MUNDO SINGULAR / ESCOLA: SOCIALIZAÇÃO 

  • Eu já contei essa história mil vezes, mas ainda não acredito que aconteceu comigo!

    Quando recebemos o diagnóstico do autismo, fomos muito mal orientados, começamos um tratamento “eclético”, ou seja, com um pouco de cada coisa e muito de nada! Fazíamos uma vez por semana de fono, de psicopedagoga e musicalização. Logicamente o resultado foi quase zero.

    Mas ao mesmo tempo eu aguardava consulta com Dr. Erasmo Casella em São Paulo e devorara um milhão de livros e sites sobre autismo. Eu não gostava de nada que eu lia, não estavam de acordo com a realidade do Matheus e não apresentavam nenhuma esperança e muito menos soluções sobre o que eu poderia fazer para ajudar meu filho.

    Foi então que eu me deparei com um livro maravilhosoooo: Mundo Singular! Esse livro era tudo que eu buscava e representava a realidade do que eu via em casa: uma criança capaz de aprender e de evoluir! Meu marido sempre dizia que eu devia procurar essa terapeuta e eu dizia que aquilo seria impossível, que ela jamais nos atenderia.

    Bom, para encurtar conversa, Dr. Erasmo nos indicou a nossa mestre Mayra @mayragaiato , a autora do livro que mais amei e que transformou toda a nossa vida! Assim que começamos o tratamento intensivo ABA, o Matheus começou a falar, interagir, aflorar completamente! E é por isso tudo que não me canso de agradecer - serei eternamente grata à nossa querida mestre, que foi quem me ensinou tudo que sei sobre autismo, sou grata pela sua grande vocação, seus estudos incansáveis e pela sua incansável dedicação à causa.

    Seguem algumas dicas para escola e, enquanto as aulas presenciais não começam, podemos colocá-las em prática em casa e aproveitar o contato virtual com os professores para encaminhar essas super preciosas informações!

    O livro pode ser baixado na íntegra gratuitamente acessando o site www.institutosingular.org, link abaixo:
 

MUNDO SINGULAR / ESCOLA: SOCIALIZAÇÃO 

  • ✅ O professor tem total condição de perceber que determinadas crianças não se encaixam em grupo algum, têm dificuldades na interação social e não conseguem compartilhar momentos.

    ✅ Muitas vezes, ele precisará intervir nas atividades dos pequenos.

    ✅ No início, a criança vai precisar de muita ajuda; precisará que lhe ensinem exatamente o que fazer.

    ✅ Numa roda, por exemplo, onde há necessidade de permanecer sentada para cantar musiquinhas, o professor, por algumas vezes, terá que reintegrar essa criança ao círculo, pois, certamente, ela tentará sair.

    ✅ As atividades podem ser realizadas, inicialmente, durante um tempo curto, o que aumenta as chances de ela prestar atenção.

    ✅ Pode-se começar com atividades concretas de interesse da própria criança, para que ela apresente um bom desempenho e se sinta estimulada.

    ✅ É importante que, na medida do possível, o aluno seja o ajudante do professor em pequenas tarefas, tal como entregar folhas aos coleguinhas, pronunciando o nome de cada um. Mesmo que, para isso, seja preciso pegar em sua mão e realizar a atividade junto com ele.
    E fundamental que ele receba o máximo de dicas possíveis para que a tarefa seja bem-sucedida. Ele se sentirá acolhido, valorizado e mais integrado.

    ✅ A disposição de carteiras em duplas também é um caminho eficaz. Assim, o aluno com autismo poderá estabelecer contato mais estreito com o colega ao lado e receber ajuda quando não entender algo. Ensinar a turma a ter um trabalho cooperativo é interessante para todos e ajuda em muito o aluno com autismo.
     

