Resumo Livro AUTISMO - Compreender e Agir em Família

RESUMO LIVRO

AUTISMO - COMPREENDER E AGIR EM FAMÍLIA

O livro Autismo - Compreender e Agir em Família, de Sally Rogers, é um manual para os pais aplicarem o modelo em casa, ensinando o passo-a-passo.

Please reload

Cap. 1 Definir o programa de intervenção precoce para o seu filho

A intervenção deve contar com a participação constante dos pais e começar o mais cedo possível! É necessário ter pelo menos 25h de intervenção estruturada por semana e basear-se nos pontos fortes e fracos da criança. 

O programa deve ser designado e supervisionado por uma equipe experiente em autismo, profissional e interdisciplinar (médico, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e, conforme o caso, terapeuta sensorial, musicalização, natação, etc).

Para saber mais sobre os Programas de Intervenção e como foi o programa do Matheus, clique no link abaixo:

Please reload

Cap. 2 Tomar conta de si e da sua família

Apos o diagnóstico, é um desafio manter as relações saudáveis e manter a família forte e unida.

Para isto, é importante promover a relação conjugal, com muito diálogo, preocupação recíproca entre o casal, manter o senso de humor, arranjar um tempo para seu relacionamento.

É importante também cuidar de si mesmo, procurando manter uma alimentação, sono e exercícios adequados, promovendo sua saúde física. Necessário também criar uma rede de apoio, cultivar a espiritualidade e procurar um profissional para aconselhamento e medicação quando necessário para manter sua saúde emocional.

O Irmão

Ao receber o diagnóstico de AUTISMO, o livro recomenda que devemos AGREGAR o IRMÃO ao TRATAMENTO, explicar o que está acontecendo e o porque o irmão precisa de tanta atenção e estímulos e ENSINAR como lidar com cada situação.

Além disso, ensina que é muito importante ter um TEMPO EXCLUSIVO com ele, ressaltando a importância de seu papel na família, o quanto o AMAMOS, dar ATENÇÃO aos seus desejos e angústias. Explicar que neste momento, a atenção pode não ser igual, mas o amor que sentimos por eles, é!

O filme Extraordinário retrata esse papel da irmã de Auggie, como muito bem comenta a equipe do Cinema com Rapadura.

Please reload

Cap. 3 Como os seus esforços iniciais podem ajudar seu filho a envolver-se com os outros e melhorar sua aprendizagem

O objetivo central é que a criança com TEA preste atenção a oportunidades de aprendizagem fundamentais como, a fala, as expressões e os gestos, e aumentar ou realçar a sua atenção para com as pessoas.

 

Cap. 4 Seja o centro das atenções - Captar a atenção do seu filho

Passo 1. Identifique o que está sob o "holofote" da atenção do seu filho (descubra objetos e brinquedos que seu filho gosta).

Passo 2. Entre no "palco; tome sua posição (posicione-se sempre frente-a-frente, ao mesmo nível do seu filho, durante as brincadeiras e cuidados, para que tenha uma visão nítida do seu rosto e olhos, possibilitando as trocas sociais e o aprendizado das expressões, padrão de olhar e da boca enquanto falamos).

Passo 3. Elimine a concorrência (repare no que distrai a criança e procure afastá-lo).

Passo 4. Identifique a zona de conforto social do seu filho (verifique qual o nível de conforto para a proximidade física com seu filho).

Passo 5. Junte-se ao seu filho seguindo a liderança dele (siga a atenção do seu filho, junte-se a ele na atividade que ele estiver exercendo, escutando, narrando, oferecendo ajuda, imitando as ações do seu filho - tomando turnos com o mesmo brinquedo ou com objeto similar).

ALIMENTO FAVORITO - ERROS COMUNS

Se você sabe que seu filho adora maçã, você oferece apenas um pedaço ou a maçã inteira?

ENTREGUE SÓ UM PEDAÇO

Aproveite as horas dos CUIDADOS para estimular seu filho. .

Para promover o CONTATO VISUAL, a INTERAÇÃO e a LINGUAGEM, posicione-se sempre à frente na hora das refeições e quando for servir seu ALIMENTO FAVORITO, entregue apenas uma pequena porção e deixe o restante visível e próximo, mas fora de seu alcance. Quando ele terminar aquela porção, ofereça mais dizendo: “quer”? “Maçã?”, dando o MODELO VERBAL do alimento. E então aguarde algum ATO COMUNICATIVO de resposta, que pode ser um simples OLHAR ou qualquer outro gesto que indique seu interesse e então REFORCE IMEDIATAMENTE, entregando o alimento.

