LAZER

MEIA ENTRADA 

Como explica o site www.autismolegal.com.br:

"Lei 12.764 de 27/12/2012 determinou no artigo 1º, § 2º “A pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência, para todos os efeitos legais.”

Decreto 8.537 de 05/10/2015 declara no artigo 1º “ Este Decreto regulamenta o benefício da meia-entrada para acesso a eventos artístico-culturais e esportivos por jovens de baixa renda, por estudantes e por pessoas com deficiência.”

Neste mesmo Decreto no artigo 2º, IV “acompanhante – aquele que acompanha a pessoa com deficiência, o qual pode ou não desempenhar as funções de atendente pessoal;”

Reparem que a lei não dá o direito a meia entrada somente para a pessoa deficiente. O acompanhante também tem direito ao benefício.

Como ter acesso a meia entrada para autistas

É claro que para isso será necessário apresentar uma comprovação do autismo. Portanto, recomendamos ter sempre um atestado médico simples na carteira ou uma foto no celular para apresentar caso seja solicitado. Não é necessário laudo (mesmo porque pessoas que não são da área não entendem um laudo), somente um atestado declarando que a pessoa é autista, acompanhado do numero do CID, carimbo e assinatura do médico.

Esse atestado pode ser útil em várias situações. Recomendamos sempre renovar a cada 6 meses e levar junto com os documentos da pessoa com TEA.

A meia entrada não serve somente para cinema, são “eventos artístico-culturais e esportivos”. Isso inclui por exemplo: museu, parques temáticos, shows diversos, cinemas, jogos e qualquer atividade cultural, artística e esportiva.

Lembrando que meia entrada é de acordo com o art. 7º  “O valor do ingresso de meia-entrada deve equivaler à metade do preço do ingresso cobrado para a venda ao público em geral”. Em suma, o valor que a pessoa com TEA e seu acompanhante pagarão é de 50% do valor que uma pessoa típica pagaria no balcão de compra de ingresso.

Informe-se com antecedência

É muito interessante ligar antes de ir ao local pra saber sobre ingressos para deficientes. Muitos lugares dão entrada gratuita para o deficiente e cobram 50% do acompanhante. Já fizemos isso algumas vezes e sempre vale a pena.

Caso ao telefone você receba a informação de que não existe meia entrada para o deficiente, não discuta. Quando estiver no balcão de compra do ingresso apresente o atestado. Se o atendente parecer não saber do que se trata, peça para falar com alguém da supervisão.

Tenha em mãos nosso site, pois aqui disponibilizamos todas as leis onde os direitos dos autistas estão fundados.

Como explica o site www.autismolegal.com.br:

"Como é bom passear, viajar, estar com a família. É um prazer muito grande podermos proporcionar aos nossos filhos momentos inesquecíveis. Decididamente, ir para parques temáticos no exterior talvez esteja na lista dos maiores sonhos das crianças e de nós adultos também.

Já falamos sobre os descontos para viagens de avião, caso não tenha lido ainda, vale a pena a leitura.

Antes de falarmos sobre os parques no exterior, lembramos do nosso brasileiro Beto Carrero World. É um lugar incrível para adultos e crianças onde nossos queridos autistas são respeitados como deficientes. Isso quer dizer que eles tem direito a fila especial, conforme a lei.

Se você não leu esse artigo sobre fila preferencial, vale a pena a leitura.

O início do sonho…

Depois de muitos planos, enfim conseguimos ir com nossos filhos ao destino mais sonhado, parques temáticos no exterior, principalmente nos Estados Unidos.

É um sonho para adultos e crianças onde nossos autistas são tratados com muito carinho.

É importante antes de sair de viagem solicitar um declaração médica informando que a pessoa “x” tem autismo. Essa declaração desse ser feita preferencialmente em inglês, mas caso você só tenha isso em português, não tem problema.

Na verdade, lá nos Estados Unidos, ninguém vai te pedir pra provar que a pessoa tem autismo. Sim, eles acreditam no que dizemos. Não vamos entrar na questão política, é cultura mesmo. Ali, se parte do princípio que você diz a verdade. Aqui no Brasil, infelizmente, ainda se parte do princípio que você está mentindo.

Uma coisa legal que fizemos foi imprimir em papel adesivo o símbolo do autismo, pequeno mesmo, recortamos e colamos no passaporte do nosso filho. Isso ajudou em todo o processo de embarque, imigração etc, visto que o símbolo do autismo é muito conhecido.

Se quiser baixar o símbolo do autismo, deixamos um link aqui pra vocês.

Como obter o cartão especial do autista no parque em Orlando

Assim que você chegar em qualquer parque temático, vá diretamente ao “Guest Service” ou “Guest Relations” (setor de atendimento ao cliente). Ali, você informa que está com uma pessoa que tem autismo e eles prontamente te entregam um cartão de acesso especial.

Este cartão de acesso prioritário dá direito a pessoa autista + 5 acompanhantes por todo o período que você estará no parque. Então, se você comprou o pacote de 2, 5, 10 dias, já informe e eles colocam neste cartão de acesso prioritário a data de início e fim de validade.

Nós levamos o laudo do nosso filho escaneado no celular, mas o atendente nem quis olhar, eles acreditam mesmo, é incrível! Eles só vão perguntar se a pessoa consegue andar ou se precisa de cadeira de rodas.

Aproveitando o acesso especial

Esse cartão é muito pratico, e dependendo do parque, o direito especial é concedido de uma forma diferente. Aqui descrevemos os parques que visitamos e como tivemos o acesso.

Universal Studios e Island Of Adventure

Nos parques da Universal, você recebe um cartão com espaço para preenchimento da atração e hora de retorno. Primeiramente, vá até o atendente na entrada da atração e mostre o cartão. Ele irá verificar qual o tempo de espera atual daquela atração. Se for até 30 minutos, ele irá lhe conceder acesso imediato pela fila do Fast Pass. Essa fila tem um tempo menor de espera, e as pessoas pagam pra entrar na frente. Provavelmente você irá esperar uns 10 minutos no máximo. Se o tempo de espera da atração for de mais de 30 minutos, ele marcará em seu cartão um horário para retorno (geralmente dentro de 20 a 40 minutos). Portanto, aproveite para “dar uma volta” ou curtir uma atração que esteja mais vazia. No horário marcado, você retorna, apresenta o cartão e entra pela Fast Pass.

Legoland

Nesse parque, da mesma forma, eles fornecem o Hero Pass. O nome já é um show, “Passe de Herói”. Com ele, você entra direto pela “saída” dos brinquedos. Isso mesmo! Não precisa entrar pela entrada nem pelo Fast Pass. Você vai direto pela saída e passa na frente até daqueles que compraram o Fast Pass.

Não fomos na Disney, mas pelo site descobrimos que lá esse cartão é chamado de DAS (Disability Access Service).

Só depois de utilizar esses cartões de acesso prioritário é que temos ideia do tempo que ganhamos com isso. Ainda mais em época de alta temporada.

Certamente você irá aproveitar os parques de uma forma muito tranquila, pois a criança fica na fila no máximo 30 minutos nos brinquedos mais disputados.

Enfim, menos tempo de fila é menos tempo ocioso, menos tempo de stress e um passeio muito mais divertido em família.

E você, já aproveitou algum parque com um cartão especial para pessoas com autismo? Escreva pra gente e conte sua experiência!

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com