Autismo... 

Tem tratamento!!!

Quanto antes iniciado o tratamento, melhores os resultados!!!

REVISTA CRESCER

 

De acordo com a Revista Crescer:

Autismo pode ser diagnosticado a partir dos 3 meses, segundo novo estudo

Por meio da realização de um eletroencefalograma (EEG), os pesquisadores conseguiram definir quais bebês tinham uma inclinação ao espectro autista.

Um estudo publicado na Scientific Reports pode ter dado um importante passo em direção ao diagnóstico precoce do autismo. Por meio de um exame simples e conhecido do público em geral, o eletroencefalograma (EEG), os pesquisadores conseguiram definir já aos 3 meses de idade quais bebês tinham inclinação ao transtorno do espectro autista e até prever o grau de comprometimento. 

Realizado de forma colaborativa entre o Hospital Infantil de Boston, a Harvard Medical School e a Universidade de Boston, o estudo analisou 188 bebês, dos quais 99 tinham um irmão mais velho com autismo e 89 eram considerados de baixo risco. Eles foram acompanhados dos 3 aos 36 meses, quando geralmente é feito um diagnóstico assertivo. Dessa forma, os pesquisadores puderam conferir quais previsões feitas a partir do EEG estavam corretas. A taxa de precisão superou os 95% a partir dos 6 meses.

"Os resultados são impressionantes. A precisão do diagnóstico foi de quase 100% aos 9 meses de idade, inclusive, do grau dentro do espectro autista", ressalta William Bosl, um dos autores. Outra vantagem é que o EEG, exame que registra a atividade elétrica do cérebro por meio de eletrodos afixados nos couro cabeludo, tem baixo custo, não é nada invasivo e sequer exige que a cabeça do bebê seja raspada. 

Maria Carolina Serafim, psiquiatra infantil do Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba (PR), ressalta um crescimento no número de estudos com bebês nos últimos tempos. "Temos acompanhado muitos trabalhos de psicanalistas, psiquiatras e neurologistas com bebês. Há um investimento muito grande na observação de crianças de 3, 4 meses, quando já é possível identificar alguma dificuldade no desenvolvimento. Tem muita gente trabalhando com isso, mesmo sem a preocupação de evidências biológicas, diferentemente desse estudo com eletrodos", diz. 

A justificativa para esse interesse crescente no desenvolvimento desde os primeiros meses de vida é que o diagnóstico precoce pode ajudar a diminuir a angústia dos pais, que chegam a esperar anos por uma resposta, e preparar essa família quanto à melhor formar de amparar a criança. Estudos demonstram que a intervenção precoce pode ser definitiva para que algumas barreiras do desenvolvimento da criança autista - principalmente de comunicação e comportamental - sejam superadas. 

Gosta do conteúdo da CRESCER? Então, não perca mais tempo e baixe o app da Globo Mais para ver nossas reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publicações da Editora Globo. Você também pode ler todas as matérias da revista, por R$ 4,90, através do app da CRESCER.

PROTOCOLO PREUAT

 

Um simples questionário pode tornar possível detectar o RISCO de AUTISMO EM BEBÊS. 

A Pesquisa Preaut tem sua origem na França. A sua idealização e condução é de responsabilidade da Associação Preaut (Programme Recherche Evaluation Autisme), fundada em 1998.

 

A ideia inicial era fazer com que a sigla PREAUT correspondesse à expressão “Prevenção de Autismo” (Prevention d’Autisme), uma vez que se acreditava, num primeiro momento, que era possível realizar prevenção em psicanálise.

 

A ideia de prevenção foi mais tarde abandonada, uma vez que de fato a psicanálise não pode oferecer garantias quanto à suspensão do curso do desenvolvimento de indicadores de risco de autismo (ou de outra patologia na infância) quando há intervenção clínica. 

No entanto, é imprescindível que a avaliação seja conduzida por um especialista neste protocolo, devidamente treinado. Para saber mais, entre em contato com PREUAT BRASIL:

SEU FILHO TEM ALGUM ATRASO?

