sobre como aplicar esse programa, através da ciência ABA e do Modelo Denver de Intervenção Precoce, é primordial que você entenda essas duas estratégias. Muitas pessoas têm uma visão negativa sobre ABA, pois conhecem uma forma muito rudimentar e ultrapassada dessa ciência, mas é o ABA que apresenta melhores resultados para o tratamento do Autismo de acordo com as comprovações científicas

O ideal é transitar entre um e o outro, de acordo com o engajamento da criança. Quando a criança está bem motivada com a brincadeira, o reforço é a própria brincadeira e neste caso aplicamos as técnicas do Denver. Por outro lado, quando a criança não está muito motivada, devemos reforçar com algo de fora da brincadeira que a criança adore, aí usamos o ABA Clássico, através das Tentativas Discretas. 

Em ambos os casos, buscamos aumentar os comportamentos esperados, como a comunicação e a socialização e a redução dos comportamentos indesejados, como birras, choros, esteriotipias, etc. Para conseguirmos isso, fazemos uma análise do comportamento, analisando os antecedentes ao comportamentos e as consequências e sempre que forem comportamentos novos, até que sejam instalados, REFORÇANDO SEMPRE IMEDIATAMENTE quando a criança age conforme o DESEJADO e assim aumentamos a frequência desses comportamentos e ELIMINANDO REFORÇADORES quando age de forma INADEQUADAdiminuindo a frequência desses comportamentos

Quando se tratarem de comportamentos esperados, analisamos os antecedentes, ou seja, tudo que aconteceu antes daquele comportamento, para fazer mais e dar uma consequência que a criança adore, para aumentar a frequências desses comportamentos.

Se, por outro lado, forem comportamentos indesejados, evitamos aqueles antecedentes e retiramos o reforço, para reduzir esses comportamentos. Para entender melhor, clique nos links abaixo:
 

Para entender melhor sobre ABA (e DENVER), o que é essencial para o sucesso no tratamento, clique no link abaixo: 

Sugestão

ABA x DENVER

Captura_de_Tela_2020-06-18_às_17.34.29.

Se a criança resistir no início, saiba que isto é natural, afinal ela está acostumada a fazer apenas o que quer, sem nenhuma exigência, fazendo suas repetições. Mas esse comportamento não a torna hábil para viver em sociedade, frequentar a escola, etc. Por esta razão, é de primordial importância que você fique tranquilo com a resistência da criança e esteja convicto de que realizar esses estímulos é o melhor para seu filho, que ele depende disso para seu desenvolvimento, então não desista. Confira o vídeo abaixo.

No entanto, com o Modelo Denver de Intervenção Precoce (livro Compreender e Agir em Família acima), a resistência das crianças deve ser menor, já que tem como estratégia seguir a liderança da criança.

Atenção

RESISTÊNCIA INICIAL DA CRIANÇA

Captura_de_Tela_2020-06-18_às_17.40.24.

Para saber que aspectos deve trabalhar com seu filho, adquira um modelo do Checklist do Modelo Denver, que pode ser adquirido em sites de vendas online como Amazon, Americanas, Submarino e outras.

 

Saliento que a venda desse checklist não me gera nenhum proveito econômico. Recomendo a compra porque é importante apenas:

Atenção 

COMO AVALIAR

Unknown.jpeg

Além do Checklist do Modelo Denver, acima indicado, há outras excelentes escalas para avaliar o desenvolvimento da criança e analisar os itens que devem ser trabalhados, como o questionários VB-MAPP, por exemplo, que analisa o desenvolvimento da linguagem, como o M-CHAT, que avalia a socialização e outros fatores. Para acessar tais questionários em Português, clique no link abaixo. Os cursos da Mayra Gaiato de AT e ABA também ensinam como montar programas.

Atenção 

OUTRAS MANEIRAS DE AVALIAR 

Captura_de_Tela_2020-06-26_às_18.30.22

Nossa mestre Mayra Gaiato explica quais são os 5 principais programas que precisamos trabalhar todos os dias. Clique 

Mayra Gaiato 

5 PRINCIPAIS PROGRAMAS

MONTE SEU ROTEIRO SEMANAL PERSONALIZADO

Segue abaixo uma relação de itens com a sugestão de quantas vezes deve ser trabalhado por dia. Monte um Roteiro Semanal para seu filho, e vá variando de acordo com o grau de evolução dele. Ao final seguem alguns exemplos de programas, tanto do Matheus quanto de outras crianças e um modelo no Excel para você montar o seu.

