IMITAÇÃO 

A imitação é um dos mais importantes programas para o tratamento do autismo, pois é uma grande via de aprendizado. Afinal, aprendemos uma série de coisas observando e imitando, como por exemplo, a falar. Até mesmo adultos aprendem por observação e imitação, pois é observando e imitando que podemos dirigir numa cidade nova, ou ao chegarmos a um restaurante que nunca fomos, observamos as outras pessoas, para saber onde pegamos a comida, onde é feito o pagamento, etc. A imitação é, portanto, pré-requisito da linguagem verbal e decisiva no desenvolvimento cognitivo.

Os neurônios-espelho são os responsáveis por essa forma de aprendizado, e pessoas com autismo têm sua atividade reduzida.​ Por esta razão, via de regra, as crianças com autismo não repetem o que fazemos. Exercícios de IMITAÇÃO estimulam a atividade dos neurônios-espelho e desenvolvem o aprendizado em todos os sentidos, como a linguagem, a interação social, regras sociais, etc.

O Modelo Denver de Intervenção Precoce apresenta uma forma naturalista de estimular a imitação. Você primeiro tem que engajar com a criança, imitar 3 vezes o que ela estiver fazendo e então propor uma variável para ela imitar, dando, se necessário, um suporte do menor para o maior, ou seja, ajuda verbal, gestual e física. Para entender melhor, clique no link abaixo:

 

Recomenda-se fazer a imitação de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce. Por isso, leia o link anterior antes de continuar.

=> ATENÇÃO: A IMITAÇÃO DEVE SER SEM A DICA VERBAL, pois com a dica verbal seria seguimento de comandos. A criança deve fazer igual só observando.

AVALIAÇÃO:

Para avaliar se a criança sabe imitar passe da etapa mais fácil até a mais difícil, na ordem abaixo:

1. Comando simples:

a) uma ação motora grossa com objeto visível. Ex. pego 2 carrinhos. Fico com um para mim e entrego outro para criança dizendo: "faz igual". Ando com o meu carrinho pra frente e pra trás e peço que a criança faça o mesmo.  

b) uma ação motora grossa sem objeto visível (que ela possa ver). Ex. Digo: "faz igual"e bato palmas, dar tchau, mandar beijo.

c) uma ação invisível com ou sem objeto. Ex. Digo: "faz igual" e coloco as mãos na cabeça (para fazer igual a criança não consegue enxergar as próprias mãos, por isso é denominada invisível).

d) orofaciais: 

2. Se a criança imita 2 sequências de ações visíveis ou invisíveis. Ex. pegar uma peça em encaixar.

3. Imitar uma coreografia de música. Ex. Pintinho amarelinho.

=> Repita o exercício 10 vezes. Se a criança fizer na hora que eu pedir para fazer igual 80% das vezes, passe para a próxima etapa.

Começando pela primeira etapa (item 1a, caso a criança não consiga imitar, dê sempre a ajuda da menor para a maior, ou seja, verbal, gestual e física.

 

Se, por exemplo, se você pede para criança imitar o gesto de bater palmas e ela não imitou, fale novamente faz igual e bata palmas dando ajuda VERBAL, falando: "palmas".

 

Se mesmo assim ela não imitar, fale novamente faz igual, bata palmas, dê ajuda GESTUAL, apontando para a mão dela falando "palmas". 

 

Se ainda assim ela não imitou, fale novamente faz igual, bata palmas e dê ajuda FÍSICA (que pode ser realizada por outra pessoa por trás, que atue como "sombra", ou pelo próprio aplicador).

Lembre sempre de dar o REFORÇO no final (mesmo que a ajuda tenha sido total). caso a criança esteja engajada na brincadeira, pode ser seguir com a brincadeira do jeito dela, ou, se necessário, um reforço externo, que pode ser desde um tempo com seu brinquedo favorito, alguma atividade que goste ou até um pedaço de um doce ou até um tempo no eletrônico, como assistir um trecho do vídeo que ele gostava. Para entender melhor como funciona o reforço, clique no link abaixo:

REPITA pelo menos 3 vezes o mesmo exercício para que a criança memorize. E faça pelo menos diferentes 5 imitações diferentes ao dia, que podem ser intercalados com comandos e outros itens do programa, todos os dias, sempre seguindo a liderança da criança, na proporção de 3 para 1, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce, como já mencionado acima.

 

Permaneça na mesma etapa de imitação até que a criança o faça sem nenhuma ajuda em 80% dos casos, quando você passa para a próxima. 

É imprescindível para considerar-se que a criança aprendeu se o faz com pessoas diferentes e em ambientes diferentes. Para entender melhor sobre a generalização do aprendizado, clique no link abaixo:

 

 

 

Como ensina Juliana Trentini no livro Ensinando a Falar: "A imitação é um elemento-chave no desenvolvimento de um ser-humano em qualquer estágio da vida".

Exercícios de IMITAÇÃO estimulam a atividade dos neurônios-espelho e desenvolvem o aprendizado em todos os sentidos, como a linguagem, a interação social, regras sociais, etc. Para trabalhar com essa deficiência, é importante estimular a imitação.


É recomendável começar a IMITAÇÃO com OBJETOS, por ser o mais facilmente compreensível para a CRIANÇA e para dar AJUDA! Só passe para a próxima VARIAÇÃO quando estiver fácil! Seguem alguns exemplos (vide vídeos abaixo):
* Ações com OBJETOS (colocar um chapéu na cabeça, fazer uma bolinha com massinha, dar comida para um fantoche)
* Movimentos MOTORES Amplos (bater palmas, dar tchau, colocar as mãos na cabeça).
* Movimentos MOTORES FINOS (movimentos das mãos ou dedos - apontar para a palma da mão, mexer os dedos)
* Movimentos amplos EM PÉ (ficar num pé só, chutar uma bola)
* Movimentos FONOARTICULATÓRIOS (movimentos com a boca - soprar, colocar a língua pra fora)
* SEQUÊNCIA de movimentos (mais de um movimento em sequência - dar tchau + mandar beijo, fazer sim e não com a cabeça

* SONS (para crianças que já falam, mas falam pouco. Dê um modelo mais logo.

Ex: para “ma”, fale “maaaaaaa”. Comece do mais fácil para o mais difícil, nesta ordem:

1) dos sons já produzidos pela criança,

2) das vogais,

3) consoantes,

4) sílabas e

5) palavras.

IMITAÇÃO NA PRÁTICA

Mayra Gaiato

Mayra Gaiato e Kelly mostram como fazer na prática para estimular a IMITAÇÃO, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce. 

IMITAÇÃO

Mayra Gaiato

Mayra Gaiato explica que a IMITAÇÃO é uma grande via de aprendizado e que as crianças com AUTISMO tê pouca tendência de OBSERVAR e de IMITAR, por isso devemos incentivar o CONTATO VISUAL, assim como a IMITAÇÃO. 

IMITAÇÃO - NEURÔNIOS ESPELHO

Mayra Gaiato

Mayra Gaiato fala sobre os NEURÔNIOS ESPELHO!

IMITAÇÃO COM OBJETOS

Thiago Lopes

Thiago Lopes ensina a importância da IMITAÇÃO, sob pena de limitar seu próprio aprendizado. Crianças que observam e imitam têm oportunidade de aprender em qualquer ambiente e de qualquer pessoa, e que atinge todas as esferas do aprendizado. 

IMITAÇÃO COM CANÇÕES

Thiago Lopes

IMITAÇÃO

Modelo Denver

O modelo Denver segue uma forma mais naturalista de IMITAÇÃO, onde o adulto imita as ações da criança e após ela estar bem envolvida, acrescenta variações. Se a criança não IMITAR as variações, daí então dá o SUPORTE, do menor para o maior, ou seja, VERBAL, GESTUAL e FÍSICO. 

Veja um exemplo da terapia no Modelo Denver apresentada na palestra de Sally Rogers no canal do YouTube da UC Davis - Past, Present an Future of Early Intervention. 

IMITAÇÃO

Em Dupla

No início, o ideal é aplicar o exercício de IMITAÇÃO em dupla, para que um dê o COMANDO e MOSTRE O MOVIMENTO e o OUTRO por trás dê a AJUDA necessária. 

IMITAÇÃO

Bento @apontandoparaofuturo.autism

Veja um exemplo de imitação com OBJETO.

IMITAÇÃO

Bento @apontandoparaofuturo.autism

E outro de MOVIMENTOS CORPORAIS. 

IMITAÇÃO

Bento @apontandoparaofuturo.autism

E ainda IMITAÇÃO de movimentos EM PÉ! Ele já está fera!!!! Good job, Bento!!!

Please reload

CEI DESENVOLVIMENTO HUMANO

 

O Canal do Youtube da CEI Desenvolvimento Humano apresenta diversos exemplos de Imitação:

IMITAÇÃO

CEI Desenvolvimento Humano

Imitação com Objetos 

IMITAÇÃO

CEI Desenvolvimento Humano

Imitação Movimentos Motores

IMITAÇÃO

CEI Desenvolvimento Humano

Imitação Movimentos Motores Finos

IMITAÇÃO

CEI Desenvolvimento Humano

Imitação Movimentos Motores Em Pé

IMITAÇÃO

CEI Desenvolvimento Humano

Imitação Movimentos Fonoarticulatórios

IMITAÇÃO

CEI Desenvolvimento Humano

Imitação Sequência de Movimentos 

Please reload

O livro apresenta diversos exemplos de Imitações, se a seguir apresentamos.

LIVRO HABILIDADES 

Movimentos corporais mais amplos.

MOV. MOTORES

Movimentos corporais em pé

MOV. EM PÉ

Dois movimentos em sequência

SEQUÊNCIA MOVIM.

De acordo com o Livro Intervenção Precoce em Crianças com Autismo, do Modelo Denver, para uma criança que não imita, a aprendizagem da imitação geralmente progride melhor iniciando com as ações com objetos. Comece fazendo ações que estão no repertório da criança. 

