TOC

 

Como ensina o IG @cbiofmiami:

"O Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) na infância tem início em média aos 10 anos de idade. A genética é um grande preditor de transtornos ansiosos, então é comum encontrarmos história de TOC ou transtorno de tiques em outro membro da família.
.
O TOC é caracterizado pela compulsão e obsessão, que são pensamentos persistentes que sem sentido que invadem a cabeça do paciente. O próprio paciente os reconhece como sem sentido, mas não consegue controlá-los. Podem apresentar-se como repetição de palavras, frases, pensamentos, medos, números e fotos que normalmente estão relacionadas com ideias de limpeza, contaminação, segurança, agressão ou sexo.
.
Os principais sintomas de TOC na idade escolar são: gasto excessivo de tempo na arrumação do material escolar com rituais de simetria; rituais de repetição na execução de exercícios escolares; perfeccionismo; releituras de textos inúmeras vezes; repetições de perguntas diversas vezes; solicitação de repetição de frases; repetidos pedidos de desculpas; colecionismo de objetos inúteis como jornais velhos e papéis de bala; verificação excessiva de fechaduras e portas; banhos prolongados diversas vezes ao dia"

Captura_de_Tela_2020-09-18_às_17.34.28

TOC

Dra. Deborah Kerches 

Dra. Deborah divulgou no seu IG @dradeborahkerches:

"Meu artigo publicado no Pedline (Portal on-line de pediatria) sobre características do Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) no espectro autista e cuidados que essa associação pede". Segue link abaixo:

Captura_de_Tela_2020-10-05_às_10.20.25

PENSAMENTOS NO TOC

Neurosaber

O IG @neurosaberoficial explica:

"Como funcionam os pensamentos da pessoa com TOC? Entenda com esse vídeo do Dr. Clay como uma pessoa que tem TOC costuma pensar durante seu dia a dia!"
 

Captura_de_Tela_2020-02-26_às_19.54.47.

TRATAMENTO 

Neurosaber

O IG @neurosaberoficial explica:

"Por que é importante tratar o TOC? 

Muito tem se falado sobre o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC) e sobre o quanto os pensamentos compulsivos e as obsessões geram ansiedade no paciente. Mas, afinal, por que é importante tratar o TOC? Aprenda mais sobre o tema com o Dr. Clay Brites.

Captura_de_Tela_2020-02-27_às_11.25.44.

PRIMEIROS SINTOMAS

Neurosaber

O IG @neurosaberoficial explica:

"Você sabe quando começam os primeiros sintomas do Transtorno Obsessivo Compulsivo, também conhecido como TOC? 😨

Eles podem ocorrer em qualquer momento da vida, seja na infância, adolescência ou até na fase adulta, mas se manifesta de forma mais perceptível no início da adolescência.


Hoje, atendendo à pedidos, o Dr. Clay vai responder a essa pergunta, explicando como esse transtorno atinge a vida dos jovens. Vamos aprender?""

 

Assista o vídeo no link abaixo:

OIP-1.jpg

TOC NA INFÂNCIA

Neurosaber

O site www.neurosaber.com.br explica:

"

O que é TOC na Infância?

Você sabia que crianças podem desenvolver TOC? É isso mesmo, o transtorno obsessivo compulsivo pode ser muito comum entre os pequenos. Contudo, o TOC infantil pode ser amenizado com tratamentos adequados. Mas antes vale a pena rever algumas características que ajudarão pais e profissionais a identificarem os sinais e os traços manifestados pela criança.

Esclarecendo

Muita gente se confunde na hora de conceituar a obsessão e a compulsão, mas colocaremos a seguir o significado de cada uma. Veja abaixo:

– Obsessão: pensamentos ou ideias que aparecem de repente na mente de uma pessoa. Com isso, ela passa a imaginar que tal pensamento é real e que isso vai levar a um problema se ela não fizer alguma coisa para solucioná-lo. Em muitos casos, o indivíduo passa a pensar que tudo de errado que acontece é culpa dele. Vale lembrar, no entanto, que não se trata de alucinação, mas pensamentos que surgem e que acabam tornando a pessoa refém da própria mente.

– Compulsão: a compulsão é o ato motor, é uma ação. Exemplo: trancar a porta várias vezes para ter a certeza que fechou a casa.

Criança com TOC e o aprendizado na escola

É importante lembrar que a criança que apresenta TOC não tem o aprendizado pedagógico prejudicado. Porém, é provável que o rendimento escolar do aluno fique comprometido diante do pensamento obsessivo, que insiste em tomar conta de sua mente; ou, então, do perfeccionismo que a criança pode ter ao escrever uma palavra.

