✅ IMITAÇÃO

➡️ Crianças com TEA não têm muita vontade de imitar palavras, gestos e ações dos outros e isso REDUZ drasticamente as oportunidades de APRENDIZAGEM.

➡️ A falta de habilidade de imitação pode ser um IMPEDIMENTO para APRENDIZAGEM através dos PROFESSORES, PAIS, TERAPEUTAS e outras CRIANÇAS.

➡️ Por isso a IMITAÇÃO é um dos principais programas no tratamento do Autismo.

➡️ Não devemos pular etapas, sob pena de frustrar a criança e tornar possivelmente o aprendizado inviável.

➡️ As IMITAÇÕES VOCAIS, que são a última etapa da imitação (ao final) são necessárias para que a criança possa avançar para o 2o passo do COMPORTAMENTO VERBAL.

➡️ Entenda os 8 PASSOS do COMPORTAMENTO VERBAL desenvolvido pela nossa mestre no canal do YouTube Mayra Gaiato, no link abaixo:

➡️ TOMADA DE VEZ
A imitação envolve a tomada de vez, cujo treino é necessário para:
* conversas e
* jogos.

➡️ COMO ENSINAR:
de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce:

1️⃣ ATENÇÃO: Capte a ATENÇÃO da criança numa ATIVIDADE que ela ADORE;

2️⃣ Dê o MODELO para a criança IMITAR e dê a AJUDA necessária;

3️⃣ REFORCE continuando a atividade (que é reforçadora)

➡️ NARRE:
Enquanto você bate, narre: “Bate, bate, bate”, no ritmo das batidas.
E faça sons engraçados: “Pow, pow, pow” também no ritmo das batidas.
Depois faça o mesmo quando a criança lhe imitar, mesmo que seja com ajuda.

COMO ENSINAR:

 

Segue o passo a passo, de acordo com o Modelo Denver de Intervenção Precoce:

➡️ 1a FASE:
IMITAÇÃO COM OBJETOS
Lembrando que devemos começar sempre o TREINAMENTO de IMITAÇÃO com objetos, pois:
* Geralmente as crianças progridem mais rápido quando imitam com objetos,
* É possível dar ajuda.

➡️ 1o PASSO: A CRIANÇA MODELA:
Nesta fase, vamos treinar ações que já estão no repertório da criança, modeladas por ela.

1. OBSERVE: Ex. A criança está batendo o tambor;

2. TROCA DE TURNOS: Você pega o tambor e fala “minha vez”;

3. VOCÊ IMITA: Você pega o tambor e faz igual ao que a criança estava fazendo, narrando e fazendo efeitos sonoros no ritmo das batidas: “bate, bate, bate”, “pow, pow, pow”;

4. PEÇA IMITAÇÃO: Você devolve o tambor e fala: “Faz igual" ou “imita” ou “sua vez”, etc.

5. NARRE: Se a criança imitar e bater, narre também no ritmo das batidas: “bate, bate, bate”, “pow, pow, pow”;

6. AJUDE: Se ela não imitar, dê ajuda física imediatamente e narre também.

7. REFORCE: Reforce deixando a criança mais um tempo com o tambor e fazendo livremente o que quiser.

➡️ Continue nesse nível até que a criança consiga imitar de forma independente 8 a 10 ações no mínimo, numa frequência de pelo menos 80% das vezes.

2o PASSO: AÇÃO FAMILIAR MODELADA PELO ADULTO

➡️ SEMELHANÇAS 1o PASSO:
Nesta fase, o adulto pede imitações que já estão no repertório da criança.

➡️ DIFERENÇAS 1o PASSO:
* O adulto é que toma a iniciativa e dá o modelo da imitação.

1️⃣ Faça algumas vezes a etapa 1, imitando o que a criança está fazendo;

2️⃣ Faça a tomada de vez:
Ex. A criança está brincando com o martelo. Você fala “minha vez” e pega o materioteca;

3️⃣ Proponha algo diferente, mas algo SIMPLES, dentro da brincadeira que a CRIANÇA ESCOLHEU e que ela JÁ TENHA FEITO antes.
Ex. Finja que está consertando o carrinho, narrando: “conserta, plim!”

4️⃣ Devolva o martelo e fale: “Faz igual!”

5️⃣ Se a criança imitar e bater, narre também: “conserta, plim!”

6️⃣ Se ela não imitar,
* deixe a criança brincar mais alguns instantes com o martelo;
* se ela não imitar, retire o martelo dela e demonstra novamente dizendo: “imite” e
* faça imitar imediatamente com AJUDA FÍSICA e NARRANDO também: “conserta, plim!”

7️⃣ Reforce deixando a criança mais um tempo com o martelo e fazendo livremente o que ela quiser.

➡️ Quando a criança consegue imitar de forma independente 80% das vezes 8 a 10 ou mais ações diferentes representa o domínio completo do nível 1 / Item 1 da Imitação (vide primeiro post da série).

➡️ FONTE: Livro Intervenção Precoce em Crianças com Autismo (Modelo Denver Intervenção Precoce).

3o PASSO: IMITAR AÇÃO NOVA SIMPLES


➡️ FONTE:
Livro Intervenção Precoce em Crianças com Autismo (MODELO DENVER)

➡️ ENSINE VARIAÇÕES:
Nesta fase você acrescenta e ensina à criança algo novo, insere novas ações simples com objetos, ou seja, que não estejam no repertório da criança.

➡️ NOVO e SIMPLES:
Agora você deve propor a imitação de algo que a criança ainda não tenha feito, mas tem que ser algo simples, dentro da capacidade da criança.

➡️ QUANDO:
Você pode passar para essa fase quando a criança estiver imitando algo que você modelou, mas que já estava no repertório dela (2a Etapa Imitação - Post anterior), de forma independente 80% das vezes 10 ou mais ações diferentes.

➡️ COMO FAZER:
Siga os passos das fases anteriores:
1. IMITE: Imite o que a criança estiver fazendo;
2. VARIE: Faça a tomada de vez:
* A criança está brincando com o martelo;
* Você fala “minha vez” e pega o martelo;
* Acrescente uma variação com o objeto dentro da brincadeira escolhida pela criança;
3. NARRE: Narre e faça efeitos sonoros do que você fizer.
4. PEÇA IMITAÇÃO: Devolva o martelo e fale “Faz igual";
5. NARRE: Se a criança imitar e bater, narre também: “girou”, “wow”.
6. AJUDE: Se ela não imitar,
* deixe a criança brincar mais alguns instantes com o martelo;
* se ela não imitar, retire o martelo dela e demonstra novamente dizendo: “imite” e
* faça imitar imediatamente com ajuda física e narrando também.
7. REFORCE: Reforce deixando a criança mais um tempo com o martelo, fazendo livremente o que ela quiser.

➡️ Dicas de materiais para esse passo: massinha, artes plásticas, carros, blocos, varetas, etc.

➡️ Também é uma boa hora para introduzir brinquedos novos, com os quais a criança ainda não tenha esquemas definidos e tudo que você modelar será novo.

➡️ Nesta fase você pode incluir materiais que a criança use de maneira repetitiva para apresentar variações, mas a aprendizagem será mais fácil se as ações e objetos se escolher ações e objetos em que a criança possa lidar de forma mais flexível.

4o PASSO: IMITAR UMA SÉRIE DE AÇÕES DIFERENTES, MAS RELACIONADAS

➡️ SÉRIE DE AÇÕES SIMPLES:
O adulto fornece uma série de 3-4 ações de um passo diferentes, parando a cada ação, para que a criança o imite.

➡️ OBJETIVO:
Que a criança imite cada passo rapidamente.

➡️ DICA: Usar duplas de brinquedos pode facilitar a tarefa.

➡️ EXEMPLO:
Se a criança está andando com seu carrinho para trás e para frente, primeiro imite e depois leva seu carro próximo ao dele, fazendo sons “vruuum, bibi”e fazer bater no carro da criança, falando “pow”.