Faça o mesmo também com o suco ou água, deixando seu copinho próximo e visível, mas fora de seu alcance e sirva uma porção por vez.

 

Para saber mais, acesse o Cap. 4 do Livro Autismo Compreender e Agir em Família, que ensina os pais a aplicar em casa o Modelo Denver de Intervenção Precoce (que é uma forma mais naturalista da ciência ABA). 

Nos cursos da nossa mestre @mayragaiato ensina diversas outras dicas de como estimular nossos filhos em casa, sempre de uma forma super leve e descontraída. Suuuper-recomendo! 

QUAL ERRO DESSA IMAGEM????

QUAL ERRO DESSA IMAGEM????

FIQUE SEMPRE FRENTE À FRENTE

Para que seu filho possa manter CONTATO VISUAL com você, é primordial posicionar-se sempre FRENTE À FRENTE, de preferência NA ALTURA DO OLHAR DA CRIANÇA, como na hora da leitura, por exemplo.

 

Aproveite todos os momentos de CUIDADOS com seu filho, como a hora do banho, das refeições, etc., para buscar o contato visual e a interação, posicionando-se sempre frente à frente e na altura do olhar.

 

ERROS COMUNS

SE SEU FILHO SE ESQUIVA DE VOCÊ... VOCÊ SE APROXIMA OU SE DISTANCIA?

IDENTIFIQUE A ZONA DE CONFORTO DE SEU FILHO

Para que seu filho possa manter CONTATO VISUAL e INTERAGIR com você, é primordial que você respeite uma DISTÂNCIA que ele se sinta confortável. 


Please reload

ROTINAS SENSÓRIO-SOCIAIS 

Como ensina Poli do IG @meubebeeoautismo:

​✔️ É uma BRINCADEIRA que envolve uma SENSAÇÃO provocada por outra pessoa. Como exemplos clássicos temos cócegas, jogar a criança pro alto, cantar canções. O importante é que a diversão, o prazer, o sorriso, é provocado pelo PARCEIRO DE JOGO. .

 

✔️ a rotina sensório-social não tem forma rígida. Pode ser uma dança, um som engraçado, espirrar água em alguém, soprar bolhas de sabão, encher e esvaziar um balão no rosto, dançar uma dança estranha. O importante é que que o objeto não seja o foco, mas sim a sensação que o outro pode me trazer. .

 

✔️ As rotinas são excelentes pra melhorar motivação e orientação social, justamente porque quem é o foco do meu prazer é meu PARCEIRO DE JOGO e não um objeto. Quando a criança saca que você consegue proporcionar a ela momentos muito prazerosos, é um processo natural que ela te procure cada vez mais pra que tenha esses momentos. . ✔️ As rotinas não são entretenimento, então pra continuar as brincadeiras a gente pede UM ATO DE COMUNICAÇÃO da criança. A estrutura da rotina é assim : oferecemos a brincadeira duas vezes gratuitamente e na terceira já pedimos um ato de comunicação pra continuar com a brincadeira. Esse ato pode ser um sorriso, um olhar, um movimento corporal ou mesmo uma palavra, a depender do estágio do desenvolvimento da criança. .

 

✔️ Outra função incrível das rotinas é regular o estado emocional das crianças. Rotinas aceleradas dão aquele gás se a criança estiver com a energia baixa e rotinas calmas (como canções lentas) servem pra organizar e acalmar. .

 

✔️ Se pensarmos numa intervenção com BEBÊS as rotinas são ótimos aliados pra melhorar contato visual, sorriso social, motivação e orientação social, além de melhorar multi o vínculo. Por aqui as rotinas foram o início das nossas intervenção.

 

✔️ Esses vídeos são EXEMPLOS (bem mal filmados) de rotinas que eu fazia com João desde os primeiros meses. Muitas vezes eu não segui a estrutura porque não conhecia exatamente, mas pedia atos de comunicação pra dar a ele a brincadeira que ele desejava.

 

✔️ lembre que é importante estar posicionado na frente da criança e dar suporte pra ela se comunicar. Quem me diz os suportes que usei com João nesses vídeos?"

Para acessar os vídeos, clique no link abaixo"

IMG_1987.jpg

ROTINAS SOCIAIS SENSORIAIS - REGULAÇÃO 

 

O tipo de toque e o ritmo dessas rotinas têm um efeito imediato na criança: cócegas, um abraço forte, jogar pra cima, balanço, fazer uma roda, saltitar, girar numa cadeira...

 

Entenda que rotinas são excitantes e quais são calmantes para seu filho. Você pode precisar da ajuda do TO para isso.

 

Use essas rotinas para ajudar a criança a se regular e manter um estado emocional ideal de atenção nos momentos de aprendizado e de relaxamento para a hora de dormir, por exemplo. 

 

ROTINAS SOCIAIS-SENSORIAIS

  • Repita várias vezes e no auge faça uma pausa aguardado um ato comunicativo da criança 

  • O ideal é que haja uma comunicação a cada 10 segundos 

  • Quando você introduzir uma nova rotina social sensorial, seu filho pode estranhar e não mostrar um prazer imediato, mas persista fazendo 3 repetições rapidamente durante vários dias seguidos, que essa rotina pode se tornar cada vez mais legal pra criança.

 

QUANDO DIMINUIR:

Sempre que a criança mostrar sinais de desconforto diminua imediatamente a intensidade do estímulo.

 

SINAIS: 

  • piscar de olhos rápido 

  • olhar preocupado

  • diminuição do afeto

  • criança preocupada ou inquieta

  • criança sai ou procura outra pessoa 

 

OBJETIVO:

Em 12 semanas descobrir entre 10 a 12 Rotinas Sociais-Sensoriais que a criança goste e participe ativamente 

 

COMO:

  • Assim que a criança aprende uma rotina, comece outra 

  • Repita as anteriores sempre para que se torne uma fonte familiar de prazer 

 

ROTINAS SENSORIAIS com OBJETOS 

Vídeo Mayra 

 

ALTERNE BRINCADEIRAS com OBJETOS e ROTINAS SOCIAIS SENSORIAIS

ROTINAS SENSÓRIO-SOCIAIS

Kaká do Autistólogos

Aprenda alguns exemplos:

ROTINAS SOCIAIS SENSORIAIS

Mayra Gaiato

Assista o vídeo abaixo para entender melhor:

RESUMO CAP. 4

Kaká do Autistólogos

Seguem algumas dicas do livro Autismo Compreender e Agir em Família para aumentar a ATENÇÃO do seu filho para você. Essas dicas estão no Capítulo 4.

 

Exemplo na Prática

Autismo Conference Mayra Gaiato

Na Autismo Conference, promovido em Maio de 2019 em São Paulo pela nossa mestre Mayra Gaiato, ela ensinou como colocar o Caítulo 4 na prática! Vale à pena assistir!

Cap. 5 Encontre o sorriso - Divertir-se com rotinas sociais sensoriais

Escolha brincadeiras que capte o interesse e a atenção do seu filho e que provoquem grandes sorrisos. ​

Escolha uma atividade física como cócegas, saltar, voar pelo ar, cantar e fazer brincadeiras divertidas (encha as bochechas e ar e "exploda" com o dedo, vibração da língua e dos lábios, sons de beijo, cara de peixe, vibração de seus lábios nas mãos, pés ou barriga da criança, esconder o rosto e fazer "cucu", assobiar, colocar a língua de fora e fazer caretas, etc.). Enfim, qualquer brincadeira que capte o interesse e a atenção do seu filho e que provoquem grandes sorrisos.

Para controlar a hiperexcitação, torne a brincadeira mais suave assim que perceber que seu filho está hiperexcitado.

ROTINAS SENSORIO-SOCIAIS

Exemplos IG @pequenoscatarinas

MAYRA GAIATO

Rotinas Sensório-Sociais

Nossa mestre Mayra Gaiato dá mais alguns exemplos.

Please reload

APROVEITE A HORA DAS REFEIÇÕES:

➡️ A hora das refeições tem um alto valor reforçador para a maioria das crianças 

➡️ Aproveite esses momentos para estimular a comunicação 

➡️ Sirva a criança e faça com que ela lhe sirva 

➡️ Use o pegador de macarrão, por exemplo, para estimular a coordenação motora fina 

➡️ Treine a linguagem receptiva, pedindo à criança que lhe entregue o guardanapo, o garfo, o prato, etc.

➡️ Faça gestos para a criança imitar 

➡️ E lembre sempre de:

  • Ficar frente à frente

  • Distância confortável 

  • Eliminar distratares 

  • Narrar (Regra +1) 

  • Faça sons divertidos (Hmmm e Nhaaac na hora de comer e Ahhhh depois de tomar um gole)

➡️ Quando a criança já estiver mais comunicativa, estimule o jogo simbólico trazendo pelúcias e bonecos para a hora do lanche 

➡️ Inclua a criança na preparação dos alimentos, cortando, passando a manteiga no pão, etc., sempre com a supervisão e a ajuda necessária 

➡️ Peça para a criança colocar a mesa

Cap. 6 - São precisos dois para dançar o tango - Criar interações recíprocas

A tomada de turno é fundamental para o desenvolvimento social e para a comunicação. Um pai pode fazer uma careta e o bebê depois olhar para os olhos dele com um sorriso e uma gargalhada de prazer.

