REFORÇO 

Tanto o ABA mais clássico -  DTT ou Denver, é uma espécie de treinamento de condutas, uma terapia comportamental, que pode ser feito em casa ou por terapeutas e funciona com a determinação de um DESAFIO e seu cumprimento através de AJUDA total, leve ou sem ajuda, seguido de um REFORÇO. Deve ser realizado durante pelo menos 1 (uma) hora diária, além das demais terapias indicadas pelos profissionais.

Captura_de_Tela_2020-10-05_às_12.55.23

A FORÇA DO REFORÇO 

ABA Funciona 

Entenda o quanto o REFORÇO pode mudar a vida de seu filho!

ABA não é treino de animais! ABA é tão bom que está provado que funciona até com insetos! 🐝

O cérebro das abelhas tem cerca de um 1 milhão de neurônios, enquanto o humano tem cerca de 100 bilhões.

O experimento é da Universidade Queen Mary.

Lembro que, logo no início do tratamento do Matheus, quando me sentia descrente e desanimada, eu pensava: “se até um golfinho aprende, meu filho também vai aprender!” E quanto ele aprendeu com ABA! Sem palavras para descrever minha gratidão por essa ciência!

Não é impressionante??? As abelhas aprenderem a levar a bolinha para o centro? E uma ensinar a outra? Eu achei incríveeeel!!!

Vídeo de @correio.braziliense Dica de @psicologa.mayaramagro

Captura_de_Tela_2020-10-07_às_17.37.28

A IMPORTÂNCIA DO REFORÇO 

@neuroconecta

Como ensina o IG @neuroconecta:

 

"Ensinar um comportamento adequado a uma criança e valorizá-la após o acerto com algum tipo de recompensa aumentam as chances de que aquele bom comportamento seja repetido. É o que chamamos de reforço positivo, que é uma técnica bastante eficaz e utilizada em autistas na Terapia ABA.

Cada autista possui seus gostos pessoais e preferências, por isso, o reforço positivo varia e precisa ser algo significativo para que ele reconheça como uma forma de recompensa. O reforço positivo pode ser um elogio, um brinquedo, um abraço, um passeio, por exemplo.

A maneira tecnicamente correta de realizar um reforço positivo é apresentar um item desejado ao autista imediatamente após ele executar a ação desejada.

Se o reforçador não aumentar o comportamento desejado, ele falhará. É importante monitorar esses reforçadores, alterá-los sempre que necessário e experimentar novos, para garantir que a criança continue evoluindo.

Além disso, o uso frequente do mesmo reforço pode fazer com que o autista se canse e resulte na perda da eficácia.

É muito importante que o reforço positivo seja aplicado por profissionais capacitados e que consigam avaliar a evolução do autista.

download.jpg

MODELO DENVER 

Reforço Intrínseco 

No Modelo Denver de Intervenção Precoce, o objetivo é que o reforço seja a própria brincadeira. Para entender melhor, clique no link abaixo:

Entenda o que é o REFORÇO:

REFORÇADOR - O USO DE RECOMPENSAS

Mayra Gaiato explica sobre a importância do reforçador.

O QUE SÃO REFORÇADORES - PARTE 1

Nesta série de 3 episódios, nossa mestre Mayra Gaiato explica o que são reforçadores.

O QUE SÃO REFORÇADORES - PARTE 2

Nesta série de 3 episódios, nossa mestre Mayra Gaiato explica o que são reforçadores.

QUANDO NÃO USAR REFORÇADORES - PARTE 3

Nesta série de 3 episódios, nossa mestre Mayra Gaiato explica o que são reforçadores.

Please reload

Como ensina o IG @autism.os Posted @withregram • @mirelepsi Boa noite, minha gente! Passando com esse tema EXTREMAMENTE importante e que deve estar SEMPRE em observação na prática. Espero que gostem e que seja entendido de forma leve:

Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.11.52
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.18
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.37
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.06
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.24
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.42
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.12
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.31
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_11.12.49

A IMPORTÂNCIA DO REFORÇO

A psicopedagoga mestre em ABA, Dani Botelho, explica a importância dos REFORÇADORES para aumentar a motivação e ensinar novas habilidades para pessoas com TEA.
.
.
Ensina também algumas formas de avaliar os ITENS PREFERIDOS da criança. A avaliação pode ser feita tanto por profissionais quanto familiares para promover estímulos em casa ou no consultório.
.
.
O teste de preferências pode ser feito com comestíveis, quando a criança consome (come) o que escolheu ou com objetos - brinquedos e aplicativos no celular / tablet, quando a criança brinca por um tempinho e depois pegamos de volta. .

Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.50.08
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.50.43
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.51.11
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.51.31
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.50.19
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.50.50
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_17.03.24
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.50.30
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.51.04
Captura_de_Tela_2020-04-24_às_16.51.24

O REFORÇO

 

O reforço pode ser a entrega de um brinquedo, a apresentação de um vídeo que a criança goste, ou até eventualmente uma comida de sua preferência, se for na hora da refeição ou lanchinho. 

 

Passados cerca de 10 segundos do reforço (10 segundos assistindo um vídeo, por exemplo), inicia-se novamente o mesmo processo repetidamente: DESAFIO + AJUDA = REFORÇO, seguindo todos os passos de estímulos abaixo detalhados (itens grifados).

 

O reforço deve ser dado imediatamente após o cumprimento do comando (no máximo em 3 segundos), para que a criança entenda que está sendo recompensada por ter cumprido a tarefa. Ainda que tenha cumprido o comando com ajuda total, deve receber o reforço escolhido, além de palmas, parabéns, etc., de forma que esses momentos sejam realizados de forma mais prazerosa possível para a criança. 

 

Se o reforço for um vídeo, por exemplo, deve-se deixar o mesmo "engatilhado" para ser apresentado imediatamente e pode ter a duração de cerca de 10 segundos, daí você pausa e dá um outro comando novamente, e assim por diante. Se for um lanchinho ou um brinquedo, deixar ao seu lado para ser recompensado imediatamente.

 

É muito importante que durante a aplicação desta prática, a criança fique sentada o tempo todo, saindo apenas para atender seus comandos, se for o caso, estimulando-se assim o aumento de sua concentração e compreensão da necessidade de ficar sentando na sala de aula e no restaurante, por exemplo. Caso levante, traga-a de volta. Se fizer birra, ignore completamente, deixe se acalmar e recomece. 

 

No início a criança naturalmente apresentará maior resistência. É importante ter fé e nunca ceder ou desistir. É preciso ter consciência de que estamos persistindo pelo seu bem e seguir o lema: "Ordem dada, ordem cumprida". Com perseverança, você verá os resultados!

 

Para entender melhor como funciona, assista nossos vídeos abaixo (mais vídeos no Youtube => Autislólogos Autismo). Ressaltamos que esses vídeos foram realizados após algum tempo de tratamento e que no início ele necessitava de muito mais ajuda. 

IMG_8627.JPG
Captura de Tela 2019-12-07 à(s) 20.33.5

Como ensina o IG @lucelmo.lacerda: Post da @psi.jessicacoelho (vão lá para seguí-la)
Complementando o último vídeo, uma historinha (bem plausível de ser verídica) de como não entender esse conceito pode fazer você falhar na intervenção. 🤔

Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.00
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.16
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.33
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.06
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.21
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.39
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.10
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.28
Captura_de_Tela_2020-10-05_às_15.56.45
Captura_de_Tela_2020-10-27_às_14.34.06

ALGUNS EXEMPLOS DE REFORÇOS

Como ensina o IG @neuroconecta: 

 

"Ensinar um comportamento adequado a uma criança e valorizá-la após o acerto com algum tipo de recompensa aumentam as chances de que aquele bom comportamento seja repetido. É o que chamamos de reforço positivo, que é uma técnica bastante eficaz e utilizada em autistas na intervenção baseada em ABA.

A ABA (Análise do Comportamento Aplicada) é uma ciência que trabalha para modificar comportamentos inadequados. Ela é bastante eficiente em pessoas com Autismo.

Cada autista possui seus gostos pessoais e preferências, por isso, o reforço positivo varia e precisa ser algo significativo para que ele reconheça como uma forma de recompensa.

Estes reforços devem ser vistos como um feedback explícito para a criança pelo seu comportamento. E aumentam a probabilidade de que determinado tipo de comportamento ocorra ou não novamente no futuro.

Os reforçadores são individuais, uma vez que cada pessoa responde melhor a determinados tipos de operações motivadoras.

Veja no infográfico alguns reforçadores positivos que podem ser eficazes em pessoas com autismo".

Captura_de_Tela_2020-11-04_às_17.12.51

EVITE PUNIÇÕES

ERROS COMUNS: A MELHOR forma de DIMINUIR COMPORTAMENTOS INADEQUADOS é através de BRONCAS, CASTIGOS, PALMADAS e PUNIÇÕES? .