➡️ QUANDO:
Você pode passar para essa fase quando a criança estiver imitando a variação que você modelou, mas que já estava no repertório dela (3a Etapa Imitação - Post anterior), de forma independente 80% das vezes 10 ou mais ações diferentes.

➡️ COMO FAZER:
Siga os passos das fases anteriores:
1. IMITE: Imite o que a criança estiver fazendo;
2. VARIE: Apresente uma variação com o objeto dentro da brincadeira escolhida pela criança;
3. NARRE: Narre e faça efeitos sonoros do que você fizer.
4. PEÇA IMITAÇÃO: Devolva o objeto e fale “Faz igual";
5. NARRE: Se a criança imitar e bater, narre também.
6. AJUDE: Se ela não imitar,
demonstre novamente dizendo: “imite” e
* faça imitar imediatamente com ajuda física e narrando também.
7. MAIS VARIAÇÃO: Acrescente mais uma variação, repetindo os passos 2 a 6
8. REPITA: Faça o mesmo para a 3a variação
9. REFORCE: Reforce deixando a criança mais um tempo com o objeto, fazendo livremente o que ela quiser.

5o PASSO: IMITAR UMA SÉRIE DE AÇÕES NÃO-CONVENCIONAIS


➡️ OBJETIVO: Neste passo o objetivo é conseguir imitações em série de ações em desacordo com a função real ou o uso convencional do objeto.

➡️ EXEMPLOS: Bater o martelo na bochecha e falar: “bochecha”, “póin” ou colocar a tigela na cabeça e falar: “chapéu”.

➡️ QUANDO:
Você pode passar para essa fase quando a criança estiver imitando série de 3-4 ações de 1 passo diferentes (4a Etapa Imitação - Post anterior), de forma independente 80% das vezes 10 ou mais ações diferentes.

➡️ COMO FAZER:
1. IMITE:
Imite a brincadeira da criança
2. VARIAÇÃO NÃO-CONVENCIONAL:
Apresente uma variação com o
objeto escolhido pela criança,
mas de forma não-convencional
3. NARRE:
Narre e faça efeitos sonoros do
que você fizer
4. PEÇA IMITAÇÃO:
Devolva o objeto e fale “Faz igual"
5. NARRE:
Se a criança imitar, narre
também
6. AJUDE:
Se ela não imitar, demonstre
novamente dizendo: “imite” e
* faça imitar imediatamente com
ajuda física, narrando também.
7. MAIS VARIAÇÃO NÃO-CONVENCIONAL: Acrescente mais uma variação não-convencional, repetindo os passos 2 a 6
8. REPITA: Faça o mesmo para a 3a variação
9. REFORCE: Reforce deixando a criança mais um tempo com o objeto, fazendo livremente o que ela quiser.

➡️ Esse é o nível mais elevado da imitação com objetos.

 

IMITAÇÃO GESTUAL


➡️ 2 situações que favorecem a imitação gestual ou dos movimentos do corpo são:

* ROTINAS SENSÓRIO-SOCIAIS, especialmente com MÚSICAS (A Dona Aranha, Música dos Dedos, Cabeça, Ombro, Joelho e Pé, etc);

* GESTOS COMUNICATIVOS convencionais como acenar, apontar, demonstrar que é meu, grande, pequeno, etc.

➡️ PASSO A PASSO: Imitação de Gestos em MÚSICAS ou BRINCADEIRAS com Dedos:
1. INTRODUZA: Toque a música e faça sozinho a coreografia até que a criança comece a curtir a brincadeira.

2. AJUDE: Assim que a criança começar a reconhecer a apreciar, comece a ajudar a criança para que ela acompanhe seus movimentos.

➡️ VÁ DIMINUINDO A AJUDA:
Aos poucos, ao invés da ajuda física total, dê ajuda física parcial, tocando muito rapidamente e depois através dos punhos, cotovelos ou braço, ao invés das mãos, para aumentar cada vez mais sua independência.