Mas é importante ressaltar que os principais programas comportamentais, que devemos focar é no CONTATO VISUAL, IMITAÇÃO e no seguimento de COMANDOS, porque são pré-requisitos para FALA FUNCIONAL e APRENDIZADO.

Lembre-se sempre de dar o DESAFIO, a AJUDA necessária e ao final o REFORCO, que pode ser entregar o brinquedo de seu interesse, assistir trechos de um vídeo. O reforço pode durar cerca de 10 segundos e após você retoma com um novo DESAFIO.

ABAIXO LINK DAS ATIVIDADES POR ITEM

PAREAMENTO (1 ao dia)

O pareamento é um pré-requisito acadêmico. É necessário, por exemplo, para a criança entenda que a letra "B" maiúscula é correspondente à letra "b" minúscula.

 

Através do pareamento que geralmente se obtém o engajamento da criança, especialmente nas primeiras terapias. Você pode aproveitar a atividade de pareamento para estimular por exemplo, a linguagem, dando um modelo verbal do que está sendo trabalhado. Por exemplo, usando figuras funcionais do cotidiano da criança, nomear.

 

Por exemplo,  se a criança adora laranja, começando com a fruta em si, entregar uma para ela e apresentar 3 opções (banana, laranja e maçã) para ela mostrar o igual. Não deixe a criança errar, dando a ajuda necessária e reforce após acertar. 

Na segunda etapa, pode ser um brinquedo de frutas para relacionar com as frutas reais, depois figuras (fotos ou desenhos) com as frutas de plástico e assim por diante. A última fase é relacionar um objeto com a palavra.

ATENDER AO CHAMADO X OLHAR (na Rotina)

O contato visual é um dos mais importantes programas para o tratamento do autismo, pois é a primeira forma de comunicação e interação social humana. Já nos primeiros dias de vida, o bebê faz contato visual com as pessoas que os cercam, mas isso pode não acontecer no autismo.

Acontece que a observação e imitação é uma grande via de aprendizado. Afinal, aprendemos uma série de coisas observando e imitando, como por exemplo, a falar. Até mesmo adultos aprendem por observação e imitação, pois é observando e imitando que podemos dirigir numa cidade nova, ou ao chegarmos a um restaurante que nunca fomos, observamos as outras pessoas, para saber onde pegamos a comida, onde é feito o pagamento, etc. 

O contato visual é pré-requisito, por exemplo, da fala funcional, e o prejuízo nessa habilidade pode prejudicar inclusive seu desenvolvimento cognitivo.

 

O contato visual é a principal chave para a comunicação e interação social. Afinal, normalmente é somente após fixar o olhar que a criança fica atenta ao que vamos falar.

O Modelo Denver apresenta maneiras muito menos invasivas de trabalhar com o olhar. Por esta razão, é importante seguir as seguintes dicas na Rotina:

1) DIMINUIR A FREQUÊNCIA DO CHAMADO 

2) ASSOCIAR O NOME A MOMENTOS RECOMPENSADORES - evitar negações quando usar o nome, chamar apenas em momentos prazerosos, por exemplo, quando for dar um biscoito, brinquedos, etc. Mas evite usar somente nessas situações, para não achar que receberá sempre algo em troca.

3) BRINCADEIRAS SENSÓRIO-SOCIAIS, ou seja, jogos físicos que envolvem os sentidos (Modelo Denver) - Bem no auge na brincadeira, quando a criança olhar, volte a fazer cócegas!​

4) PROLONGAR A ÚLTIMA VOGAL DO NOME.

TROCA DE TURNO

TROCA DE TURNOS. É importante treinar a troca de turnos para, por exemplo, saber num diálogo qual a hora que cada um deve FALAR.

