POR QUE ABA???

1. Porque é a recomendação da OMS

f14275234c4bfb4932f6e627efc36609.jpg

RECOMENDAÇÃO da OMS / BRASIL

ABA 

É consenso mundial que a terapia comportamental, também conhecida com ABA (Applied Behavior Analysis = Análise do Comportamento Aplicada) é o tratamento com maior comprovação científica para o AUTISMO, inclusive essa é a recomendação da OMS - Organização Mundial de Saúde

Folha informativa - Transtorno do espectro autista

Folha informativa atualizada em abril de 2017:

"(...) As intervenções psicossociais baseadas em evidências, como o tratamento comportamental e os programas de treinamento de habilidades para os pais, podem reduzir as dificuldades de comunicação e comportamento social, com impacto positivo no bem-estar e qualidade de vida das pessoas com TEA e seus cuidadores".

São necessárias pelo menos 10h por semana de ABA, além das demais terapias com a equipe multidisciplinar.

É por isso que a OMS recomenda também o TREINAMENTO de PAIS, para viabilizar essa grande quantidade de horas.

Caso você tenha acesso a poucas horas com profissional, aproveite esse tempo para que ele crie um programa e monitore você ou um estagiário (um estudante) que venha a sua casa todos os dias para aplicar e que faça curso ABA (recomendo curso AT para o aplicador e de Treinamento de Pais  www.institutosingular.org).


 

download.jpg

RECOMENDAÇÃO OMS / MUNDIAL

ABA 

No mesmo sentido o site mundial da organização mundial de saúde:

 

"Evidence-based psychosocial interventions, such as behavioural treatment and parent skills training programmes, can reduce difficulties in communication and social behaviour, with a positive impact on well-being and quality of life for persons with ASD and their caregivers".

2. Tem Comprovação de Resultado

image47-post-grupo-conduzir-1.jpg

BASEADA EM EVIDÊNCIAS

ABA 

Como explica o site www.grupoconduzir.com.br:

"ABA: o tratamento baseado em evidência científica

Publicado em 16 de março de 2018 

Por renatamichel

A Análise do Comportamento Aplicada (ABA) é, sem dúvida, a abordagem clínica que tem se tornado mais popular entre aquelas indicadas para indivíduos com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Isso se deve a alguns motivos, entre eles, o fato de possibilitar aos pais e cuidadores a clara visibilidade de resultados na mudança de comportamentos de seus filhos que passam por uma intervenção consistente. Entretanto, o que se deve sempre destacar é que a ABA é o tratamento baseado em evidências científicas.
Desde a década de 60 pesquisadores nos Estados Unidos têm se preocupado em validar práticas baseadas em evidência na medicina. Para isso, em 1992 foi criado o manual denominado Evidence-based medicine ou Medicina baseada em evidência (EBM), uma ferramenta que tem o objetivo de guiar de forma mais precisa a decisão de profissionais da saúde na indicação de tratamentos que possam, de forma mais eficaz, promover a saúde do paciente ao integrar as melhores evidências científicas disponíveis. Em seguida, a mesma linha de raciocínio foi seguida por diversas outras áreas como fonoaudiologia, educação e psicologia constituindo o manual Evidence-based practice ou Práticas baseadas em evidência (EBP).

Confira o vídeo que fala do Tratamento baseado em evidência científica (ABA)

A Supervisora do Grupo Conduzir, Karina Frizzi, explica no vídeo abaixo os principais pontos desse assunto.
[su_youtube_advanced url=”https://youtu.be/Nafn3lQ-oeI” responsive=”yes” controls=”yes” autohide=”yes” showinfo=”no” rel=”no” fs=”no” theme=”light” https=”yes”]