Se a criança dá a mão para você, ao invés de tentar imitar seus gestos, é sinal que é preciso enfraquecer as ajudas.

➡️ TODOS OS PASSOS: É importante que a criança imite todos os passos. Para isso, faça um passo de cada vez, espere a imitação ou dê a ajuda física antes de continuar a música.

➡️ SEJA RÁPIDO: Cuidado para não esperar muito pela resposta da criança e tornar a brincadeira chata. Dê ajudas rápidas.

➡️ OBJETIVO - INDEPENDÊNCIA: É preferível uma imitação mal feita, mas de forma independente do que o contrário.

➡️ AVERSÃO AO TOQUE: Avalie se a criança fica desconfiada com a ajuda ou não goste de ser tocada.

3. REFORCE: A continuação da música é o reforço pela imitação.

IMITAÇÃO SIMPLES e SEQUÊNCIAS
.
.
A IMITAÇÃO é um dos programas mais importantes no tratamento do Autismo, pois é uma primordial fonte de aprendizado. Nós não aprendemos tudo que sabemos na escola, em cursos ou em livros, aprendemos uma infinidade gigante de coisas observando e imitando. É imitando que aprendemos a falar e uma série de outras coisas todos os dias. E fazemos isso ainda adultos, quando dirigimos numa cidade diferente e seguimos o fluxo dos carros, por exemplo.

 

No entanto, crianças com autismo têm os neurônios-espelho (responsáveis pela imitação) pouco ativados e precisamos estimula-los para que elas não percam uma infinidade diária de aprendizados.
 

Seguem alguns exemplos de imitação do livro ENSINO de HABILIDADES BÁSICAS para PESSOAS com AUTISMO. Se as imitações simples já são fáceis para seu filho, treine as imitações em sequência. Lá há outros exemplos de imitação também dos próximos passos. 
 

OBS: Não ganho nada para indicar livros, cursos, etc. Só indico pq penso que serão bons para vcs e para o desenvolvimento de seus filhos. Se tiver alguma dica de livro ou curso que dê dicas práticas, conta aqui💙💙💙

IMITAÇÃO ORO-FACIAL:


São imitações mais difíceis de aprender, mas muito importantes para o desenvolvimento da imitação vocal (próxima etapa de imitação) e, consequentemente, para o desenvolvimento da FALA FUNCIONAL.

⚠️ ATENÇÃO:
É importante partir para as imitações oro-faciais só depois que a criança imitar muito bem, em 80% das vezes, pelo menos 8-10 imitações gestuais corporais (etapa anterior).

🧡 EXEMPLOS:
Faça sopros exageros para soprar bolas de sabão, faça caretas nas canções, sons dos animais nas histórias, expressões faciais em frente ao espelho, etc.

🧡 REFORCE:
Se a criança imitar, reforce imediatamente.

🧡 DICA: ATIVIDADES que envolvam as PARTES do CORPO.
Esta é uma forma que facilita ensinar os movimentos oro-faciais, ou seja, jogos e atividades que envolvam as partes do corpo.

🧡 CANÇÕES:
Ensine a criança a tocar no nariz, na língua, a mexer nas bochechas, a acariciar a cabeça, tocar nos dentes ou manda um beijinho durante uma canção ou brincadeira sobre as pares do corpo.

🧡 HORA DO BANHO:
É possível também fazer atividades no banho com bonecos e animais, livros, etc.

🧡 BRINQUEDOS SOCIAIS SENSORIAIS:
Faça gestos oro-faciais com brinquedos sociais sensoriais e peça que a criança o imite.

🧡 MODELE:
Modele as ações da criança, ensinando como encher as bochechas e soprar antes de encher um balão, girar o catavento, fazer bolhas de sabão ou soprar uma pena.