1. Um dos dois escolhe um brinquedo e faz algo com ele.

2. O outro se junta, imitando ou revezam-se para completar a mesma atividade.

3. Após algum tempo, introduza variações à brincadeira, para que nao fique chata.

4. Quando o interesse dos seu filho diminuir, inicie uma atividade diferente. (Faça a transição, fechando a atividade, guardando os brinquedos. Cante a musiquinha:

"Guarda guarda guarda

Bem guardadinho

Quem guardar direito

Encontra tudo arrumadinho!"

PARA SABER MAIS, VEJA A DESCRIÇÃO DO LIVRO INTERVENÇÃO PRECOCE PARA CRIANÇAS COM AUTISMO, LOGO ABAIXO, NO ITEM ROTINAS DE ATIVIDADES CONJUNTAS.

Please reload

Cap. 7 - Corpos falantes - A importância da comunicação não-verbal

Faça menos para que seu filho faça mais, aprendendo a utilizar gestos, o contato visual, as expressões e alguns sons para fazer escolhas. Espere por um sinal do seu filho antes de lhe entregar o que ele quer. Espere que seu filho se comunique! Exemplos: 

* Antes de pegar seu filho no colo, ofereça-lhe os braços e espere ele te olhar antes de pegá-lo,

* Para lhe oferecer água, segure o copo frente-a-frente e espere ele se aproximar para tomar,

* Crie situações em que seu filho precise de ajuda (coloque seus objetos de interesse fora de seu alcance...

Se o seu filho estender a mão ou apontar para o objeto, fazendo gestou ou vocalizando de alguma maneira (que não seja chorar ou fazer birra), olhe para ele e pergunta - "- Queres o carrinho?" (enquanto pega o carrinho, por exemplo), depois diga  -"Pega o carrinho"(e entregue o objeto).

Nossa mestre Mayra Gaiato aborda sobre a Linguagem Não-Verbal.

Please reload

Cap. 8 - Faz o que eu faço! - Ajudar o seu filho a aprender através da imitação

Thiago Lopes explica que a IMITAÇÃO é uma habilidade fundamental em todas as esferas do desenvolvimento das crianças. Para crianças que ainda não fazem imitações, o livro AUTISMO - Compreender e Agir em Família recomenda iniciar a IMITAÇÃO com objetos. Com a imitação com objetos, a criança adquire novas ações de motricidade fina, aumentar seu repertório de brincadeiras para melhorar a interação com outras crianças, aumenta sua independência, etc. 

No vídeo mais acima de exemplo de terapia Denver, é possível analisar como é feita a IMITAÇÃO, a criança faz alguns gestos com o objeto e a terapeuta imita e depois a terapeuta faz alguns gestos e a criança imita, e assim por diante. 

No ABA Clássico, a forma de imitar é mais rígida, o terapeuta dá o Comando e a criança imita, conforme exemplo do encantador Bento do IG @apontandoparaofuturo.autism. 

Imitar Gestos com Canções

A imitação é uma poderosa ferramenta de aprendizado para todos nós, pois aprendemos apenas com a observação do outro. A imitação promove a empatia, o aprendizado da linguagem, a comunicação não-verbal, ensina como as coisas funcionam e sobre as regras sociais. Os neurônios-espelho são os responsáveis pela imitação, mas tem menos atividade nas crianças com autismo, por isso devem ser estimulados. 

Imite os sons da criança, cante músicas infantis de baixa complexidade...

Imite as ações do seu filho com seus brinquedos, dando nome aos objeto.

Por exemplo.

1. Se seu filho está andando com um carrinho para a afrente e para trás, pegue outro carrinho e faça igual. Quando ele fizer uma pausa, faça também. Quando ele recomeçar, recomece também.

2. Depois acrescente uma variação, fazendo o carro andar mais depressa, ou andar pelo seu corpo..., sempre narrando as ações. Espere para ver se ele te imita.

3. Mostre uma nova ação, de preferência algo que ele já tenha feito, como fazer bater os carros! Faça efeitos sonoros dramaticamente "poooow"!!!Espere com expectativa para ver se ele te imita, e se não o fizer, dê ajuda, segurando na mão dele e fazendo a imitação.

O próximo passo é ensinar seu filho a prestar atenção e imitar os gestos das mãos e os movimentos físicos. Veja mais sobre IMITAÇÃO na página INTERAÇÃO.

Please reload

Cap. 9 - Passemos à parte técnica - Como aprendem as crianças

O ABA é a aplicação da ciência da aprendizagem para compreender e mudar comportamentos específicos.