MUNDO SINGULAR / ESCOLA: LINGUAGEM

  •  À SUA ALTURA
  • Ao se dirigir à criança com autismo, o professor deve se colocar à sua altura para estabelecer contato visual (olhos nos olhos). Assim, ele pode "despertá-la" e trazê-la de volta às explicações, aumentando as chances de que ela acate suas orientações.
  •  
  • SEJA CLARO:
    • As perguntas devem ser diretas, claras, objetivas, com vocabulário simplificado. Por apresentarem dificuldades na linguagem, o aprendizado formal, com explicações excessivamente teóricas, muitas vezes não funciona para uma criança com autismo. Sua tendência é desfocar e retornar ao seu "mundo particular”.

    • BUSQUE OS INTERESSES:

    • Procure saber quais são os reais interesses do aluno com autismo e prepare materiais e atividades com esses temas. Isso fará com que ele se sinta mais estimulado em aprender, além de melhorar o vínculo entre aluno e professor.

    •  

    • MATERIAL CONCRETO:

    • Sempre que possível, utilize o máximo de material visual ou concreto, mostre figuras e gravuras no decorrer das explicações, e proporcione ao aluno vivências práticas em que ele possa experimentar as coisas. Associe o aprendizado ao maior número possível de estímulos concretos: o aluno que está aprendendo a contar, por exemplo, precisa "sentir" as quantidades e os números de forma palpável. Aquele que está aprendendo sobre fotossíntese precisa ver a plantinha crescer. Quanto mais associações ele conseguir fazer com sua vida cotidiana, melhor será a aplicação prática desse conhecimento.

FRAGMENTE OBJETIVOS:

    • É importante dividir as tarefas em passos pequenos. Demonstre como se realiza cada um desses passos. Proporcione ajuda, na medida da necessidade do aluno. Não deixe que abandone a tarefa quando fracassar; faça junto com ele. Em certas situações de dificuldades, peça para o aluno imitar você, passo a passo. Crianças com autismo, muitas vezes, aprendem pela imitação. Podemos citar o exemplo da dancinha de final de ano: fazê-las seguir os passos do professor pode ser o orgulho dos pais numa apresentação de formatura e o incentivo necessário para que prossigam. Fique ao lado delas, abrace-as e faça com que sintam, a cada segundo, o ritmo da apresentação. 

MUNDO SINGULAR / ESCOLA: LINGUAGEM

COMUNICAÇÃO POR IMAGENS:
A comunicação pode ser feita por meio de figuras. O professor e a criança podem trocar imagens, desenhos etc. Ex. quando a criança tem sede, aprende a escolher a imagem de um copo em sua "pasta de figuras" e entrega ao professor que entende o que ela deseja. Assim a criança se sente compreendida e acolhida e previne angústias e dificuldades comportamentais e favorece uma relação mais tranqüila e próxima entre professor e aluno.

ESTIMULE E SOCIALIZAÇÃO:
Para crianças com boa comunicação, ensine a utilizar a linguagem para aquisição de outras habilidades, principalmente relacionadas à socialização.

ESTIMULE O DIÁLOGO:
Crie atividades nas quais a troca de idéias e o diálogo sejam necessários para sua execução, treinando-a para outras interações sociais.

INTERESSES RESTRITOS:
Estimule ações com variados assuntos e atrativos, já que a criança com autismo tem interesses muito restritos. Se necessário, comece por um assunto do interesse dela e, gradativamente, direcioná-la para outros temas. Ex. Fale sobre um jogo de
videogame para despertar sua atenção e, aos poucos, insira o conteúdo da aula de história.

ESTIMULE A LINGUAGEM e o FAZ DE CONTA:
Estimule a criança a relatar eventos passados (experiências) e a participar de brincadeiras de faz de conta. Ex. Brincar de supermercado para simular uma compra e aprender a fazer contas de somar e subtrair.