🧡 FAÇA PALHAÇADAS:
A maioria das crianças com TEA curte que os adultos façam brincadeiras divertidas com a vibração da língua, maneios de língua, estalar os lábios (durante as refeições), o barulho do porco, um beijo com sopro, etc. Essas brincadeiras podem ser antecedentes da imitação facial.

⚠️ CUIDADO ESPELHO: Fazer esses movimentos em frente ao espelho pode dificultar as coisas, então evite. Mas caso não haja progresso, use o espelho como tentativa.

 

IMITAÇÃO VOCAL


♥️ Essa é provavelmente a COMPETÊNCIA mais IMPORTANTE que podemos ensinar a uma CRIANÇA que NÃO FALA.

⚠️ ATENÇÃO:
Você só pode iniciar o treino de IMITAÇÃO VOCAL quando a criança estiver imitando 10 ou mais ações ORO-FACIAIS diferentes, de forma independente 80% das vezes. Lembre que, antes das imitações oro-faciais, precisa dominar imitações gestuais e antes disso os 5 passos das ações com objetos (posts anteriores).

♥️ 1o PASSO: AUMENTE as VOCALIZAÇÕES:

➡️ DICA: Atividades SOCIAIS SENSORIAIS podem ser a melhor forma de estimular as vocalizações.
Brincadeiras que envolvam alto SUSPENSE estimulam muitas vezes a criança vocalizar.

➡️ REFORCE: Quando a criança VOCALIZAR, IMITE imediatamente e INCORPORE esse som na brincadeira.

➡️ Para crianças silenciosas, reforce todo e QUALQUER SOM que não seja o choro, gritos e agitação.

➡️ REFORÇO DIFERENCIAL: O reforço das vocalizações deve ser mais INTENSO que qualquer outro, mais rápido e consistente (objetos ou atividades desejados), mesmo quando a vocalização possa parecer não intencional.

♥️ 2o PASSO: IMITE as AÇÕES e VOCALIZAÇÕES da CRIANÇA

➡️ Imite a criança, tanto nas suas ações com objetos, quanto nas suas vocalizações.

➡️ PORQUE:
* Quando imitamos a criança, captamos sua atenção, e criamos uma oportunidade de jogo de imitação, onde a criança e o adulto imitam um ao outro.
* A criança fica mais consciente da outra pessoa e mais incentivada a imita-la também.
* Através dessas trocas, a criança aprende a imitar cada vez mais comportamentos e sons.

♥️ 3o PASSO: Faça RONDAS de IMITAÇÃO VOCAL

➡️ A criança vocaliza, o adulto vocaliza em reposta e a criança em seguida novamente.

➡️ REFORÇO DIFERENCIAL:
O reforço desta dinâmica deve ser diferenciado.

➡️ REFORÇO INTRÍNSECO:
Quando você perceber que a criança tem prazer na sua vocalização e fica atenta esperando a vez em que o adulto a imita, a vocalização do adulto se torna um reforço intrínseco à brincadeira (e não requer mais outros reforços).

♥️ 4o PASSO: INICIAR VOCALIZAÇÕES Bem-Estabelecidas:

➡️ Até 3o passo, era a criança quem dava iniciativa nas dinâmicas de verbalização.

➡️ Quando as rondas de imitação vocal já estiverem consistentes, você o adulto pode iniciar as rondas de vacalização, mas dentro do repertório já existente da criança, ou seja, com um som que já tenha sido feito por ela.
* Use o mesmo jogo ou posicionamento fisico em que a criança emitiu aquele som.
* Posicione a criança para a atividade,
* Faca contato social
* Dê o modelo fazendo uma vocalização
* Aguarde demonstrando expectativa;
* Se a criança não produziu o som, experimente novamente, acrescentando alguma ação ao som;
* Se não tiver sucesso, continue a brincadeira como de costume e volte à etapa anterior, de rodas de imitação vocal modeladas pela criança;
* Em algum momento, tente novamente essa etapa.

♥️ 5o PASSO: AUMENTAR as VOCALIZAÇÕES DIFERENCIADAS

➡️ REFORÇO DIFERENCIADO:
Para sons novos que surgem no repertório da criança use reforço diferencial com objeto ou atividade desejada.