​AÇÕES COM OBJETOS

Movimentos com as mãos ou dedos

MOV. MOT. FINOS

Movimentos com a Boca

FONOARTICULATÓRIOS

IMITACAO

Assim que a primeira etapa de imitação simples ficar fácil, passe para uma segunda etapa, pedindo para fazer igual aos seguintes vídeos:

Aplicativo: Pocoyo

Um dica é fazer na frente do espelho e com ajuda física se necessário (total / leve / sem ajuda).

Youtube: Coelho Sabido 

Please reload

Coreografias fáceis e divertidas são ótimas para treinar a imitação. O Matheus adora esse clipe.

Kids Superhero Song

Rapid Motor Imitation Approach (RMIA) 

 

Outra forma de treino de imitação, usado no tratamento do Autismo nos Estados Unidos, é a abordagem de imitação motora rápida (RMIA), que envolve o rápido desempenho de um conjunto de respostas imitativas motoras grandes e / ou pequenas antes das oportunidades de imitação vocal. Este procedimento foi projetado para facilitar a transferência de imitação dos modos motor para vocal de responder.

 

Em aplicações de pesquisa do RMIA, uma sequência de testes de imitação motora de baixo esforço tem sido usada para estimular a imitação de respostas vocais em crianças com autismo ou deficiências de desenvolvimento sem comportamento vocal.

 

Houve apenas alguns exemplos dessa abordagem aplicada em pesquisa, e o fenômeno responsável por induzir a imitação através dos modos de resposta é desconhecido. O treinamento generalizado de imitação, o impulso comportamental e os arranjos de ensino que aumentam o valor das consequências para a imitação vocal têm sido oferecidos como explicações possíveis.

Rapid Motor Imitation Antecedente (RMIA) 

 

Candidato para este procedimento: O aluno tem um repertório generalizado de imitação motora não vocal, mas não tenta prontamente imitar vocalmente o professor quando solicitado. O aluno normalmente NÃO emite qualquer comportamento vocal-verbal (mandos, tatos ou ecóicos), mas pode emitir vocalizações espontâneas variadas.

 

Etapa 1: Avaliação e Desenvolvimento do Alvo

1. Faça pelo menos duas linhas de base de vocalização para reunir um inventário sólido.

2. Desenvolva conchas de palavras com base no inventário de sons do aluno e em uma grande quantidade de mandamentos futuros.

3. Selecione pelo menos 10 alvos com base nos níveis mais baixos das conchas de palavras que não são

ecos.

 

Etapa 2: Momento Comportamental

O RMIA baseia-se no princípio do momento comportamental. Pesquisas mostram que comportamentos de alta probabilidade podem evocar comportamentos de baixa probabilidade.

 

Antes de executar este procedimento, o instrutor deve:

* Reúna um conjunto de reforçadores valiosos que atualmente não estão sendo direcionados para mandatos assinados.

* Prepare um conjunto de (pelo menos 10) cartões ecóicos de objetivo. Os alvos específicos devem ser relacionados ao

reforçadores que são usados ​​durante a sessão de RMIA.

* Prepare um conjunto grande (pelo menos 30) placas de imitação fácil do motor 3x5. Estes devem conter tanto multa

imitações motoras e motoras grossas, mas não devem envolver objetos (para manter um ritmo rápido).

* Mantenha pelo menos 3 sessões por dia e realize pelo menos 50 tentativas.

 

Procedimento:

1. Verifique a motivação para um reforçador. Mantenha o reforçador visível, mas não acessível pelo aluno.

Para cada tentativa, o alvo ecóico deve estar relacionado ao reforçador apresentado.

 

2. Apresentar 3-6 modelos de imitação do motor não vocal.

 

3. Se o aluno imitar corretamente, imediatamente segure o reforçador e apresente o vocal alvo

modelo. Entregue o reforçador se o aluno ecoar.

 

4. Tipos de erros:

  • Não emite o eco afetado (ou erros na imitação do motor):

Pare a seqüência quando o aluno errar e imediatamente apresente a mesma sequência novamente.

  • Erros na mesma sequência 2 vezes:

Não reforce. Comece uma nova sequência experimental. (Potencialmente use um reforçador diferente e

alvo; ou adicione mais imitações motoras não-vocais à sequência.

 

5. Represente graficamente a porcentagem (%) do total de ecos corretos por dia. Uma tentativa = sequência inteira de imitação (motor

imitação + imitação vocal).

 

Após 3-5 sequências de tentativas corretas consecutivas, tente desvanecer as imitações do motor não vocal. Em outras palavras, teste as habilidades ecóicas do aluno.

Segue exemplo de terapia RMIA, link do protocolo e mais informações:

Exemplo de avaliação do RMIA:

Exemplo de anotação dos resultados: 

MAYRA GAIATO

Mayra Gaiato dá dicas de imitação no vídeo do link abaixo:

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com