Para saber se seu filho tem algum atraso, veja a relação dos MARCOS DO DESENVOLVIMENTO de cada idade em nosso site, no link abaixo:

Please reload

GUIA CDC

 

Segue um guia elaborado pelo CDC - o Centro de Controle e Prevenção de Doenças do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, sobre o desenvolvimento esperado pelo bebê de acordo com a idade:

Clique ao lado para visualizar melhor o arquivo PDF completo => 

VOCABULÁRIO X IDADE

Segue também uma relação do IG @carolfonoterapia, que resume o desenvolvimento da linguagem esperado para cada idade:

SINAIS DE AUTISMO AOS 6 MESES

Dr. Gustavo Teixeira

Dr. Gustavo Teixeira aborda sobre alguns SINAIS de ALERTA de AUTISMO aos 6 MESES de idade. Alerta que, havendo tais sinais, é importante investigar! Na dúvida, é necessário iniciar a intervenção imediatamente!

Alguns sinais de crianças com Autismo aos 6 meses:

* não interage com familiares,

* não tem sorriso social,

* na hora de amamentar não faz contato visual,

* não acompanha objetos,

* não coloca objetos ou a mão na boca,

* sons altos não despertam o interesse,

* não olha nos olhos,

* não atende ao chamado do nome,

* nao tem nenhum tipo de vocalização,

* não se interessa pelo pai ou mãe e não estranha pessoas diferentes. 

SINAIS DE AUTISMO AOS 12 MESES

Dr. Gustavo Teixeira

Dr. Gustavo Teixeira aborda sobre alguns SINAIS de ALERTA de AUTISMO aos 12 MESES, que estão presentes quando a criança não é capaz de: 
* Falar algumas palavras (Papai, Mamãe…),
* Apontar objetos,
* Entender e dar tchau com a mão (linguagem não-verbal),
* Brincar de faz-de-conta,
* Procurar objetos que escondemos,
* Interagir (ex. quando jogamos a bola, ela não entende que tem que jogar de volta),
* Triangular olhar entre o pai e a mãe,
* Olhar nos olhos.
Ou se possuía essas habilidades, começa a perde-las. 

Dr. Gustavo alerta que é possível identificar sintomas de Autismo a partir de 4 meses de idade e que se deve agir imediatamente, pois o Tratamento Precoce apresenta resultados muito melhores. Acrescenta que o ideal é se identificar antes dos 12 meses.

12 SINAIS DE AUTISMO PRECOCE

Mayra Gaiato

Mayra aponta alguns sinais precoces de Autismo. 

SINAIS DE AUTISMO EM BEBÊS

Dados Mayra Gaiato

No IG @maternidade.atipica, Larisse conta que @mayragaiato passou algumas dicas para fazer testes iniciais e ela explica com detalhes, conforme o vídeo:

1: SEGUIR O SOM. Com um objeto fora do campo de visão, o bebê deve ser capaz de identificar de onde vem o som.
2: ATENDER quando chamado pelo NOME.
3: IMITAÇÃO. O bebê deve ser capaz de fazer gestos parecidos com o do adulto ou realizar uma imitação oral.
4: ATENÇÃO COMPARTILHADA. O bebê consegue dividir a atenção entre você e um objeto, como se quisesse compartilhar com você algo que achou interessante ou engraçado. Essa habilidade mais tarde é que faz surgir o apontar.
5: ACOMPANHAR OBJETOS E PESSOAS. O bebê deve acompanhar com o olhar quando um objeto ou pessoa de seu interesse se move.

A partir dos 6 meses, já é possível identificar possíveis sinais de autismo em bebês. Quanto antes iniciadas as intervenções, melhores os prognósticos, sendo possível que a criança alcance os mesmos marcos de desenvolvimento de uma criança neurotípica para aquela idade. Na dúvida do diagnóstico, recomenda-se iniciar o tratamento imediatamente. 

Autismo em Bebês

Lagarta Vira Pupa

Andréia conta sua história e alerta sobre os sintomas do autismo em bebês.

Please reload

Nossa mestre @mayragaiato ensina alguns dos sinais de Autismo em BEBÊS, como a dificuldade de IMITAÇÃO, menos ATENÇÃO SOCIAL e menor TEMPO de ATENÇÃO SUSTENTADA na INTERAÇÃO. 

Explica que podem ser SINAL de AUTISMO quando não atingem os MARCOS do DESENVOLVIMENTO, como:
* Com 6 meses a TROCA de BALCUCIOS e
* Com 1 ano falar PALAVRAS inteiras, com a função de se COMUNICAR. 

Acrescenta que bebês com AUTISMO têm tendência a dar MAIS atenção a OBJETOS do que para PESSOAS e fazem MENOS TROCAS COMPARTILHADAS, tendem a não mostrar ou compartilhar as coisas com os pais. 

Alerta que, mesmo que haja sinais, não significa que tenha autismo, mas os Pais devem procurar um especialista imediatamente e iniciar a INTERVENÇÃO IMEDIATAMENTE, MESMO QUE SEM DIAGNÓSTICO, para não acumular atrasos e porque quanto menor, maior a capacidade de aprender.  

E alerta que é um erro os pais avaliarem o desenvolvimento da criança através de checklists, pois crianças com Autismo também olham e interagem, o que deve ser analisado é se o bebê atinge esses MARCOS do DESENVOLVIMENTO, conforme link abaixo:
 

BEBÊS DE RISCO

@maternidade.atipica

No IG @maternidade.atipica, Larisse explica: em que casos os bebês apresentam riscos de diversas ordens, não apenas para o Autismo:

  • "BEBÊS DE RISCO:
    São bebês de risco aqueles que... ⚠Durante a gestação:
    ✔ a mãe já tinha ou desenvolveu doença cardíaca, renal, tireoidiana ou neurológica, diabetes ou hipertensão arterial;
    ✔ em caso de sangramentos, algumas infecções com necessidade de tratamento, alteração no volume do líquido amniótico, rompimento precoce da bolsa amniótica;
    ✔ em casos de má formação fetal e alterações na atividade e ou batimento cardíaco fetal;
    ✔ se houve uso de medicamentos sem acompanhamento médico ou de drogas;
    ✔ descolamento da prematuro da placenta; ⚠No nascimento ou primeiros dias de vida:
    ✔ Prematuros (nascidos antes de completadas 37 semanas de gestação)
    ✔ Nascidos com baixo peso (menos de 2.500kg)
    ✔ Os que sofreram hipoglicemia;
    ✔ Que necessitaram de oxigenação ou respiração mecânica;
    ✔ Provenintes de gravidez múltipla (gêmeos, trigêmeos);
    ✔Que tiveram dificuldades de nascer (a demora no parto pode ter ocasionado uma falta de oxigenação);
    ✔ Que tiveram icterícia ou meningite (com necessidade de troca sanguínea);
    ✔ Que sofreram infecção generalizada, hemorragia cerebral ou convulsão nos primeiros dias de vida;
    ✔ Que apresentaram perímetro cefálico inferior ou superior (microcefalia/megalencefalia); É recomendável que pais e cuidadores de crianças que se encaixam nesse perfil procurarem ajuda médica especializada a fim de avaliar o quadro de risco e, se for o caso, promover um acompanhamento sobre possíveis alterações no desenvolvimento.

    A Rede de Hospitais Sarah (público) possui atendimento específico para acompanhamento desses quadros de risco (deixarei o link nos stories).
    A família também pode optar por realizar a consulta com um bom neuropediatra.

    Obs.: não se trata de um post exclusivamente sobre autismo. Muitas crianças podem apresentar condições neurológicas, como paralisia cerebral, dentre outros.
    No caso do autismo, alguns desses fatores podem funcionar como gatilho ambiental.