➡️ Alem de imitar os sons da criança, tente trabalhar novos sons na narrativa dos jogos com a criança, encaixando numa palavra convencional como parte do jogo.

➡️ Aproveite os novos sons para narrar a brincadeira. Por exemplo. Se a criança faz um novo som, como: “bababa”, imite a criança e entregue imediatamente o barco, narrando “bababa”.

➡️ Não espere que a criança imite novos sons, a imitação vocal pode se limitar aos sons que já estão no repertório da criança, aproveitando-os para usar num contexto específico.

 

➡️ QUANDO a CRIANÇA NÃO PRODUZ FONEMAS 
Uma fonoaudióloga pode ajudar a incorporar as recomendações para o desenvolvimento dos fonemas.

➡️ RELACIONE SONS A SIGNIFICADOS DA ROTINA:

* O objetivo da imitação vocal é relacionar atividades com o discurso.
Ex: Se a criança faz o som “Dedê”, fale “Dedê” 
sempre que lhe entregar ou se referir à mamadeira

* Aproveite palavras ou efeitos sonoros com algo da rotina.
Exemplos:
Ma - para Mamãe 👩🏼
Papa - para Papai 🧔🏻
Ga - para Água 💧 
Meme - para Comer 🎂 
Bo - para Boneca 👶
Popo - para Sapo 🐸 
É - para Pé 🦶 
Etc.

* Lembre de reforçar todos os sons com um objeto ou atividade, relacionando-os sempre.

➡️ NÃO ENFATIZE A ARTICULAÇÃO 
* Não espere que a criança tenha uma articulação madura, recompense. intensamente as aproximações vocais.
* Deixe para o fonoaudiólogo a preocupação com a articulação das palavras.
* A articulação melhora com o tempo através da experiência com a fala.

➡️ NÃO ENFATIZE IMITAÇÃO MUITAS PALAVRAS
* Para crianças com excelente capacidade de imitação verbal é tentador usar a imitação de cadeias de muitas palavras, mas não faça isso! 
* Para crianças que imitam o discurso em vez de iniciá-lo, o mais importante é estimular essa iniciação em uma única palavra. 
* Para ensinar novas palavras 
através da imitação, lembre  
sempre de usar a Regra do +1
=> Para crianças que não falam 
nenhuma palavra, modele usando
apenas 1 palavra: Ex. “carro”.
=> Para crianças que falam usando 
1 palavra, modele juntando 
2 palavras: Ex. carro azul”.

➡️ REPETIÇÕES RÁPIDAS:
Tanto na imitação gestual como verbal estimule várias repetições rapidamente. 

➡️ REPITA, MAS NÃO EXAGERE:
Mas isso for uma tarefa difícil para a criança, não faça repetições rápidas seguidas, reveze com uma ação fácil, para não deixá-la sobrecarregada. 

* Numa imitação difícil, mesmo se receber ajuda, reforce plenamente.

 

* Mantenha a motivação da criança elevada com objetos e atividades preferenciais sempre relacionadas às imitações vocais;
 

* Se a motivação diminuir, foque sua atenção em aumentar o interesse da criança na brincadeira, para então voltar a pedir imitações.
 

* Para não desmotivar a criança, evite falhas, dando ajuda ou mudando rapidamente para uma imitação fácil.
* A imitação é uma competência tão importante que temos que garantir que não se torne uma atividade desagradável ou muito difícil para a criança.


Fonte: Livro Intervenção Precoce em Crianças com Autismo 

PS. Esse livro, que é voltado mais para profissionais, enquanto o livro Compreender e Agir em Família é mais indicado para as famílias, ambos do Modelo Denver de Intervenção Precoce, podem ser encontrados no site www.zambonibooks.com.br (lembrando que não ganho nada com isso🤣)

Mais Dicas 

Para mais dicas sobre IIMITAÇÃO, clique no link abaixo:

  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com