 

De acordo com o Modelo Denver, para treinar a TROCA DE TURNOS (ou tomada de vez) com OBJETOS, deixe a criança brincar de 1 a 2 min e, inicialmente seja rápido, tire o brinquedo da criança dizendo: “- Minha vez!”, e imediatamente devolva dizendo: “- Sua vez!” Se a criança resistir, você pode fazer a troca com algo de seu interesse. Ainda que haja uma antipatia inicial, insista e vá aumentando o tempo de troca, assim que a começar a entender!

 

Nas ROTINAS SOCIAIS SENSORIAIS, faça revezamento entre a rotina do adulto e o ato comunicativo da criança. 

COMANDO (3 ao dia)

Os COMANDOS são um dos principais programas para o tratamento do autismo, pois é uma grande via de aprendizado, então interfere na capacidade de aprender. Precisamos então estimular o atendimento de comandos. 

Além disso, é um pré-requisito para que a fala funcional aconteça, pois precisamos fazer a discriminação auditiva antes de falar, assim como precisamos engatinhar antes de andar.  Por esta razão, é primordial trabalhar comandos com a criança, pedindo que faça algo fora do usual e fazendo cumprir com a ajuda necessária, como, por exemplo: me dê a colher.

Além disso, é importante que a criança aprenda a entender e atender nossos comandos para preparar-se para a vida cotidiana. Na escola, por exemplo, a professora dá o comando: "vamos fazer uma roda!". E se a criança corre para a rua, é importante atender nosso comando para parar, etc. Para isso, é necessário realizar um treinamento no método ABA.

EXEMPLOS DE VARIANTES DE ACORDO COM A EVOLUÇÃO DA CRIANÇA:

1) Comando Simples: inicialmente o comando deve ser simples, como por exemplo: "dá um abraço".

2) Comando Duplo: Exemplo: "pega o carrinho e leva na cama" (quando o carrinho e a cama estiverem perto).

3) Comando à Distância: Exemplo: "Pega o telefone no quarto da mamãe".

4) Comando Duplo à Distância: Exemplo" "pega a colher (na cozinha) e leva na mesa". 

5) Generalizar o Comando: uma pessoa mais estranha deve determinar os comandos para generalizar.

JOGOS E BRINCADEIRAS (2 ao dia)

Além de preparar para interação, os jogos e brincadeiras melhoram a concentração.

 

Aproveite para trabalhar a escolha (qual você quer brincar?), ganhar e perder (não ganha reforço quando perde) e a concentração.

 

Escolha pelo menos 1 jogo por dia.

Seguem alguns exemplos:

* Quebra-Cabeça (alfabetização => Quebra-Cabeça Silábico)

* Dominó

* Jogo da Memória

* Dentes do Jacaré

* Porquinho Comilão

* Lince

* Sombras do Backyardigans

* O Mestre Mandou

* Pula-Pirata

* Bola (jogar, rolar, cesta, gol, etc.)

* Brincar de pegar

* Brincar de imitar a criança com brinquedo igual ao da criança, copiar seus movimentos)

* Soprar bolhas de sabão

* Surpresa - colocar objetos dentro de uma caixa e retirando com surpresa ou esconder pela casa

* Brincar com bonecos e fantoches, fazendo diálogos 

* Esconde-esconde

APONTAR (3 ao dia)

Quando dividimos experiências, costumamos apontar objetos... 

Para desenvolver esta capacidade, dê o COMANDO, pedindo para a criança apontar um objeto, dando a AJUDA necessária e o REFORÇO ao final. Na PRIMEIRA VEZ que você pedir para apontar CADA OBJETO, faça com que a criança ENCOSTE no mesmo, segurando seu dedo indicador. Após compreendido o nome do objeto, repita fazendo apontar a uma pequena distância. Repita diversas vezes (3 vezes para cada objeto) até que o faça sem ajuda. 

AJUDA TOTAL - Leve a criança ao objeto, encostando seu dedo indicador.

AJUDA LEVE - Segure seu dedo indicador, apontando para o objeto solicitado.