O pequeno fica preso nesses detalhes sem aproveitar o conteúdo dado em sala de aula. Outro ponto é que o aluno pensa que se utilizar alguma palavra, isso pode levá-lo a uma situação de tragédia, por exemplo.  Essa característica é bem comum entre crianças que tenham TOC (pensar que algo de ruim vai acontecer se não fizer determinada coisa ou se afastar de seus pais).

Comorbidades associadas ao TOC

O transtorno obsessivo compulsivo pode apresentar algumas comorbidades, tais como: esquizofrenia, TDAH, bipolaridade, Síndrome de Touret, Transtorno de Espectro de Autismo, tiques (estímulos motores imprevisíveis, sem planejamento).

Como caracterizar um TOC

Antes desta informação, vale dizer que somente o acompanhamento de um profissional é capaz de identificar a existência do transtorno. Uma pista que sua criança possa estar com o TOC é quando esses pensamentos obsessivos e atitudes compulsivas ocorrem, pelo menos, uma hora por dia.

Problemas gerados pelo TOC

Uma criança com TOC pode manifestar problemas na vida acadêmica, emocional, social, profissional (quando adulto) e afetiva. A pessoa deixa de fazer coisas importantes para ficar imersa nessas situações. Além disso, tais atitudes (TOC) geram angústia e medo.

Hereditariedade

Geralmente, a criança com TOC pode ter tal transtorno proveniente de algum parente que manifeste tais condições.

Autismo e TOC

O autismo associado ao TOC pode ocorrer em 6% a 10% das crianças com autismo.

Por que a criança omite a existência do TOC?

Na verdade, o pequeno não saberá passar a mensagem que tem TOC. Isto cabe aos pais e educadores na percepção de alguns traços incomuns para uma criança. Esses sinais podem ser dores de cabeça, dor de barriga, tristeza repentina e angústia. Aliás, o pequeno, ao sentir esses incômodos, pode ficar com medo de manifestar tal situação e ser reprimido pelos pais.

Tratamento

O tratamento do TOC é feito através de medicamento, psicoterapia comportamental e suporte escolar com profissionais capacitados.

TOC

Como explica Dra. Deborah Kerches: 

O TOC (Transtorno Obsessivo Compulsivo) pode iniciar já na infância e adolescência e a prevalência parece ser similar em adultos. Mais de 1/3 dos adultos com TOC tiveram seus sintomas iniciais na infância. É mais comum em pessoas ansiosas; inflexíveis; com tendência ao perfeccionismo e preocupações, por ex. com regras, moral, organização, horários. Caracteriza-se por obsessão (pensamentos, ideias) e compulsão (ações repetitivas). Estes pensamentos persistentes geram angústia e ansiedade e as ações compulsivas seriam uma tentativa de controlá-los. Os sintomas tendem a mudar ao longo da vida. Assim como adultos, crianças e adolescentes tendem a ocultar os sintomas. Nem sempre manias e rituais em crianças são valorizados por pais e professores, mas quando ocorrem em grande intensidade e persistem de modo a causar prejuízos na rotina da criança, merecem atenção.
Cabe aos pais e demais adultos da convivência estarem atentos à rotina e comportamento da criança/adolescente. Sintomas mais frequentes: rituais de higiene repetitivos e exagerados; repetições de ações; checagens e contagens compulsivas, deixar tudo simétrico; entre outros. O TOC costuma causar grande sofrimento psíquico para eles; a criança pode achar que se não cumprir determinada tarefa, algo de muito ruim pode acontecer; passam a ter ideias de autopunição pois acham que tudo de errado que acontece é consequência de algo que deixou de fazer. O TOC pode expor a criança/adolescente ao bullying e predispor a outros transtornos psiquiátricos. Muitos tendem a se isolar, evitar contato social.
O TOC na infância e adolescência pode afetar a vida emocional, social e comprometer o rendimento escolar à medida que os pensamentos obsessivos, rituais e compulsões os tornam mais desatentos e, naquelas em que há manifestação de perfeccionismo, a criança pode ficar focada em detalhes e não ampliar o repertório de aprendizagem.
O tratamento para o TOC infantil prevê psicoterapia comportamental, medicação quando necessário, suporte familiar e escolar. Quanto mais precoce o diagnóstico e tratamento, melhor o prognóstico e qualidade de vida.

TOC

Como explica o IG @nemparece.tea:

 

"Você sabe o que é TOC?

Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC) é um transtorno comum, crônico e de longa duração em que uma pessoa tem pensamentos ( obsessões ) e / ou comportamentos ( compulsões ) recorrentes e incontroláveis que sente vontade de repetir continuamente.

Pessoas com TOC podem ter sintomas de obsessões, compulsões ou ambos.

Esses sintomas podem interferir em todos os aspectos da vida, como trabalho, escola e relacionamentos pessoais.

Obsessões são pensamentos, desejos ou imagens mentais repetidos que causam ansiedade.

Os sintomas comuns incluem:

Medo de germes ou contaminação.

Pensamentos proibidos indesejados ou tabu envolvendo sexo, religião ou dano.

Pensamentos agressivos em relação aos outros ou a si mesmo.

Ter as coisas simétricas ou em perfeita ordem.

Compulsões são comportamentos repetitivos q uma pessoa com TOC sente vontade de fazer em resposta a um pensamento obsessivo.

As compulsões comuns incluem:

Limpeza excessiva e / ou lavagem das mãos.

Ordenando e organizando as coisas de uma maneira particular e precisa.

Verificar as coisas repetidamente, como verificar repetidamente se a porta está trancada ou se o forno está desligado.

Contagem compulsiva.

Mas em todos os rituais ou hábitos são compulsões, checamos as coisas às vezes.

Mas uma pessoa com TOC geralmente:

N consegue controlar seus pensamentos ou comportamentos, mesmo qd esses pensamentos ou comportamentos são reconhecidos como excessivos.

Passa pelo menos 1 hora por dia nesses pensamentos ou comportamentos.

Não sente prazer ao realizar os comportamentos ou rituais, mas pode sentir um breve alívio da ansiedade que os pensamentos causam.

Experimenta problemas significativos em sua vida diária devido a esses pensamentos ou comportamentos.

Alguns estudos referem que pessoas com TOC apresentam dificuldades de memória e de funções executivas, como planejar e executar um determinado comportamento.

Autistas podem ter TOC como comorbidade e muitas vezes demoram a ser diagnosticados, principalmente em TEA ( Transtorno do Espectro do Autismo) leve ou nível 1."

TOC & TEA 

Como explica o IG @nemparece.tea:

 

Autismo está associado a altas taxas de ansiedade e transtornos fóbicos estimados em 41% dos jovens autistas.

Estima-se que 17-37% dos jovens autistas também experimentam sintomas de TOC, embora a proporção de jovens com TOC que também atendem aos critérios de diagnóstico de TEA seja menos clara.

Vários estudos sugeriram que jovens com TOC e TEA concomitante têm psicopatologia e prejuízo clinicamente distintos em comparação com aqueles com TEA ou somente TOC. 

No entanto, os resultados deste estudo podem não ser generalizáveis, pois são limitados por amostras pequenas e recrutamento seletivo, por exemplo, excluindo jovens com deficiência intelectual.

Parte dessa sobreposição pode refletir diagnósticos errados: os rituais de TOC podem se assemelhar aos comportamentos repetitivos comuns no autismo e vice-versa.

Da mesma forma, as pessoas com TOC têm quatro vezes mais probabilidade do que os indivíduos normais de serem diagnosticadas com autismo posteriormente, de acordo com o mesmo estudo.

Em paciente típico de TOC, um padrão de desligar e ligar interruptores de luz, por exemplo, seria um ritual realizado para evitar algum desastre iminente ou proteger contra ameaças externas percebidas.

Em contraste, um paciente com TEA pode ligar e desligar um interruptor de luz porque experimenta um prazer auto-apaziguador do ato em si, não porque isso os protege de algum medo obsessivo.

Alguns autistas não têm interesse em mudar seus comportamentos por serem prazeirosos, porém, quando muito frequentes, podem prejudiciar ação em atividades de vida diária/sociais/trabalho.

Em autistas, a ansiedade surge de uma fonte diferente, por exemplo, impulsividade, rigidez de pensamento, apego a rotinas, dificuldade para compreender seus sentimentos, superestimulação sensorial, incompreensão de pistas sociais.

Com acesso a psicoterapia e medicação específica para TOC, autistas aprimoram o funcionamento psicossocial, bem como diminuem a ansiedade, melhorando a qualidade de vida.

#autismo

Referências:

https://link.springer.com/article/10.1007/s00787-020-01478-8
https://iocdf.org/expert-opinions/treatments-for-obsessive-compulsive-disorder-comorbid-with-autism-spectrum-disorder "

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com