ECOLALIA TARDIA:
Algumas crianças vivem ecoando, isto é, reproduzem falas imediatas ou remotas. Ex., narrar episódios do seu desenho favorito no meio da aula. Pontue e redirecione para o aprendizado, quebrando essa dispersão e evitando falas disfuncionais em momentos impróprios.

ECOLALIA IMEDIATA:

Não se senta ofendido se a criança repetir sua fala. Ex, se pedir aos alunos "vamos abrir o livro na página 10", a criança pode repetir a frase e isso pode soar como gozação ou enfrentamento. Mas é apenas um comportamento automático, que faz parte do seu jeito de funcionar. #inclusaoescolar

MUNDO SINGULAR / ESCOLA: CONCENTRAÇÃO 

ESTERIOTIPIAS:
Se possível, substitua as esteriotipias, ou seja, movimentos repetitivos, como balançar o corpo e bater palmas, por atividades que tragam resultados melhores para o desenvolvimento. Ex. Movimentos repetitivos com as mãos: pintar ou recortar.

APEGO À ROTINA:
Monte em casa e na escola um painel de rotina com imagens, palavras ou materiais concretos, facilitando o aprendizado e proporcionando mais autonomia.

SENSORIAL:
O toque físico e o barulho podem parecer aversivos para crianças com TEA e podem até machucar. Fique atento e, conforme o caso, evite falar alto e tocar na criança.

PENSAMENTO CONCRETO:
Uma característica marcante no autismo é a interpretação literal do que é dito e a dificuldade de entender ironias e jogos de palavras. Tudo deve ser "traduzido" de forma literal e explicado.

INDEPENDÊNCIA:
Promova a independência em casa e na escola, incentivando a criança a fazer suas coisas sozinha (lavar as mãos, fechar os potes de tinta, guardar o material), aliando família e escola para promover sempre novos desafios.

DICAS ALFABETIZAÇÃO MUNDO SINGULAR: 

MOLEZA / DESAFIO:
A fase de alfabetização é um dos mais desafiantes períodos da vida das crianças com autismo. Algumas delas apresentam hiperlexia e aprendem a ler sozinhas, antes da fase de alfabetização. Mas a maioria vai precisar de auxílio psicopedagógico nessa fase.

PRÉ-REQUISITOS:
Antes da alfabetização propriamente dita, alguns comportamentos precisam estar bem-instalados no repertório da criança com autismo, tais como permanecer sentada, ficar em sala de aula, identificar e reconhecer letras, combinar as letras iguais e diferenciá-las.

DÊ SENTIDO:
Nós, adultos, sabemos da importância de reconhecer os símbolos gráficos, mas as crianças com autismo não têm a menor idéia do que representam. Precisamos dar um sentido para esta aprendizagem.

MATERIAL ATRATIVO:
É preciso que tenhamos muita criatividade para adaptar materiais e inserir as letras na vida delas, de forma atraente e estimulante. A utilização de computadores e tablets como plataforma de motivação e ensino tem apresentado bons resultados, pois os recursos de cores, sons e jogos auxiliam o foco dessas crianças.

PREFERÊNCIAS:
Se ela gosta de copiar e desenhar, podemos, por meio disso, direcioná-las a atividades complementares.

PEI:
Não podemos perder de vista as reais potencialidades e limites da criança. Por isso, é preciso sempre elaborar um programa educacional específico para cada uma delas.

REFORCE e NÃO CRITIQUE:
Para que o aprendizado seja eficaz, é fundamental que haja palavras de incentivo e elogios sempre, bem como premiações quando ela conseguir realizar avanços, mesmo que pequenos. Críticas e expressões de reprovação estão proibidas nessa fase!

ESCOLA  - COMO EVITAR COMP. INADEQUADOS 

Seguem acima algumas dicas da mestre em ABA Dani Botelho sobre a escola, que se aplicam também à escola em casa. 
  • Facebook App Icon
  • Twitter App Icon
  • Google+ App Icon

© 2023 by Grace Homecare. Proudly created with Wix.com