IMITAÇÃO DENVER (mínimo 3 por dia)

A imitação é um dos mais importantes programas para o tratamento do autismo, pois é uma grande via de aprendizado. Afinal, aprendemos uma série de coisas observando e imitando, como por exemplo, a falar. Até mesmo adultos aprendem por observação e imitação, pois é observando e imitando que podemos dirigir numa cidade nova, ou ao chegarmos a um restaurante que nunca fomos, observamos as outras pessoas, para saber onde pegamos a comida, onde é feito o pagamento, etc.

A imitação é, portanto, pré-requisito da linguagem verbal e decisiva no desenvolvimento cognitivo.  

Os neurônios-espelho são os responsáveis por essa forma de aprendizado, e pessoas com autismo têm sua atividade reduzida.​ Por esta razão, via de regra, as crianças com autismo não repetem o que fazemos. 

Exercícios de IMITAÇÃO estimulam a atividade dos neurônios-espelho e desenvolvem o aprendizado em todos os sentidos, como a linguagem, a interação social, regras sociais, etc.

O Modelo Denver de Intervenção Precoce apresenta uma forma naturalista de estimular a imitação. Você primeiro tem que engajar com a criança, imitar 3 vezes o que ela estiver fazendo e então propor uma variável para ela imitar, dando, se necessário, um suporte do menor para o maior, ou seja, ajuda verbal, gestual e física. 

 

Para entender melhor, clique no link abaixo:

IMITAÇÃO ABA Clássico - Tentativas Discretas (3 por dia)

Recomenda-se fazer a imitação de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce. Por isso, leia o link anterior antes de entrar neste.

A imitação é um dos mais importantes programas para o tratamento do autismo, pois é uma grande via de aprendizado. Afinal, aprendemos uma série de coisas observando e imitando, como por exemplo, a falar. Até mesmo adultos aprendem por observação e imitação, pois é observando e imitando que podemos dirigir numa cidade nova, ou ao chegarmos a um restaurante que nunca fomos, observamos as outras pessoas, para saber onde pegamos a comida, onde é feito o pagamento, etc. A imitação é, portanto, pré-requisito da linguagem verbal e decisiva no desenvolvimento cognitivo. 

Os neurônios-espelho são os responsáveis por essa forma de aprendizado, e pessoas com autismo têm sua atividade reduzida.​ Por esta razão, via de regra, as crianças com autismo não repetem o que fazemos. Exercícios de IMITAÇÃO estimulam, portanto, a atividade dos neurônios-espelho e desenvolvem o aprendizado em todos os sentidos, como a linguagem, a interação social, regras sociais, etc.

=> ATENÇÃO: A IMITAÇÃO DEVE SER SEM A DICA VERBAL, pois com a dica verbal seria seguimento de comandos. A criança deve fazer igual só observando.

AVALIAÇÃO:

Para avaliar se a criança sabe imitar passe da etapa mais fácil até a mais difícil, na ordem abaixo:

1. Comando simples:

a) uma ação motora grossa com objeto visível. Ex. pego 2 carrinhos. Fico com um para mim e entrego outro para criança dizendo: "faz igual". Ando com o meu carrinho pra frente e pra trás e peço que a criança faça o mesmo.  

b) uma ação motora grossa sem objeto visível (que ela possa ver). Ex. Digo: "faz igual"e bato palmas, dar tchau, mandar beijo.

c) uma ação invisível com ou sem objeto. Ex. Digo: "faz igual" e coloco as mãos na cabeça (para fazer igual a criança não consegue enxergar as próprias mãos, por isso é denominada invisível).

2. Se a criança imita 2 sequências de ações visíveis ou invisíveis. Ex. pegar uma peça em encaixar.

3. Imitar uma coreografia de música. Ex. Pintinho amarelinho.

=> Repita o exercício 10 vezes. Se a criança fizer na hora que eu pedir para fazer igual 80% das vezes, passe para a próxima etapa.

Na primeira etapa, faça exercícios simples de imitação.

1) Busque o OLHAR da criança, 

2) Dê o COMANDO "faz igual",

3) Faça o gesto para ser imitado,

4) Dê a AJUDA necessária (que pode ser realizada por outra pessoa por trás, que atue como "sombra", ou pelo próprio aplicador).

5) Dê o REFORÇO (mesmo que a ajuda tenha sido total). Neste caso, o reforço foi assistir um vídeo que ele gostava.