Manual EBP

O mais recente manual EBP publicado em 2014 avaliou 20 anos de pesquisas de Intervenção para Transtorno do Espetro do Autismo (1990 – 2011), a partir de nove diferentes bases de dados. Partindo de um total de 29.105 pesquisas, os revisores eliminaram artigos que, no título, assumiam ser teóricos, comentários, revisões ou resumos e quem não selecionou participante com autismo até 22 anos de idade ou não tinha delineamento experimental definido restando, assim, 1.090 artigos. O grupo de 159 revisores era composto por profissionais especialistas de diversas áreas (ABA, Educação, Psicologia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia), com vasta experiência teórica e prática. Importante destacar que, dentre os profissionais, 53 eram BCBA’s (Board Certified Behavior Analyst), certificação em ABA internacionalmente reconhecida.
Do total de artigos selecionados, 183 usaram delineamento de linha de base múltipla e 79 usaram delineamento de reversão, ambos comumente usados em pesquisas da Análise do Comportamento Aplicada. As pesquisas selecionadas contemplaram participantes entre 0 e 22 anos de idade, identificando o número de pesquisas para cada faixa etária. Houve predominância do numero de pesquisas que tiveram como participantes crianças entre 3 e 11 anos de idade. O manual identificou, ainda, 12 diferentes áreas de dificuldades que justificavam os estudos e, entre elas, destacaram-se como mais frequentemente abordadas a dificuldade de comunicação (182 pesquisas); o repertório social (165 pesquisas) e o comportamento disruptivo (158 pesquisas).  Algumas práticas de intervenção revisadas possuíam algum apoio empírico da literatura, mas não atendiam aos critérios metodológicos estabelecidos para essa revisão. Os motivos da sua exclusão foram os seguintes: 1. houve um número insuficiente de estudos comprovando sua eficácia, ou 2. houve um número suficiente de estudos aceitáveis, mas os estudos foram realizados por apenas um grupo de pesquisa, ou 3.  houve um número suficiente de estudos, mas não houve um número suficiente de participantes totais em todos os estudos (ou seja, 20 ou mais). Entre estas, podemos citar como exemplo a Integração Sensorial e Treino de Coordenação Motora Fina; Instrução Direta e Musicoterapia.
Por fim, o manual identificou um total de 27 práticas baseadas em evidências científicas que atingiram todos os critérios propostos pela revisão, tais como: DTT (Discrete Trial Trainning ou Treino de Tentativa Discreta); Análise Funcional; FCT (Function Communication Trainning ou Treino de Comunicação Funcional); NET (Natural Environment Trainning ou Treino em Ambiente Natural); Análise de Tarefas, entre outros. Do total de 27 práticas identificadas 23 são baseadas nos princípios da Análise do Comportamento Aplicada (ABA) e, portanto, compõem a intervenção em ABA para crianças com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA).
A razão para que as pesquisas em ABA atinjam um alto padrão de excelência podem ser explicadas pela busca constante do pesquisador em atingir os sete parâmetros da Análise do Comportamento Aplicada definidos por Baer, Wolf e Risley (1968): 1. Comportamental: o comportamento observável é o objeto de estudo, ou seja, sua análise requer uma mensuração precisa; 2. Analítica: demonstrar que os procedimentos de intervenção foram responsáveis pela mudança no comportamento; 3. Aplicada: o comportamento estudado é importante para a sociedade e para o indivíduo; 4. Eficaz: a mudança comportamental atingida com a intervenção é significativa; 5. Generalizável: emissão do comportamento na presença de outras pessoas e em outros ambientes; 6. Conceitual: as técnicas utilizadas no estudo devem ser baseadas nos princípios básicos da Análise do Comportamento e 7. Tecnológica: os procedimentos utilizados são precisamente descritos, a ponto de poderem ser reproduzidos por outro pesquisador.
Conclui-se, assim, que a ABA é o tratamento baseado em evidência científica por contemplar procedimentos que são constantemente testados e revisados e que, por atenderem aos padrões acima, possuem comprovação cientifica de eficácia para indivíduos com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). Assim como o próprio manual reconhece em sua conclusão, o próximo desafio será monitorar o quanto da ciência é, de fato, transferido para a prática.
Referências Bibliográficas:

Fonte: Artigo publicado em 13 de fevereiro de 2018 pelo site comportese.com – com modificações".


 

3. Único com Evidência Científica

image47-post-grupo-conduzir-1.jpg

ASS. CIÊNCIA TRATAM. TEA USA

ABA 

Como salienta o site institutopensi.org.br:

" A Associação para a Ciência do Tratamento do Autismo dos Estados Unidos, afirma que a terapia ABA é o único tratamento que possui evidência científica suficiente para ser considerado eficaz".


 

Captura_de_Tela_2020-11-06_às_16.20.11

ASS. CIÊNCIA TRATAM. TEA USA

ABA 

O site asatonline.org explica que o que funciona para autismo é ABA e intervenção precoce intensiva comportamental:

Captura de Tela 2020-12-09 às 16.37.28.

AUTISM SPEAKS 

ABA 

Autism Speaks é a maior organização dos Estados Unidos e muito provavelmente do mundo e também indica ABA: