OLHAR

O contato visual é um dos mais importantes programas para o tratamento do autismo, pois é a primeira forma de comunicação e interação social humana. Já nos primeiros dias de vida, o bebê faz contato visual com as pessoas que os cercam, mas isso pode não acontecer no autismo.

Acontece que a observação e imitação é uma grande via de aprendizado. Afinal, aprendemos uma série de coisas observando e imitando, como por exemplo, a falar. Até mesmo adultos aprendem por observação e imitação, pois é observando e imitando que podemos dirigir numa cidade nova, ou ao chegarmos a um restaurante que nunca fomos, observamos as outras pessoas, para saber onde pegamos a comida, onde é feito o pagamento, etc. 

 

A falta de contato visual é, portanto, uma característica decisiva em muitas pessoas no TEA e é importante requisito a ser trabalhado, pois uma das maiores vias de aprendizado se dá por OBSERVAÇÃO e IMITAÇÃO, que é como aprendemos a falar, a agir, entender regras sociais e uma infinidade de coisas todos os dias.

 

O contato visual é, portanto, pré-requisito da linguagem verbal e decisivo no desenvolvimento cognitivo.

Portanto, é imprescindível promover o estímulo do contato visual na pessoa com autismo, pois, além de ser primordial para o desenvolvimento da sua comunicação e interação, caso não mantenha  contato visual, perderá uma série de oportunidades de aprendizado, afetando portanto também no seu desenvolvimento cognitivo.

Para que a criança olhe para nós quando a chamamos pelo nome, a melhor forma é fazendo com que associe isso a algo bom, como explicamos na imagem e descrição abaixo.

 

Além disso, para melhorar o contato visual na rotina, assim como tudo na vida, a melhor maneira de uma criança aprender, é brincando. No entanto, crianças com TEA têm dificuldade de interagir. Foi pensando nisso que o Modelo Denver de Intervenção Precoce criou um passo a passo de como fazê-lo. Assim você pode aplicar o programa abaixo dentro das brincadeiras, como explicamos no link da imagem seguinte.

 

Confira nos vídeos Autistólogos abaixo um resumo de como podemos atrair o olhar da criança de forma naturalista, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce, ou seja:

1) Associando o chamado a algo positivo,

2) Através das Rotinas Sensório-Sociais e

3) Através das brincadeiras, seguindo a liderança da criança.

MODELO DENVER / ATENDER AO CHAMADO E OLHAR

O Modelo Denver apresentar formas bem menos invasivas para atender ao chamado e olhar. 

Seguem dicas da mamãe Camila Amaral @ca.amarall, que está recebendo treinamento do Modelo Denver de Intervenção Precoce. 

Após seguir este passo-a-passo, a mamãe Camila relata que o Heitor começou a atender ao chamado até mesmo à distância!

1) DIMINUIR A FREQUÊNCIA DO CHAMADO - passou a falar o nome dele somente quando tinha certeza que ele iria olha-la! (Antes o chamava o tempo todo e o sentido do nome estava se perdendo).

2) ASSOCIAR O NOME A MOMENTOS RECOMPENSADORES - passou a evitar negações quando usa o nome, chamando-o apenas em momentos prazerosos, por exemplo, quando fosse entregar a mamadeira, biscoito, brinquedos, etc. Apenas evitava usar somente nessas situações, para ele não achar que receberia sempre algo em troca (às vezes chama apenas para cobri-lo de beijos, por exemplo!)

3) CÓCEGAS - a brincadeira ajudou muito! Faz uma pausa de 5 segundos e, bem no auge na brincadeira, quando ele olha para ela, fala o nome dele e volta a fazer cócegas!

4) PROLONGAR A ÚLTIMA VOGAL DO NOME - passou a chamá-lo com bastante ênfase na última vogal e bem cantado - “Heitoooooor!”

E assim ele começou a atender ao chamado! Parabééééns, mamãe! 

Para saber mais sobre o Modelo Denver, acesse nosso link do site abaixo:

Please reload

ROTINAS SENSORIAIS SOCIAIS

➡️ Descubra quais as ATIVIDADES que envolvem os SENTIDOS que atraem mais a atenção do seu filho e que provoquem grandes SORRISOS (alguns exemplos nas imagens). São atividades em que as crianças dependem de nós para fazer.

✅ Mas ATENÇÃO, aproveite para estimular a interação e comunicação: repita 2 ou 3 vezes e no AUGE da diversão, como se fosse continuar, faça uma PAUSA dramática, olhe pra ele demonstrando que espera algo e aguarde algum SINAL COMUNICATIVO de seu filho para continuar imediatamente! Qualqueeeer gesto, som ou movimento corporal vale! Assim você estará estimulando a Linguagem NÃO-VERBAL, que é pré-requisito da FALA FUNCIONAL.

 

➡️ Coloque em prática TODOS os DIAS para estimular a interação

 

➡️ E lembre de ir DIMINUINDO a DIVERSÃO e terminar a brincadeira ANTES de ficar MONÓTONA, deixando sempre um gostinho de “quero mais”!