6) REPITA o exercício 5 vezes ao dia, todos os dias, até que consiga realizar a imitação sem nenhuma ajuda. E então faça um gesto diferente (como, por exemplo, tapar os olhos com as mãos, bater palmas, abrir e fechar as mãos, etc.), e RECOMECE novamente até que o faça sem ajuda, e assim por diante. 

=> Assim que a primeira etapa de imitação simples ficar fácil, passe para uma segunda etapa, pedindo para fazer igual aos seguintes vídeos:

Aplicativo: Pocoyo

Um dica é fazer na frente do espelho e com ajuda física se necessário (total / leve / sem ajuda).

Youtube: Coelho Sabido 

FLEXIBILIDADE MENTAL (1 por dia)

Crianças com AUTISMO têm muita dificuldade de fazer as coisas de forma diferente do padrão. Para aumentar o desafio e preparar o cérebro para frases negativas e melhorar a flexibilidade mental, faça atividades de:

1) EXCLUSÃO, como, por exemplo, pedir para criança guardar todos os legos, menos os azuis!

2) FAZER DIFERENTE - Montar um brinquedo de empillhar numa ordem diferente, etc. 

ATIVIDADE FÍSICA (1 por dia)

Praticar atividades físicas regularmente é também tratamento para o autismo, pois estimula a socialização, troca de turnos, desenvolvimento motor, coordenação motora fina, etc. 

* Natação

* Bolas

* Parquinho

* Ninho de Gato

* Lutas (sem machuca)

* Psicomotricidade

9) Atividade em Circuito 

SUBSTITUIÇÃO MOVIMENTO ESTERIOTIPADO

De acordo com o DSM-V, Esteriotipias são definidas como "Perturbação de Movimentos Esteriotipados". Trata-se de um determinado comportamento motor com caráter repetitivo, aparentemente impulsivo e sem motivo. Estes comportamentos são, no geral, movimentos ritmados da cabeça, mãos ou do corpo sem uma óbvia função.

Podemos reduzir as esteriotipias quando encontramos algum comportamento que atenda àquela estimulação sensorial semelhante, mas que tenha caráter social aceito.

 

Por exemplo, se a criança tem a esteriotipia de balançar as mãos, faça constantemente atividades com a criança de arremessar uma bola, fazendo assim um movimento similar, que não vai causar nenhuma repulsa social que pode ser prejudicial à pessoa com autismo, que com isso pode sofrer bullying, etc.

COORDENAÇÃO MOTORA FINA (1 por dia)

O diagnóstico de Autismo não inclui atrasos ou deficiências no desenvolvimento motor ou nas habilidades de coordenação motora fina. Porém, essa característica é muito comum entre crianças e adolescentes com TEA.

Para treinar esta habilidade, seguem algumas sugestões que devem ser realizadas de acordo com a evolução da criança (dê a AJUDA necessária) 

1) Pegar objetos com pegador de macarrão / gelo

2) Conta-cotas

3) Atividades com grampo de varal

4) Palitos de dentes e massinha

5) Giz grosso para iniciar

6) Desenhar em livros ou lousas 

7) Limitar o espaço para pintar numa cartolina

8) Ligar pontos 

9) Abrir e fechar zíper

10) Fazer pulseira

11) Prender clips

12) Colocar moedas no cofrinho

13) Amarrar o tênis

14) Aplicativos

15) Calculadora

16) Skate (deitado com o peito sobre o skate)

17) Brinquedos com manivela

Para saber mais, clique no link abaixo:

SENSORIAL (1 de cada por dia)

A Alteração Sensorial acomete 90% (noventa por cento) das pessoas com autismo. Inclusive as alterações sensoriais foram incluídas como critério no diagnóstico de autismo.

Seguem então algumas sugestões de atividades:

 

1) TÁTIL 

Você deve fazer com a criança pegue, manipule, passe em seus pés, na perna, no rosto, etc. Se no início for muito difícil, o faça com uma distração, como assistir um vídeo, por exemplo.