 

Passo 1. Preste atenção aos comportamentos de seu filho (tanto positivos, como negativos). 

Passo 2. Escolha a recompensa, uma consequência para seu ato (se a criança obtém atenção e conforto quando grita, por exemplo, entenderá que gritar é uma forma poderosa de obter a sua atenção. Devemos reforçar apenas os comportamentos desejados, como brincar, utilizar a linguagem, etc.)

Passo 3. Preste atenção aos antecedentes, ou seja, o que aconteceu antes daquele comportamento ocorrer. 

Se há um comportamento que queremos que nosso filho desenvolva, precisamos pensar nos estímulos. E para evitar um comportamento indesejado, podemos remover antecedentes que ajudem a reduzir as hipóteses de que este comportamento aconteça. (Ex. Quando vê o irmão com um brinquedo e tenta tirar à força, gritando, a mãe não deve ceder, deve incentivá-lo , ao invés disto, pedir com educação e só receber nesta hipótese. O irmão que entrega também deve receber algo em troca como recompensa).

Cap. 10 - O triângulo da atenção conjunta - Partilhar interesses com os outros

Ensine a partilhar a atenção sobre os objetos e outros acontecimentos interessantes com outras pessoas (ex. uma criança aponta para um cachorrinho do outro lado da rua e a mãe olha e diz, "Que cachorrinho fofo!")

Passo 1. Ensine seu filho a lhe dar objetos (ex. deixe seu carrinho favorito em um recipiente transparente que ele não consiga abrir sozinho. Estenda sua mão e pergunte - "você precisa de ajuda?" Abra e entregue-o rapidamente, dizendo -"aqui está o carrinho!". Repita com outros brinquedos, bolachas, etc., várias vezes ao dia. Após se tornar uma rotina familiar, veja se seu filho começa a iniciar o pedido. 

Assim que ele começar a lhe entregar de forma espontanea e rotineira, comece a incentivar o contato visual. Assim que ele se tornar mais hábil em lhe dar os objetos e fazer contato visual, espere que eles ocorram juntos antes de ajudá-lo, assim ele aprenderá que esta é uma forma poderosa de comunicação.

Passo 2. Ensine seu filho a lhe mostrar objetos

Ex. Mostre algo interessante para seu filho, ficando frente-a-frente, e diga - "olha o carrinho!", incentivando-o para que ele olhe. 

Quando, por sua vez, seu filho olhar para algum objeto, diga o nome do mesmo assim que o fizer! Faça isto muitas vezes ao dia!

Sempre que ele estiver segurando um objeto, fique diante dele e peça: -"mostra o carrinho pra mim? (não pegue, apenas observe e fale, _üau, que carrinho legal!"!!!! Pratique muitas vezes ao dia!

Passo 3. Ensine seu filho a apontar objetos para partilhar experiências.

Ensine seu filho a apontar, dando o comando para apontar e pegando seu dedo com a ponta e na primeira vez, encoste seu dedo levemente no objeto solicitado. Depois repita mais vezes o comando para o mesmo objeto, daí só apontando, segurando também seu dedo indicador. 

Cap. 11 - HORA DE BRINCAR

Clique no link abaixo para entender como brincar de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce:

 

 

ARRUMAÇÃO - PQ É IMPORTANTE:

 

➡️ SEQUÊNCIA TEMPORAL 

A arrumação dá uma noção de sequência temporal: “primeiro isso, depois aquilo” (primeiro guardar os objetos na caixa e depois colocamos a caixa na prateleira).

 

➡️ PLANEJAMENTO: 

  • A arrumação inibe o impulso de pular para outra coisa

  • As crianças com autismo podem estar muito concentradas no presente, pulando de uma atividade para outra 

 

➡️ FUNÇÕES EXECUTIVAS:

  • Se quer mudar para outra atividade, tem que manter esse plano em mente, voltando a se concentrar em terminar de arrumar 

  • Mantém um objetivo em mente, organizando-se através de uma série de passos para alcançar esse objetivo 

Isso tudo estimula dificuldades comuns como: inibição de impulsos, memória de trabalho, formação de objetivos e mudança de contextos 

 

➡️ INDEPENDÊNCIA / PREPARAÇÃO PARA ESCOLA:

Na escola a arrumação é uma parte importante para transição de atividades 

 

HORA DE ARRUMAR 

✅ A hora da arrumação é uma excelente oportunidade de ensino:

➡️ abrir a caixa 

➡️ guardar as peças 

➡️ fechar a caixa 

➡️ guardar no armário 

➡️ classificação: as peças podem ser classificados em formas ou cor na hora de guardar / organizar talheres, separando garfo, colher e faca 

 

