OLHAR

Image-1_edited.jpg

Conforme IG @sindorme_de_asperger_autismo, em repost de @anitabritooficial:

 

"A falta de contato visual é uma característica muito marcante em muitas pessoas no TEA (Transtorno do Espectro do Autismo), mas não em todas!

 

Infelizmente, ainda há profissionais de saúde, educação e familiares que acreditam que se a criança mantém contato visual é porque “ela não tem autismo”. Não é verdade, pois apesar de uma grande parcela da população com TEA apresentar essa característica, ela não pode ser usada para definir o diagnóstico. Por isso, considera-se o rastreamento do contato visual muito importante, mas não é parte fundamental para o diagnóstico de autismo.


O ato de fazer o contato visual é muito trabalhado em terapias comportamentais. É importante considerar que "olhar nos olhos" pode trazer desconforto e hiperestimulação para algumas pessoas com TEA. Porém, a falta de contato visual pode contribuir para uma comunicação deficiente.


Até o momento na nossa anamnese online, 46% das pessoas com TEA responderam que têm dificuldades de manter contato visual, enquanto a maioria, 54%, não tem. Esses números reforçam a conclusão de que o rastreamento pode ajudar no diagnóstico, mas caso a criança não apresente deficiência em manter contato visual, isto não deve ser usado para excluir o diagnóstico. 
Anita Brito é doutoranda em estudos sobre o TEA, na USP, São Paulo.
Orientadora: Dra. Patrícia Cristina Beltrão Braga

CONTATO VISUAL

Image-1.png

O IG @fonoanaphilipps acrescentou:

 

"O contato visual pode ser ás vezes difícil para as pessoas com Tea, mas antes de pensarmos em estimular o contato visual temos que ser atraente para conquistar seu olhar e sua atenção. Por aqui eu não cobro contato visual, eu conquisto. Crio atividades e estratégias para ser MUITO atraente para a criança ou adolescente me olhar e continuar o contato visual. Temos que lembrar que o contato visual por muitas vezes é invasivo e nós também não mantemos contato visual por tempo prolongado, buscamos outros pontos no rosto para mantermos a atenção mas dif