Materiais recomendados:

* Massinha

* Sagu

* Areia

* Papel crepom

* Algodão

* Massinha Play Dough

* Espuma

* Fubá

* Cola

* Tinta

* Geleca 

​* Creme hidratante

* Diferentes temperaturas (quente e frio) 

* água, terra, grama, argila

* Tomar banho de espuma e brincar com bolinhas de sabão (estourar).

* Rolar ou rastejar em tapetes e outras diferentes superfícies.

* Brincar com brinquedos que vibram.

* Pular em piscina de bolinhas.

* Apertar, puxar, espremer, abrir, fechar brinquedos, etc.

* Receitas culinárias

2) AUDITIVA

* Ouvir músicas alta (clássica para acalmar ou alta e agitada para agitar).

* Usar fones de ouvido. 

* Brincar com instrumentos musicais, cantar.

* Ler para criança uma história com voz diferente.

3) OLFATIVA E ORAL 

* Mastigar e saborear alimentos de diferentes texturas e sabores (líquido, pastoso, sólido, doce, salgado, amargo). 

Para relaxar:

a) crocante (pretzel, maçã, barra de granola, torrada),

b) borrachudo (bala, alcaçuz, bala de goma, uva passa),

c) Chupar: sugar com canudo e soprar fazendo bolhas no copo, chupeta. 

Para ficar alerta:

a) azedo (suco de limão, balas azedas, picles, batata chips de sal e vinagre),

b) picante (balas de pimenta, temperos picantes, spray para o hálito).

Macios: banana, pudim.

Gelados (picolé, colheres de metal).

* Soprar (flauta, apito, assobio, corneta, fazer bolhas de sabão, enxer balões),

* Lamber,

* Morder (objetos de borracha, chicletes (se não engolir) e canudos),

* Diferentes cheiros,

* Escovar os dentes,

* Triturar,

* Puxar macarrão.

4) VISUAL

* garrafas sensoriais

* jogos de cores

* brincar de esconder com lanterna

* desenho, pintura, colagem, labirinto

* Aitvidades como "Onde está o Wally?"

5) VESTIBULAR 

O sistema vestibular informa nosso cérebro sobre movimento e gravidade e tem a ver com equilíbrio,  controle de movimento. 

* Bola de pilates - pular sentado e rolar sobre a bola.

* Balançar a criança em um lençol e depois jogar em uma superfície macia (cama).

* Parquinho: balanço, escorregador, gangorra, gira-gira, carrossel, etc.

* Balançar em redes ou cadeiras de balanço.

* Colocar a criança sentada em um lençol e puxá-la.

* Empurrar a criança em um carrinho.

* Sentar em cadeira giratória e girar.

* Fazer atividades com skate.

* Pular em cama elástica.

* Fazer polichinelos, pulos de coelho, amarelinha.

* "Dirigir" brinquedos (carros, motos, etc.).

6) PROPRIOCEPÇÃO

O órgão receptor do sistema proprioceptivo está em todos os nossos músculos, em todas as nossas articulações, do corpo inteiro. A Propriocepção é a consciência corporal (podemos movimentar nosso corpo mesmo de olhos fechados), e sabemos como está nosso corpo em relação ao espaço.  

Os estímulos sensoriais proprioceptivos consistem em brincadeiras que envolvem o uso de força, como por exemplo:

* Bola de pilates - deitar em cima, balançando para frente e para trás ou pressionar a criança com a bola levemente sobre o estômago.

* Andar de quatro (aplicar força para baixo sobre os ombros e quadris).

* Pular como sapo.

* Carrinho de mão.

* Cabo de guerra.

* Rolar no chão enrolado em um cobertor.

* Pular na cama elástica.

* Puxar ou empurrar objetos pesados pelo chão.

* Luta - resistir aos movimentos da criança enquanto ela se move.

* Massagens usando pressão profunda com as palmas das mãos.

* Atividades de suspensão (nas barras de playgrounds).

* Coletes pesados (vestir por aproximadamente 20 minutos => você pode fazer com 1kg de arroz e uma regata, por exemplo. Veja foto).

* Mover brinquedos de dirigir com os pés.

* Subir escadas ou montanhas de travesseiros e escorregar depois.

* Puxar enrolado em um cobertor.