✅ Dica: Coloque a imagem do objeto na caixa - canetas, lápis, blocos redondos aqui, blocos quadrados ali, animais grandes caixa grande e animais pequenos na caixa pequena 

 

✅ Aproveite essas oportunidades para:

➡️ ensino da linguagem 

➡️ aprender a classificar 

➡️ tomada de vez e 

➡️ compartilhar uma atividade 

 

✅ Estimule a linguagem receptiva pedindo:

➡️ “Me dá o bloco”

➡️ “Guarde as peças na caixa”

➡️ “Guarde a caixa no armário”

➡️ “O verde aqui”

 

Essa antecipação verbal permite a criança imaginar o futuro e decidir de acordo 

 

 

 

COMO ENSINAR:

 

➡️ Arrumar é uma atividade complexa e a criança vai aprendendo ao longo do tempo

 

➡️ Diga sempre: “hora de arrumar” ou “vamos arrumar” antes de começar 

 

➡️ Mantenha os materiais embalados em sacos ou caixas e guardados em prateleiras ou local determinado 

 

➡️ TODAS AS ETAPAS:

Quando a criança é atenta, podemos fazê-la participar de cada etapa.

Dê AJUDA necessária (da menor para maior : verbal, gestual e física).

 

➡️ UMA ETAPA:

Podemos pedir à criança para participar de apenas uma etapa se:

* Há muita coisa para guardar,

* A atenção da criança é muito curta,

* Ela ainda não sabe imitar,

* A criança quer muito mudar de atividade,

* A criança não consegue ficar na arrumação tempo suficiente em todas as etapas.

Lembre de dar a AJUDA necessária para que a criança cumpra pelo menos uma etapa.

 

➡️ Passo a passo:

  • 1o: a criança retira os brinquedos das embalagens e assim entende onde deverão ser guardados depois 

  • 2o: o adulto guarda algumas vezes para que a criança observe

  • 3o: a criança começa a completar 1 ou 2 etapas da arrumação, colocando 1 ou 2 peças na caixa, ou tampar a caixa. Vc mostra como fazer e depois entrega pra criança completar, dando a ajuda necessária e depois termina sozinho a arrumação 

  • 4o APROXIMAÇÕES SUCESSIVAS: vai aumentando cada vez mais a quantidade de atribuições da criança, começando a completar um passo de cada etapa e depois participando mais 

 

➡️ Se houver resistência ou dificuldade, faça com que a criança realize pelo menos uma etapa rapidamente 

 

➡️ Lembre de narrar cada passo

 

➡️ REFORÇO EXTERNO:

A arrumação geralmente é uma tarefa chata para a criança. Para as atividades que não são preferenciais da criança sempre trazemos um REFORÇO EXTERNO.

 

➡️ Para criança ficar motivada sabendo que passará a brincar daquela atividade depois de guardar, associando uma coisa com a outra, você pode entregar o objeto pra criança guardar numa mão e o objeto de interesse na outra ou à vista, mas fora do seu alcance.

 

 

 

TRANSIÇÃO DE ATIVIDADES & AMBIENTES 

 

➡️ Estimule a independência fazendo também a transição de ambientes. 

 

Ex. Depois de brincar com blocos no chão e guarda-los, leve a massinha para a mesa para que a criança o acompanhe

 

➡️ É importante que a criança vá sozinha até a mesa e que a atividade escolhida sirva como imã (nunca peça pra criança sentar com a mesa vazia)

 

➡️ À medida que você vai treinando isso, a criança começa a entender que as atividades de arte são na mesa, atividades com bola na área externa, de blocos no chão, etc 

 

➡️ Então assim que a criança entende isso é escolhe a massinha, diga “leve para a mesa”. Depois espere que a criança leve para mesa sem dar nenhuma pista.

Brincar Denver

Cap. 11 - Hora de Brincar

Aumente a variedade, flexibilidade e oportunidades de aprendizado nas brincadeiras entre pais e filhos.

Ex. Quebra-cabeça. Coloque entre os dois, pegue uma ou duas peças e mostre ao seu filho como funciona, fazendo efeitos sonoros divertidos ou palavras simples. Entregue-lhe uma peça e se ele estiver interessado, incentive-o, elogiando, fazendo festa! Se não estiver interessado, ajude-o. Repita várias vezes para praticar e apreciar brincadeiras familiares.

Outros exemplos. Jogar bola, brinquedos de encaixe, brinquedos de construção, brinquedos musicais, no banho, etc.)

Apos, incentive pra que seu filho brinque de forma independente, mas de forma construtiva, apropriada e variada (não de forma repetitiva). Para tanto, organize os brinquedos para reduzir as escolhas de seu filho para aquilo que você sabe que será mais construtivo, vá saindo aos poucos, diminua o apoio, mude os brinquedos com frequência, e afaste-se progressivamente de seu filho. 

