8 PASSOS DA LINGUAGEM VERBAL

8 PASSOS COMP. VERBAL

Mayra Gaiato

Nossa querida mestre Mayra Gaiato criou um Modelo dos 8 PASSOS do COMPORTAMENTO VERBAL, afim de estimular a linguagem da criança de acordo com cada fase de seu desenvolvimento. 


1o Passo - Emissão de som qualquer (dica visual + verbal).


2o Passo - Repetir o que ensinamos, com sons aproximados ao modelo que falamos (dica visual + verbal)
Só aceito, ou seja, só reforço, quando a criança falar algo próximo ao meu modelo. 
É pré-requisito para esta fase que a criança faça antes IMITAÇÃO MOTORA e antes disso, CONTATO VISUAL. E para modelar este som, tem que saber também seguir COMANDOS.  


3o Passo - Continuo dando a dica visual, mas tiro um pedacinho da dica verbal (para criança completar), diminuindo cada vez mais. 

4o Passo - dou a dica visual e a criança fala o nome referente àquilo. 


5o Passo - Dica tátil e digo as funções ou características do objeto (caixa mágica). Depois tiro a dica tátil (O Que É? O Que É?).


6o Passo - Formar frases com ajuda visual de várias figuras de Sequência Lógica (menino chutou bola).


7o Passo - Formar frases com ajuda visual de uma figura só (menina no chão machucada caída no chão ao lado de uma bicicleta). 
Pré-requisito: reconhecer as expressões faciais. 


8o Passo - Relato de eventos passados. 
 

Please reload

Para saber como treinar o pré-requisito do 2o passo, a IMITAÇÃO, clique no link abaixo. 

Para saber como treinar o pré-requisito também do 2o passo, o CONTATO VISUAL, clique no link abaixo. 

Para saber como treinar mais um pré-requisito do 2o passo, ou seja, atender aos COMANDOS, clique no link abaixo. 

Para saber como iniciar o 5o passo da linguagem, escondendo objetos e falando as características dos mesmos para a criança descobrir, clique abaixo. 

Para saber como colocar em prática o 6o passo da linguagem, clique abaixo. 

Para saber como colocar em prática o 7o passo da linguagem, clique abaixo. 

Para saber como ensinar o pré-requisito do 7o passo da linguagem, clique abaixo. 

Please reload

7 Níveis de Competências Comunicativas

 

Conforme vídeo acima, do canal do Youtube Uma Voz para o Autismo, a mãe Marie Dorión Schenk explica que há 7 Níveis de Competências Comunicativas e que há 7 Níveis de Competências Comunicativas e que no caso de crianças com Autismo, há uma desordem nesse desenvolvimento. 


Explica que há 3 PROPÓSITOS englobados na COMUNICAÇÃO INSTRUMENTAL:

 

1o) Primeiro a gente se comunica para RECUSAR algo, já nos primeiros estágios da comunicação do bebê, ele demonstra que não quer a sopinha, por exemplo. 

2o) Para PEDIR algo (apontando, falando dá…)

3o) Para pedir INFORMAÇÕES (onde está meu carrinho?) 

E que o propósito máximo do ser humano é a COMUNICAÇÃO SOCIAL, onde nos comunicamos com o objetivo de nos relacionar com as outras pessoas e que esta é a grande dificuldade das pessoas com Autismo. 

Divide a COMPETÊNCIA COMUNICATIVA em 7 níveis:

1o) A COMUNICAÇÃO PRÉ-INTENCIONAL: o bebê chora e todas as pessoas tentam adivinhar o que está acontecendo para resolver o problema. Muitas crianças ficam presas nesse estágio comunicativo, onde eles choram ou reclamam e alguém descobre o que estou sentindo. Quando temos uma criança com mais de 2 anos e ela está presa nesse estágio, precisamos ajuda-la a passar para o estágio seguinte e a única maneira de fazer isso é não validar o choro como comunicação. Pois enquanto validarem, o cérebro não vai procurar outras maneiras de se comunicar e aprender a realizar uma comunicação intencional, seja por gestos, figuras, olhar, etc. Se ficou preso nesse nível de comunicação, precisamos não validar o choro como comunicação, ainda que seja muito desafiador para os pais fazê-lo. 

2o) COMPORTAMENTO INTENCIONAL, mas SEM INTENCIONALIDADE COMUNICATIVA, ou seja, não é direcionado a uma pessoa. Não tem contato visual e não espera pela resposta. Por exemplo, pede água e sai correndo, não espere que alguém pegue e dê para ela. Explica que nessa fase é muito importante trabalhar o contato visual, para que entenda que nos comunicamos com alguém e que esperamos uma reação. E explica que o contato visual só está bom quando se torna um reflexo, quando a criança toma consciência de que tem que olhar para obter uma resposta e o faz de forma automática.

Explica que essa é a grande importância do sistema PECS de troca de figuras, porque a criança deixa de se comunicar com o “além” e começa a entender que é necessário se comunicar (trocar imagens) com outra pessoa (OBS. Métodos mais naturalísticos recomendam o uso de PEC’s apenas como última alternativa de comunicação). Para sair desse estágio, é necessário entender que preciso ir até o outro, que o outro é intermediário daquilo que eu quero. 

 

3o) COMUNICAÇÃO NÃO-CONVENCIONAL: Já é intencional, mas são gestos e ações com a intenção de se comunicar, mas que não são socialmente aceitas. Por exemplo, querem ir embora e pegam nossa bolsa e vão saindo pela porta, querendo dizer que querem ir embora, ou estereotipais. 

 

4o) COMUNICAÇÃO CONVENCIONAL: com o uso de gestos, qualquer movimento que lembre o que quer se comunicar. Entender que eles têm que vir até nós (pode ser treinado com outra pessoa fazendo a criança vir até nós para se comunicar). 

 

5o) SIMBÓLICO CONCRETO: Chama o trem de tchau-tchu, o cachorro de au-au, a galinha de cócó.

 

6o) SÍMBOLOS ABSTRATOS: Quando nomeia os objetos (não existe justificativa para chamar trem de trem - o tchutchu sim, porque o barulho lembra…). No nível 6 devemos usar palavras mais claras e nÃo uma grande quantidade. Usar uma palavra por vez ou usando menos palavras, até que entendam o sentido de cada coisa. E devemos dizer ao invés de perguntar (pegue o sapato, ao invés de você quer pegar seu sapato?)

 

7o) Língua: a cognição das palavras, seguindo as normas sintáticas. 

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com