LINGUAGEM - MÚSICAS (nas horas vagas)

A música é uma ferramenta incrível para estimular a linguagem. No início da verbalização, quanto menos complexa a letra das músicas, melhor! É importante cantar junto para estimula-los a cantar também! Deixe músicas infantis tocando o dia inteiro, no caminho para a escola, durante as brincadeiras, etc. 

VÍDEOS 

Para ampliar o vocabulário, apresente os vídeos do link abaixo várias vezes, lendo e cantando junto. Pessoas com autismo normalmente são muito visuais, como afirma Temple Grandin no livro Thinking in Pictures (Pensando por Imagens). Por esta razão costumam prestar mais atenção em vídeos e ilustrações. Depois vá mostrando também os respectivos objetos na rotina, nomeando-os um a um de forma pausada e clara, fazendo com que a criança observe os movimentos de sua boca, até que inclua em seu repertório. 

LINGUAGEM - HISTÓRIAS (1x por dia / 1 história por semana)

A cada semana comece uma história e repita ele todos os dias, durante uma semana, para que a criança assimile e participe o máximo possível! 

Numa fase inicial só ler para criança, com poucas palavras, usando a regra do mais 1 - para crianças que não falam nenhuma palavra, fale usando apenas uma palavra ex. "árvore": mostrando a árvore da história. Se a criança fala uma palavra, use juntando 2 palavras ex. árvore verde; e assim por diante. 

Para crianças que já estão com a linguagem mais desenvolvida, nos primeiros dias da semana contar história com o livro na mão, apontando para os objetos, fazendo depois as seguintes perguntas:

* Quem é / o que é? 

* Quantos tem? (Dicas: dar os objetos em sua mão e ir contando. Contar e falar mais alto o número final.

 

Na segunda etapa, contar com os dedos da criança).

* Qual a cor? 

* Onde está? (no céu, na floresta, no mar, etc.)

Nos últimos dias da semana, peça para a criança contar a história do seu jeito.

LINGUAGEM - SUJEITO (3 por dia)

Usando imagens de um livro, revista, etc. como dica visual, perguntar:

"O pirata está no barco. Está no barco o...?"

LINGUAGEM RECEPTIVA - ENTREGAR PERSONAGENS (1 por dia)

Tire cópia de personagens de um livro.

Conte a história e faça com que a criança lhe entregue os respectivos personagens à medida que você for mencionando cada um deles. Por exemplo: "O macaco acordou!" Na hora em que você falar sobre o macaco, faça com que a criança entregue a cópia do macaco para você!

Sugestão: Deixe uma bandeja os personagens à vista da criança. 

Veja o exemplo ao lado, que tiramos cópia do macaco e do jacaré.

LINGUAGEM - SEQUÊNCIA LÓGICA (1 por dia)

Numa etapa mais avançada de linguagem, peça para a criança contar a história de acordo com a sequência lógica, dando a ajuda necessária. 

LINGUAGEM - O QUE ACONTECEU (1 por dia)

Fazê-lo relatar acontecimentos.

Ex. Deixar algo cair no chão e perguntar: -" O que houve?"

 

Dê a ajuda necessária se necessário.

LINGUAGEM - INFERÊNCIAS (3 por dia)

Já numa etapa bem avançada de linguagem, peça para a criança interpretar imagens. Na imagem ao lado, por exemplo, a interpretação poderia ser "a moça está com fome!" ou "a moça está pegando comida na geladeira". 

Veja exemplos de imagens nos Apps

* Super Duper

* Understanding Inferences

* What are They Thinking

HABILIDADES - 1 por Dia

* Permanecer sentado 

* Aprender as Letras e Números 

ATIVIDADES - 1 por semana

* Colagens, etc. 

AVD'S - ATIVIDADES DA VIDA DIÁRIA

A prioridade no tratamento no Tratamento do Autismo deve ser sempre a independência, é importante que a criança aprenda a usar o banheiro, tomar banho, escovar os dentes, enfim, adquirir independência para as Atividades da Vida Diária. 

PREPARAÇÃO ESCOLA

Treino de habilidades para escola, como permanecer sentado, Alfabetização, matemática, etc.