Rotinas Sensório-Sociais

Thiago Lopes explica como realizar as Rotinas Sensório-Sociais. Para saber mais sobre essas rotinas e demais brincadeiras, veja o Resumo do Livro. 

Variações com Aramado Acrobático

Thiago Lopes dá alguns exemplos de como fazer variações com o aramado acrobático. 

Variações com Brinquedos de Ação e Reação

Thiago Lopes apresenta alguns exemplos de variações com brinquedos simples. 

Ensinar a Chutar a Bola

Thiago Lopes explica como ensinar a criança a chutar a bola. 

Quebra-Cabeça

Thiago Lopes explica como variar brincadeiras com quebra-cabeça. 

Quantidade e Gestão de Brinquedos

Thiago Lopes aborda sobre a quantidade de brinquedos recomendada para uma criança com Autismo. Explica que muitas vezes os pais compram novos brinquedos afim de tentar aumentar o interesse na criança em brincar de forma funcional, mas acrescenta que quando há muitos brinquedos expostos, tendem a brincar muito rapidamente e passar para outros. Excesso de brinquedo não garante aprendizado e muitas vezes atrapalha, pois não permite repetições suficientes para consolidar o aprendizado, nem tampouco variações com o mesmo brinquedo. Sugere eliminar todos os eletrônicos, assim como brinquedos que tenham luzes e músicas, pois chama tanto a atenção das crianças, que elas deixam de focar na outra pessoa. 

Ensinando a Entregar Objetos

Thiago Lopes explica como dar objetos a quem pede, o que pode facilitar muito o desenvolvimento da criança. 

Mais sobre Ensinar a Entregar Objetos

Thiago Lopes acrescenta o que pode facilitar muito o desenvolvimento da criança. 

Transição de Atividades

Vale acrescentar que, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce, o que define o TEMPO na atividade é a MOTIVAÇÃO (interesse) da criança. Caso perca o interesse OU comece a realizar a atividade de forma REPETITIVA, devemos fazer a TRANSIÇÃO para outra (caso contrário, a criança perde oportunidades de aprendizado e o Modelo Denver preconiza oportunidades de aprendizado a cada 10 segundos). Se a criança RESISTIR na mudança da atividade, o Modelo DENVER recomenda que se vá diminuindo a diversão e, se necessário, dê SUPORTE do MENOR para o MAIOR (Verbal / Gestual / Físico). Para treinar que a criança ENTREGUE os objetos na hora de guardar, no INÍCIO peça “dá” e DEVOLVA IMEDIATAMENTE. APÓS treinamento, assim que a criança começar a entregar sem resistência, comece a DEVOLVER somente 50% das vezes! 

Hora de Guardar

Vale acrescentar que, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce, o que define o TEMPO na atividade é a MOTIVAÇÃO (interesse) da criança. Caso perca o interesse OU comece a realizar a atividade de forma REPETITIVA, devemos fazer a TRANSIÇÃO para outra (caso contrário, a criança perde oportunidades de aprendizado e o Modelo Denver preconiza oportunidades de aprendizado a cada 10 segundos). Se a criança RESISTIR na mudança da atividade, o Modelo DENVER recomenda que se vá diminuindo a diversão e, se necessário, dê SUPORTE do MENOR para o MAIOR (Verbal / Gestual / Físico). Para treinar que a criança ENTREGUE os objetos na hora de guardar, no INÍCIO peça “dá” e DEVOLVA IMEDIATAMENTE. APÓS treinamento, assim que a criança começar a entregar sem resistência, comece a DEVOLVER somente 50% das vezes! 

No FECHAMENTO das atividades, é importante que a criança GUARDE junto, pois além do senso de responsabilidade, é uma forma de estímulo importante, já que se trata de uma atividade de pareamento (classificação) e ainda estimula a coordenação e a interação entre todos que estão guardando (se necessário, dê a ajuda necessária, do menor suporte para o maior).

Please reload

Cap. 12 - Vamos Fazer de Conta

O faz-de-conta ajuda a expandir as competências de raciocínio das crianças e está profundamente ligado à LINGUAGEM e a outros tipos de pensamento, por isso é parte importante do desenvolvimento mental ou cognitivo. Dê vida a bonecos e figuras, reproduzindo acontecimentos da vida real (como dar comida ao boneco, ou machucar-se e ir ao médico, etc), brincando de preferência com seus personagens favoritos!