    Intervenção precoce é sempre necessário e pode mudar o prognóstico! 
    REPASSE ESSA INFORMAÇÃO 💜👊 Fonte: www.sarah.br"

O Hospital Sarah (www.sarah.com.br) da rede pública, através de sua equipe de Pediatria do Desenvolvimento, atende crianças e adolescentes com enfermidades neurológicas que necessitam de tratamento nas unidades Belém, Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Macapá, Rio de Janeiro, Salvador e São Luís. Para solicitar o atendimento, clique no link abaixo:

Please reload

DÚVIDA DO DIAGNÓSTICO

DIAGNÓSTICO NÃO FECHA

Mayra Gaiato

Mayra explica o que fazer quando o diagnóstico não fecha.

DÚVIDA DO DIAGNÓSTICO

Posso Dar um Conselho???

Se você ainda não tiver um diagnóstico definitivo - NÃO PERCA TEMPO! Trabalhe as dificuldades do seu filho, sem se importar com esse nome!

 

Cerque-se dos melhores profissionais que você tiver possibilidade, de preferência profissionais experientes, atualizados e especializados em autismo e que exerçam estímulos terapêuticos específicos na linguagem, interação, sensibillidade... Enfim, profissionais especializados nas dificuldades de seu filho! Não acredite em curas milagrosas - AUTISMO AINDA NÃO TEM CURA, MAS TEM TRATAMENTO!

 

E tenha consciência do seu papel! O estímulo incessante dos pais é imprescindível para o futuro da criança! Por melhores que sejam os profissionais, eles não conseguirão sozinhos fazer com que seu filho atinja seu potencial máximo! Os pais e cuidadores passam muito mais tempo com a criança, por isso têm possibilidade de colocar em prática aquilo que está sendo estimulado e ensinado nas terapias de forma muito mais efetiva e duradoura! 

POR QUE OS MÉDICOS NÃO FECHAM O DIAGNÓSTICO?

Dr. Gustavo Teixeira

Neste vídeo Dr. Gustavo explica que o médico não precisa dar o diagnóstico, mas ele precisa indicar o tratamento IMEDIATAMENTE e NUNCA ESPERAR para começar a INTERVENÇÃO! 

Please reload

NA DÚVIDA - COMEÇAR O TRATAMENTO IMEDIATAMENTE

A linda mamãe Catherine do IG @apontandoparaofuturo_autism conta um pouquinho de sua história com o Bento:

 

"Dividindo a minha experiência com vcs. No dia 08 de janeiro de 2017 depois de vários testes que o Bento fez, nós tivemos o seguinte diagnóstico : alto risco para autismo. Junto com esse diagnóstico veio um gigante relatório com todas as áreas que o Bento precisava de intervenção(tratamento). Sim, por aqui nós começamos o tratamento do Bento muito antes do diagnóstico, que nós só tivemos, agora, na última sexta feira dia 17 de agosto de 2018. Porque estou dividindo isso com vcs para que vcs possam entender que independente de qualquer diagnóstico o mais importante é começar o tratamento. O dr @drgusteixeira do @cbiofmiami fez um vídeo no canal do Youtube do cbi of miami “Por que os médicos não fecham diagnóstico?” Nesse vídeo ele fala exatamente isso, o médico não precisa dar o diagnóstico, mas ele precisa indicar o tratamento NUNCA ESPERAR para começar a INTERVENÇÃO! E ele fala que o tratamento é indicado de acordo com a necessidade de cada criança. Por exemplo, se a criança apresenta atraso na aquisição de linguagem temos que começar um trabalho com a fono, se a criança tem problemas sensoriais - terapia ocupacional. A criança tem dificuldade em socialização- ela não olha nos olhos, ela não procura outras crianças, ela não conversa - NÃO ESPERAR - temos que intervir com DENVER ou ABA com terapia COMPORTAMENTAL. Isso tudo INDEPENDENTE do DIAGNÓSTICO. Aqui, com o Bento foi exatamente assim, nós começamos a intervenção precoce intensiva nas áreas que ele apresentava atraso muito antes de ter o diagnóstico fechado! Para vcs terem uma noção mesmo sem o “diagnóstico fechado” o Bento sempre fez 3 horas de ABA por dia de segunda a sábado, 1 hora de fono por semana e 1 hora de terapia ocupacional por semana pelo Early intervention que é o programa de intervenção precoce aqui da California". 

Please reload

AUTISMO E PREMATURIDADE

Em sua palestra no Ico Project, Dr. Carlos Gadia alertou que a prematuridade é um fator de risco para o desenvolvimento do Autismo, assim como o baixo peso, o uso de medicações anti-epiléticas na gestação, e outras condições do nascimento. Mas para que se desencadeie o Autismo, é necessário ter o gene e o comportamento ambiental. 

Na mesma oportunidade, Dr. Paulo Liberalesso acrescentou que a prematuridade é provavelmente um dos maiores fatores de risco, pois afetam o desenvolvimento do lobo temporal e córtex-pré-frontal, já que o hormônio do final da gestação que ativa essas áreas provavelmente não acontece ( explicou que é um modelo teórico que está bem documentado em ratos). Explicou que no caso das pessoas com Autismo, geralmente a visão é muito boa porque fica muito longe das áreas atingidas. 

 

Neste sentido é a reportagem do G1 que abaixo segue:

 

 

"Bebês prematuros podem ser mais propensos a ter autismo, diz estudo

Pesquisa usou ressonância para avaliar conexões no cérebro de 66 bebês.
Diferença área cerebral poderia afetar concentração e socialização.

 

Os nascimentos prematuros podem alterar a conectividade entre diferentes partes do cérebro, o que pode aumentar o risco de a criança desenvolver autismo e problemas de atenção, segundo um estudo britânico publicado nesta segunda-feira (4) nos Estados Unidos.

 

Pesquisas anteriores já tinham observado que o autismo e os problemas de concentração são mais frequentes em crianças prematuras.

Pesquisadores do King's College de Londres utilizaram uma ressonância magnética para examinar as conexões específicas dos cérebros de 66 crianças, das quais 47 nasceram antes da 33ª semana de gestação, enquanto outras 19 nasceram no tempo previsto.

Os autores se concentraram nas conexões entre o tálamo, o centro de reflexos emocionais, e o córtex, a matéria cinzenta que rodeia os hemisférios cerebrais e que tem um papel fundamental em muitas funções cognitivas.

Resultados


Os cientistas constataram que os bebês nascidos entre as 37ª e a 42ª semanas, que é o período normal de gestação, tinham estruturas sabidamente similares às dos adultos em algumas partes do cérebro, o que confirma que as conexões estavam bem desenvolvidas no momento do nascimento.

Ao contrário, nos prematuros, os especialistas observaram menos conexões cerebrais entre o tálamo e o córtex, porém mais conexões com uma zona particular do córtex que está envolvida no processamento de sinais faciais, dos lábios, a mandíbula, a língua e a garganta.

Isto poderia explicar por que os bebês prematuros que são amamentados ou alimentados com mamadeira aprendem a fazê-lo antes que as crianças nascidas a termo.

Mas a menor conectividade na região do córtex envolvida nas capacidades cognitivas pode estar relacionada com o fato de estas crianças terem mais probabilidades de sofrer de problemas de concentração e de socialização, segundo os pesquisadores.

"A próxima etapa na nossa pesquisa será compreender o vínculo entre estas observações e as dificuldades de aprendizado, concentração ou socialização", comentou Hilary Toulmin, do centro de desenvolvimento cerebral do King's College e principal autora do estudo publicado na academia americana de ciências (PNAS)."" ​

IMG_6357.jpg

O IG @entendendooautismo recomenda: 

 

"Na suspeita do Autismo, o melhor a se fazer é reparar em pequenos gestos que podem revelar a necessidade de uma atenção maior às atitudes de seu filho.

Quando você o chama, ele não atende? O contato visual é inexistente? A criança gosta de brincar sozinha o tempo todo? Isso tudo pode ser sinal de Transtorno do Espectro Autista (TEA) ou Autismo, como é conhecido popularmente.

É sempre válido lembrar que quanto mais precoce for a descoberta do TEA na criança, mais eficazes podem ser as intervenções que visam ao tratamento do pequeno".

Entendendo o Autismo

SINAIS EM BEBÊS 

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com