Please reload

EXEMPLOS ROTEIROS SEMANAIS 

EXEMPLO 1 - PLANILHA AVANÇADA MATHEUS

 

Veja um EXEMPLO do Roteiro que elaborei para o Matheus, já numa etapa bem AVANÇADA: 

EXEMPLO 2 - PLANILHA INTERMEDIÁRIA CECÍLIA

Segue um exemplo de Roteiro Semanal que a mamãe Cineres Lemos do IG @minha_doce_cecilia03 elaborou para Cecília. Para acessá-la na íntegra, clique no arquivo XLS abaixo:

EXEMPLO 3 - PLANILHA EXCEL MAMÃE PATRÍCIA 

Para facilitar a execução do Roteiro em casa, a mamãe Patrícia da Bahia, do IG @patxibitess elaborou uma planilha do Excel com a discriminação de exercícios. Veja o exemplo de uma página da planilha abaixo e o link da mesma a seguir (altere o item de acordo com o tema (Ex. Imitar - circulado em vermelho): 

CRIE SEU ROTEIRO AQUI

Sugerimos então que você acesse os arquivos Excel dos exemplos 02 ou 03 (clique nos links abaixo), para criar seu próprio roteiro, que pode ser elaborado com base nos links de cada ítem acima (olhar, comando, etc).

 

Você clica nos links para saber como colocar cada ítem em prática, sempre iniciando com a varíavel mais fácil  e aumentando a dificuldade à medida que for ficando fácil para a criança. Por exemplo, no início, no ítem OLHAR, o objetivo é apenas que a a criança cruze o olhar com seu. Numa etapa mais avaçada, o objetivo será manter o contato visual por mais tempo, ou atender ao chamado de costas, etc. 

LEITURA OBRIGATÓRIA e CURSOS INDICADOS 

Para realizar estímulos em casa, é altamente recomendável a leitura das obras abaixo. (Saliento que não ganho nada com isso, indico porque realmente acredito ser extremamente importante):

O livro SOS Autismo é leitura obrigatória para quem quer entender o Autismo e como lidar com ele, de forma simples e clara.

Caso você queira se aprofundar mais, segue indicação de mais livros importantes.

Modelo Denver (link resumo acima). Este livro dá o passo-a-passo de como os pais devem estimular a linguagem e trabalhar com outros comportamentos. 

Sem dúvidas você estará muito mais preparado se realizar um curso com a maior especialista do país, Mayra Gaiato. 

Como divulgou a mamãe Catherine do IG @apontandoparaofuturo.autism:

 

"Dividindo com vcs um estudo que fala no que a gente acredita, na importância dos pais no desenvolvimento das nossas crianças com autismo. (...)

O estudo é focado em crianças com nível avançado de autismo, que muitas vezes não conseguem se comunicar com os pais. Segundo especialistas, os resultados do treinamento sugerido na pesquisa são "extremamente animadores".


Nele, os pais assistiram a imagens gravadas de si mesmos brincando com seus filhos enquanto especialistas davam dicas sobre como ajudar as crianças a se comunicarem. "O que é impressionante é o retorno", diz Louisa Harrison, que passou pelo treinamento e acompanhou uma enorme mudança em seu filho Frank.


"Você sente como se estivesse sendo realmente treinada por essas pessoas que confiam no seu julgamento sobre o que funciona com a criança." Para o principal autor do relatório, Jonathan Green, professor de psiquiatria da Universidade de Manchester, os resultados são "extraordinários".


No entanto, Green sublinhou que não é uma cura. "As crianças que demonstraram melhoria continuaram com outros sintomas de autismo", disse à BBC.


O que o estudo apontou é que trabalhar com os pais pode trazer resultados a longo prazo, segundo o psiquiatra. "Sugere que o que eles conseguiram implantar na família foi mantido até mesmo depois do tratamento, o que é bastante promissor." O objetivo dos pesquisadores era simples: melhorar os cuidados dos pais para melhorar as habilidades sociais da criança.


"Nós pegamos a interação dos pais com a criança e a levamos para um nível 'super'", disse Catherine Aldred, terapeuta e consultora de linguagem e fala. "Essas crianças precisam de algo além de 'bom o bastante', elas precisam de algo excepcional." .
 

A Importância do Envolvimento dos Pais no Tratamento
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com