❌ Não, por diversos motivos:

1️⃣ Pessoas com AUTISMO já acham DIFÍCIL CONVIVER com outras PESSOAS, então esse tipo de atitude pode tornar sua PRESENÇA ainda mais AVERSIVA para a criança. Como a questão central do autismo é essa dificuldade de socialização, é muito importante que essas punições sejam evitadas.

2️⃣ Muitas vezes a criança age dessa forma para obter sua ATENÇÃO, então dar uma bronca ou outra consequência pode ser REFORÇADOR, porque a criança obteve a atenção que queria. Por isso deve ser evitado.

3️⃣ Crianças com autismo geralmente têm DIFICULDADE de DISTINGUIR as EXPRESSÕES
FACIAIS e, muitas vezes, NÃO ENTENDEM o que você está FALANDO. Então uma bronca pode parecer até uma historinha empolgante e isso ser REFORÇADOR para ela. Por isso deve ser evitado. .

4️⃣ Crianças com autismo geralmente têm questões SENSORIAIS e as PALMADAS podem até ser AGRADÁVEIS. Aliás, há diversos casos de crianças que se AUTOAGRIDEM buscando exatamente essa sensação. E se não for agradável para ela, da mesma forma, sua presença pode se tornar AVERSIVA. Por isso deve ser evitado. .

5️⃣ Se você dá o EXEMPLO de bater, a criança pode aprender e se tornar AGRESSIVA também. .

6️⃣ Essas punições não ensinam as regras. Deixe as REGRAS bem CLARAS, de preferência com materiais VISUAIS e sempre que a criança não cumprir, mostre novamente a imagem e diga: “Isso não pode!” 🚫 .

7️⃣ EDUCAÇÃO do PASSADO x ABA: Muita gente tem preconceito com ABA, por ter uma visão distorcida e por conhecer apenas estratégias muito rudimentares e ultrapassadas de aplicá-la.

NOSSA EDUCAÇÃO foi de forma geral baseada nos nossos ERROS. Se fazíamos tudo certo, não estávamos fazendo mais que nossa obrigação. Com as estratégias ABA o que se faz é o CONTRÁRIO - COMEMORAMOS e PREMIAMOS cada VITÓRIA, por menor que seja e isso sim MODELA o COMPORTAMENTO, para que o indivíduo se desenvolva cada vez mais.

Captura de Tela 2021-01-28 às 17.52.03.

EVITE REFORÇOS COMESTÍVEIS 

Como ensina a mamãe Poli do IG @meubebeeoautismo:

 

"Fim de uma semana estressante de trabalho e você sente que tem direito a uma happy hour: comer junk food e tomar uma cerveja gelada com os amigos. Pronto, você está regulado, relaxado, revigorado. Nada que afete seu bem estar físico ou psicológico. Pelo contrário, a comida tem uma função sócio-afetiva importante, fortalece vínculos e se relaciona à espera de toda a semana de trabalho que a antecedeu.

É a mesma sensação da criança com autismo que está aprendendo um repertório de habilidades básicas e ao, emitir a resposta esperada, estressante pra ela, recebe como reforçador um comestível. Pronto, além de reforçada, ela está igualmente regulada e relaxada. E isso ocorre a cada 3 ou 5 minutos de uma sessão. Pense num prolongamento disso por semanas, meses, anos e você começa a entender a potencial gravidade de um uso mal cuidado desses reforçadores.

O prazer de comer algo saboroso a cada acerto (ou conjunto deles) não apenas reforça um comportamento a ser aprendido, mas estabelece um padrão de gratificação imediata. Muitos dos problemas relacionados à obesidade, abuso de álcool, vícios em drogas, masturbação compulsiva e transtornos alimentares têm origem na nossa dificuldade em atrasar o contato com um reforçador primário. Dificuldade que tem origens genéticas e são aumentadas ou diminuídas pelo ambiente em que estamos.

Muitas crianças com autismo, por baixo funcionamento executivo e conseguinte desregulação emocional, tem em sua gênese uma busca por reforçadores imediatos e freqüentes. São crianças (e adultos) mais ansiosos, impulsivos, com baixa tolerância à frustração e dificuldade de construir reforçadores sócio-afetivos pela atipicidade de seu funcionamento. Adite-se a isso anos de aprendizado de gratificação imediata, em especial com um comestível, e teremos um potencial comportamento compulsivo estabelecido, que se não ficar na comida, se transfere a outro aspecto do ambiente.

Não é sobre demonizar o uso desses reforçadores, mas ter o cuidado necessário em seu uso e retirada o mais breve possível.

Epstein, L. H., Salvy, S. J., Carr, K. A., Dearing, K. K., & Bickel, W. K. (2010). Food reinforcement, delay discounting and obesity"