 

➡️ Para saber mais, acesse o Cap. 5 do Livro Autismo Compreender e Agir em Família, que ensina os pais a aplicar em casa o Modelo Denver de Intervenção Precoce (que é uma forma mais naturalista da ciência ABA). Para conferir um resumo do livro, acesse www.autistologos.com em ABA x DENVER / DENVER / Compreender e Agir em Família- Link Resumo do Livro. .

 

➡️ Nos cursos Mayra Gaiato @mayragaito , nossa mestre ensina essa e diversas outras técnicas de como estimular nossos filhos em casa, sempre de uma forma super leve e descontraída. Eu sei que já estão “carecas” de me ouvir falar desses cursos, mas vcs sabem, só indico porque acredito que sejam a melhor fonte de conhecimento sobre Autismo e de como lidar com esse transtorno que conheço. Na minha opinião são muito mais que úteis, são necessários! Se tiver dúvidas por onde começar, tanto para pais quanto para profissionais, o curso de AT é rápido e fácil! Suuuper-recomendo! Mais informações no site www.mayragaiato.com.br.
 

ERRO COMUNS PARA ATRAIR O OLHAR  


➡️ Um erro muito comum para atrair o olhar da criança com autismo é interromper a brincadeira da criança, sem nenhum motivo, só para treinar o contato visual. Mas se você faz isso, sua presença pode se tornar AVERSIVA para criança e o que BUSCAMOS no tratamento do autismo é precisamente o CONTRÁRIO.

➡️ INDEPENDENTE da IDADE da criança, siga as dicas do Modelo DENVER de Intervenção Precoce e:
* Mantenha uma distância confortável para criança;
* Siga a LIDERANÇA da CRIANÇA:
* Sente FRENTE à frente na altura do seu OLHAR;
* OBSERVE o que a criança está fazendo;
* NARRE o que que ela estiver fazendo com poucas palavras (regra do +1);
* IMITE o que ela estiver fazendo;
* Faça ONOMATOPEIAS (sons engraçados);

➡️ Para entender melhor, clique no link abaixo, que explica como estimular brincando. Quando você faz tudo isso, é muito provável que mesmo sem pedir, a criança faça contato visual com você, interaja e se interesse com a sua presença.

➡️ Somente quando a criança estiver bem ENGAJADA é que você pode dar uma DEMANDA, como explicamos melhor no link do item abaixo, e isso pode levar alguns dias. O ideal é que você inicialmente dê demandas dentro da própria brincadeira, e lembre de REFORÇAR IMEDIATAMENTE, voltando a fazer e imitar o que ela estiver fazendo.

 

➡️ Para entender melhor, acesse os vídeos do canal do YouTube da nossa mestre Mayra Gaiato @mayragaiato indicados nas imagens: 

download.jpg

ATRAIA O OLHAR BRINCANDO

Conforme vídeo acima, siga o passo a passo de como atrair o olhar de seu filho constantemente, através das brincadeiras, seguindo a liderança dele, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce.

 

Ao fazer sons engraçados e imitar a criança, ela naturalmente vai se divertir e fazer contato com você. Para entender melhor, clique no link abaixo:

Captura_de_Tela_2020-09-28_às_17.21.50

COMO ESTIMULAR OLHAR

Como ensina nossa mestre Mayra Gaiato:

 

"Falamos sobre as diferentes formas para conseguir mais contato visual das crianças com autismo, e também explicamos os erros mais comuns e algumas técnicas para melhorar essa questão. 💙

"Olhar no olho" é uma das coisas mais importantes para ensinarmos pra uma criança com TEA. 🧩 Conseguimos isso à partir de técnicas baseadas na ciência ABA. É a através do contato visual que conseguimos vários outros comportamentos sociais". Para assistir, clique no link abaixo:

 

OIP-21_edited.jpg

COMO ESTIMULAR: DENVER

O Modelo Denver de Intervenção Precoce apresenta uma série de estratégias para atrair o olhar da criança sem invadir seu espaço ou correr o risco de aumentar a aversão.

​É importante primeiro entender a distância social é mais confortável para seu filho, seguindo a liderança dele nas brincadeiras, fazendo sons engraçados daquilo que estiverem segurando ou olhando, por exemplo e assim atraindo seu olhar e atenção. Dê também a ajuda para criança fazer o que está fazendo e assim também atrairá a atenção e o olhar dela. 

Outra forma é através das rotinas sociais sensoriais, que são brincadeiras que envolvem os sentidos e levam à diversão da criança, como canções, jogar pra cima, fazer massagens ou cócegas. Após o seu engajamento, repita 2 a 3 vezes a brincadeira que a criança adora e no auge faça uma pausa, aguardando algum gesto comunicativo, como o contato visual por exemplo, ou qualquer outra incitação para continuar.  Para saber mais, acesse o link abaixo: 

Image-1_edited.jpg

CONTATO VISUAL

Conforme IG @sindorme_de_asperger_autismo, em repost de @anitabritooficial:

 

"A falta de contato visual é uma característica muito marcante em muitas pessoas no TEA (Transtorno do Espectro do Autismo), mas não em todas!

 

Infelizmente, ainda há profissionais de saúde, educação e familiares que acreditam que se a criança mantém contato visual é porque “ela não tem autismo”. Não é verdade, pois apesar de uma grande parcela da população com TEA apresentar essa característica, ela não pode ser usada para definir o diagnóstico. Por isso, considera-se o rastreamento do contato visual muito importante, mas não é parte fundamental para o diagnóstico de autismo.


O ato de fazer o contato visual é muito trabalhado em terapias comportamentais. É importante considerar que "olhar nos olhos" pode trazer desconforto e hiperestimulação para algumas pessoas com TEA. Porém, a falta de contato visual pode contribuir para uma comunicação deficiente.


Até o momento na nossa anamnese online, 46% das pessoas com TEA responderam que têm dificuldades de manter contato visual, enquanto a maioria, 54%, não tem. Esses números reforçam a conclusão de que o rastreamento pode ajudar no diagnóstico, mas caso a criança não apresente deficiência em manter contato visual, isto não deve ser usado para excluir o diagnóstico. 
Anita Brito é doutoranda em estudos sobre o TEA, na USP, São Paulo.
Orientadora: Dra. Patrícia Cristina Beltrão Braga

Captura_de_Tela_2020-08-03_às_15.29.06

CONTATO VISUAL

Confira o vídeo no link abaixo com dicas preciosas para atrair o olhar dp IG @papodefono:

Captura_de_Tela_2020-02-17_às_17.53.13.

RESPONDER PELO NOME

Como ensina Dani Botelho:

"Responder pelo nome

O déficit no contato visual é uma característica essencial do autismo (American Psychiatric Association, 2013). Essa deficiência é tão saliente que pode ser detectada aos 2 a 6 meses de idade em crianças que são diagnosticadas com TEA (Jones & Klin, 2013). Alguns estudos sugerem que o contato visual com outra pessoa pode ser um evento aversivo para alguns indivíduos com TEA (por exemplo, Tanaka & Sung, 2016). Mas mesmo que a criança não fique olhando para a gente por um determinado tempo (outra habilidade que só ensino naturalmente), é importante que ela saiba pelo menos responder quando o nome é chamado.

Existem várias técnicas que podemos usar para ensinar essa habilidade.
Eu, Dani Botelho, não uso contato físico pegando no rostinho da criança, existem outras técnicas que não são tão invasivas que você pode usar.

O objetivo final do programa é a criança parar o que ela está fazendo e responder quando o nome é chamado, seja falando “sim” ou simplesmente levantando o rostinho e olhando para o rosto de quem está falando.

É uma habilidade essêncial que espero que esteja sendo parte do programa ABA de vocês!"

Para assistir o vídeo, clique no link abaixo:

Image-1.png

CONTATO VISUAL

O IG @fonoanaphilipps acrescentou:

 

"O contato visual pode ser ás vezes difícil para as pessoas com Tea, mas antes de pensarmos em estimular o contato visual temos que ser atraente para conquistar seu olhar e sua atenção. Por aqui eu não cobro contato visual, eu conquisto. Crio atividades e estratégias para ser MUITO atraente para a criança ou adolescente me olhar e continuar o contato visual. Temos que lembrar que o contato visual por muitas vezes é invasivo e nós também não mantemos contato visual por tempo prolongado, buscamos outros pontos no rosto para mantermos a atenção mas dificilmente mantemos olhando olho no olho, e quando fazem isso ficamos desconfortáveis não é mesmo?!? Então não vamos cobrar, vamos dar motivos para sermos vistos e apreciados, com RESPEITO e AMOR!! Aqui vão algumas dicas para se estimular contato visual..

🌻 Pintura facial (deixe a criança pintar seu rosto, fique de frente á ela e explore a imaginação com desenhos e sons);
🌻Use e abuse de acessórios como óculos de palhaço, nariz, orelhas de mickey, fantoches, perucas.. o que for do INTERESSE da sua criança;

🌻 Use fantasias nas interações se sua criança ou adolescente permitir;
🌻 Faça teatro com bonecos ou fantoches em frente ao seus olhos;
🌻 Cante músicas do interesse da criança, abuse dos movimentos corporais e interpretação, caso a criança desvie o olhar, faça pausa e crie suspense!!! Ela voltando a olhar volte a cantar..;
🌻Cole adesivos no rosto e peça para a criança tirar;
🌻 Entregue sempre os objetos em frente ao seus olhos (você estando na mesma altura que a criança) e segure, entregue após contato visual; ✨🦋E por último e não menos importante, respeite SEMPRE sua criança ou adolescentes, tem dias que o contato visual é menor, outro maior... e está TUDO BEM! Seja motivador, seja divertido, seja amável, sua criança VAI te OLHAR quando ELA QUISER! ♥️♥️♥️✨

Image-1.png

CONTATO VISUAL

Por outro lado, afirma o IG @fatimadekwant:

 

"MITOS E VERDADES - da série: pulando fora da caixa azul.


O contato visual é um grande problema para muitas pessoas autistas. Olhar nos olhos é pessoal, é íntimo e pode ser menos fácil para os autistas, principalmente , quando os autistas estão "trabalhando duro" para entender o que o interlocutor lhes d