BRINCAR SIMBÓLICO

BRINCAR SIMBÓLICO - EXEMPLOS:

Como explica o livro INTERVENÇÃO PRECOCE em CRIANÇAS com AUTISMO, do Modelo Denver de Intervenção Precoce, há 3 classes de jogo simbólico:

1) Usar bonecos como agentes,

2) Usar objetos com outra função e

3) Várias ações simbólicas.


 

Please reload

Telefone, carrinhos, comidinhas são ótimas alternativas, como esse brinquedo que, além de estimular o lúdico, ainda trabalha com encaixe, estimulando a coordenação motora-fina. 

Captura_de_Tela_2020-04-17_às_17.46.19
Jogo Simbólico no Autismo

Como explica Dra. Deborah Kerches:

O jogo simbólico é importante para o desenvolvimento da linguagem verbal e não verbal; do comportamento social; habilidades emocionais, cognitivas possibilitando recursos para o desenvolvimento. Para brincar de faz de conta é preciso pensar, elaborar, construir e representar trabalhando a imaginação, abstração e criatividade, preparando a criança para diferentes vivências sociais e aprendizados.
A habilidade do jogo simbólico se dá por volta dos dois anos e vai ficando mais elaborada gradualmente. .
Crianças com autismo, em geral, apresentam dificuldade em diferentes níveis de compreensão do faz de conta, da imaginação, além de maior rigidez cognitiva; interesses restritos que podem dificultar a flexibilização e variação da brincadeira; dificuldades em abstrair, contextualizar, na linguagem receptiva e expressiva. O jogo simbólico deve ser estimulado em crianças com autismo porque além de desenvolver competências de raciocínio e imaginação, irão oferecer oportunidades de prepará-las para novas experiências e aprendizados, familiarizando-as com comportamentos e competências diversas.
.
É importante que o nível do jogo simbólico esteja adequado à fase de desenvolvimento da criança, começando com abstrações simples e aumentando a complexidade gradualmente. Podemos usar os jogos simbólicos para ensinar atividades como se alimentar sozinho ou diversificar alimentos; desfralde; simular ida à escola, parque, médico; ensinar sobre regras e limites; entre outros. Se a criança tiver um interesse restrito, usar isso para iniciar o jogo simbólico é uma ferramenta e, aos poucos, durante a brincadeira ir variando com novos repertórios. Lembrar que é essencial que a atividade seja consistente, repetida com frequência, prazerosa e motivante para que o aprendizado seja incorporado de maneira mais efetiva.
.

Cap. 13 - Passagem para a fala 

Antes de andar, as crianças têm de aprender a sentar, ficar de pé e cair, para depois dar os primeiros passos! Da mesma forma, para aprender o significado e o uso da fala, as crianças têm de antes ser capazes de prestar atenção aos pais (cap. 4), Imitar os sons (cap. 8), comunicar-se com gestos (linguagem corporal) e alternar a atenção entre os objetos e as pessoas (cap. 10).

Para desenvolver a fala, o seu filho necessita ser capaz de fazer muitos sons, e fazê-los com frequência como forma de comunicar-se.

* Trate os sons como se fossem palavras e repita os sons do seu filho. 

* Faça jogos vocais com os sons da criança

* Aumente as oportunidades para escutar e responder aos sons dos outros, inicialmente os sons não-verbais, incluindo efeitos sonoros às brincadeiras (trrrim, para o telefone, vruuuum para o carro, piuí para o trem, imitando o som dos animais, fazendo sons engraçados, etc.)

* Fale com seu filho, promovendo o desenvolvimento da linguagem (face-a-face, narre tudo que está acontecendo, dando nome às pessoas (olá, Papai!), aos objetos (olha a bola!), às ações (pula, pula!, splah na água, etc.),

* Adicione sons aos gestos (ex. escolha um som que seu filho já faça e dê a um gesto que ele também faça... Por exemplo: Dá - para estender a mão. Adicione também sons ou palavras para todos os gestos do seu filho, adicione nomes ou verbos aos sons simples).

=> Comece esperando pela verbalização, ao invés de dar automaticamente.

=> Dê reforço claro e natural.

=> Aos poucos comece a dar menos instruções, exigindo mais respostas.

=> Ensine seu filho a compreender palavras e instruções novas

Cap. 14 - Resumindo

* Aproveite cada momento do dia para ser fonte de aprendizado, durante as refeições, tarefas domésticas, brincadeiras, etc.

* Trabalhe em parceria com a equipe de profissionais. 

* Esforce-se para que ele obtenha iniciativas e atos espontâneos de acordo com sua idade.

* Ajude a regular a excitação e os níveis de atividade para otimizar a aprendizagem.

* Não esqueça de cuidar de sua saúde emocional!